settings icon
share icon
Pergunta

O que significa ter por motivo de grande alegria (Tiago 1:2)?

Resposta


Tiago 1:2–4 diz: “Meus irmãos, tenham por motivo de grande alegria o fato de passarem por várias provações, sabendo que a provação da fé que vocês têm produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que vocês sejam perfeitos e íntegros, sem que lhes falte nada” (Tiago 1:2–4).

Quando Tiago diz para “ter por motivo de grande alegria”, ele encoraja seus leitores a avaliar a maneira como encaram as provações. Ele chama os crentes a desenvolverem uma atitude nova e melhorada que considere as provações da perspectiva de Deus. Tiago quer que os crentes saibam que devem esperar “várias provações” (Tiago 1:2) na vida cristã. Devemos estar preparados e não ser pegos desprevenidos quando uma provação repentina nos sobrevier. As provações fazem parte da experiência cristã. Jesus disse aos Seus discípulos: “Neste mundo tereis aflições” (João 16:33).

Normalmente, um julgamento não é uma ocasião para alegria. Tiago não está sugerindo que busquemos julgamentos ou dificuldades no tribunal; nem devemos fingir que as provações são agradáveis de suportar. As provações são difíceis e dolorosas. Mas existem para um propósito. As provações têm o potencial de produzir algo de bom em nós e, por isso, são uma oportunidade de expressar alegria. Sabendo que há um quadro maior, podemos considerar as provações como coisas nas quais podemos nos regozijar. Mesmo que a alegria seja contrária à nossa reação normal, Tiago nos exorta a trabalhar para mudar nossa atitude em relação aos problemas - de medo para a expectativa positiva, fé, confiança e até mesmo alegria.

Tiago não diz apenas “motivo de alegria”, mas “motivo de grande alegria”; isto é, podemos considerar as provações e testes como alegria pura, imaculada e total. Muitas vezes, vemos as provações sob uma luz negativa ou presumimos que a alegria não possa existir nas dificuldades; pior, consideramos os tempos difíceis como uma maldição de Deus sobre nós ou Seu castigo por nossos pecados, em vez do que realmente são - oportunidades para amadurecermos alegremente à semelhança de Cristo.

Tiago 1:3 explica que Deus pretende que as provações testem nossa fé e produzam perseverança espiritual. As provações são como desafios de treinamento para um atleta. Elas constroem resistência física e vigor. O atleta anseia por desafios físicos e mentais por causa dos benefícios que se seguem. Se nunca enfrentássemos dificuldades, o nosso caráter cristão permaneceria não testado e subdesenvolvido. As provações desenvolvem os nossos músculos espirituais, dando-nos vigor e resistência para manter o rumo (Romanos 5:2–5). Podemos nos regozijar nas provações porque nelas aprendemos a depender de Deus e confiar nEle. A fé que é testada torna-se fé genuína, fé robusta, fé inflexível: “Nisso vocês exultam, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejam contristados por várias provações, para que, uma vez confirmado o valor da fé que vocês têm, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado pelo fogo, resulte em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo” (1 Pedro 1:6–7).

Deus também usa provações para nos disciplinar: “Deus, porém, nos disciplina para o nosso próprio bem, a fim de sermos participantes da sua santidade” (Hebreus 12:10). As provações ajudam a purificar nossas deficiências espirituais e a amadurecer a nossa fé. Elas promovem alegria porque produzem santidade na vida dos crentes inabaláveis.

Tiago encoraja os cristãos a abraçar as provações não pelo que são atualmente, mas pelo resultado que Deus realizará por meio delas. Tiago 1:12 promete: “Bem-aventurado é aquele que suporta com perseverança a provação. Porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.”

Quando José foi vendido como escravo por seus irmãos (Gênesis 37:1–38), ele não podia ver o belo resultado salvador de vidas que Deus realizaria durante seus anos de sofrimento e perseverança no Egito. Após sua provação com a esposa de Potifar, José passou longos anos esquecido na prisão. Por fim, o plano de Deus se concretizou e José foi elevado à segunda posição mais poderosa sobre o Egito. Por meio de muitas provações e testes, José aprendeu a confiar em Deus. José não apenas resgatou a sua família e a nação de Israel da fome, mas também salvou todo o Egito.

A fé de José foi testada por meio de provações, e a perseverança completou o seu trabalho. Depois de passar vitoriosamente pelas provações, José entendeu o bom propósito de Deus em tudo o que havia suportado. José foi capaz de ver a mão soberana de Deus em tudo. Maduro e completo, José disse estas palavras de perdão a seus irmãos: “Não tenham medo; será que eu estou no lugar de Deus? Vocês, na verdade, planejaram o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como estão vendo agora, que se conserve a vida de muita gente” (Gênesis 50:19–20).

Tiago 1:4 diz que um crente que persevera nas provações é feito “perfeito”. Isso não significa que ele ou ela se torne sem pecado ou sem falhas morais. Perfeito fala de maturidade ou desenvolvimento espiritual. Os cristãos que enfrentam as provações com uma perspectiva alegre – confiando em Deus para realizar o Seu bom propósito – desenvolverão a plena maturidade espiritual. Eles serão equipados com tudo de que precisam para superar todas as provações que encontrarem. Esse é certamente um bom motivo para se alegrar.

A fim de nos regozijarmos quando enfrentamos provações, devemos avaliar as dificuldades da vida com os olhos da fé e vê-las à luz do bom propósito de Deus.

English



Voltar à página principal em português

O que significa ter por motivo de grande alegria (Tiago 1:2)?
Assine a

Pergunta da Semana

Comparte esta página: Facebook icon Twitter icon YouTube icon Pinterest icon Email icon
© Copyright Got Questions Ministries