O que Jesus quis dizer quando disse: ‘tome a sua cruz e siga-me’ (Mateus 16:24; Marcos 8:34; Lucas 9:23)?



 

Pergunta: "O que Jesus quis dizer quando disse: ‘tome a sua cruz e siga-me’ (Mateus 16:24; Marcos 8:34; Lucas 9:23)?"

Resposta:
Vamos começar com o que Jesus não quis dizer. Muitas pessoas interpretam a "cruz" como um fardo que devem carregar em suas vidas: um relacionamento tenso, um trabalho ingrato, uma doença física. Com orgulho autopiedoso, dizem: "Essa é a minha cruz que tenho que carregar". Tal interpretação não é o que Jesus quis dizer quando disse: "tome a sua cruz e siga-me".

Quando Jesus carregou a Sua cruz até o Gólgota para ser crucificado, ninguém estava pensando na cruz como simbólico de um fardo a carregar. Para uma pessoa no primeiro século, a cruz significava uma coisa e uma única coisa: a morte pelos meios mais dolorosos e humilhantes que os seres humanos poderiam desenvolver.

Dois mil anos depois, os cristãos veem a cruz como um símbolo apreciado de expiação, perdão, graça e amor. No entanto, no dia de Jesus, a cruz representava nada mais que uma morte tortuosa. Porque os romanos obrigavam os criminosos condenados a levar suas próprias cruzes ao lugar da crucificação, ter uma cruz significava transportar o seu próprio instrumento de execução enquanto enfrentava zombaria ao longo do caminho até a morte.

Portanto, "tome a sua cruz e siga-me" significa estar disposto a morrer para seguir Jesus. Isso é chamado de "morrer para si mesmo". É um apelo à rendição absoluta. Depois que Jesus ordenou tomar a cruz, Ele disse: "Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo?" (Lucas 9:24-25; Mateus 16:26; Marcos 8:35-36). Embora a chamada seja difícil, a recompensa é incomparável.

Onde quer que Jesus fosse, Ele atraía multidões. Embora essas multidões o seguissem como Messias, sua visão de quem o Messias realmente era - e o que Ele faria - era distorcida. Eles achavam que o Cristo iria inaugurar o reino restaurado. Eles acreditavam que Ele os libertaria do domínio opressivo de seus ocupantes romanos. Até mesmo o próprio círculo íntimo dos discípulos de Cristo achava que o reino viria em breve (Lucas 19:11). Quando Jesus começou a ensinar que Ele iria morrer nas mãos dos líderes judeus e dos seus senhores gentios (Lucas 9:22), a Sua popularidade afundou. Muitos dos seguidores chocados o rejeitaram. Verdadeiramente, eles não foram capazes de matar suas próprias ideias, planos e desejos, e trocá-los pelos dEle.

Seguir Jesus é fácil quando a vida corre sem problemas. O nosso verdadeiro compromisso com Ele é revelado durante as provações. Jesus assegurou-nos que as provações viriam a Seus seguidores (João 16:33). O discipulado exige sacrifício, e Jesus nunca escondeu esse custo.

Em Lucas 9:57-62, três pessoas pareciam dispostas a seguir Jesus. Quando Jesus questionou-os ainda mais, seu compromisso era, na melhor das hipóteses, apenas meio amado. Eles não conseguiram contar o custo de segui-lo. Nenhum estava disposto a tomar a sua cruz e crucificar nela os seus próprios interesses.

Portanto, Jesus parecia dissuadi-los. Quão diferente da apresentação típica do evangelho! Quantas pessoas responderiam a um chamado de altar feita mais ou menos assim: "Venha seguir Jesus, e você pode enfrentar a perda de amigos, família, reputação, carreira e, possivelmente, até sua vida"? O número de falsos convertidos provavelmente diminuiria. Esse chamado é o que Jesus quis dizer quando disse: "Tome sua cruz e siga-me".

Se você se pergunta se está pronto para tomar a sua cruz, considere estas questões:

"Você está disposto a seguir Jesus se isso significa perder alguns de seus amigos mais próximos?

"Você está disposto a seguir Jesus se isso significa alienação de sua família?

"Você está disposto a seguir Jesus se isso significa a perda de sua reputação?

"Você está disposto a seguir Jesus se isso significa perder seu emprego?

"Você está disposto a seguir Jesus se isso significa perder a vida?

Em alguns lugares do mundo, essas consequências são realidade. Entretanto, observe que as perguntas são formuladas com "Você está disposto?". Seguir Jesus não significa necessariamente que tudo isso acontecerá, mas você está disposto a tomar a sua cruz? Se chegar um ponto em sua vida onde você enfrenta uma escolha - Jesus ou o conforto desta vida - o que você escolherá?

O compromisso com Cristo significa assumir a sua cruz diariamente, abrindo mão de suas esperanças, sonhos, posses, até mesmo da sua própria vida, se necessário para a causa de Cristo. Somente se você voluntariamente aceitar a sua cruz é que pode então ser chamado de Seu discípulo (Lucas 14:27). A recompensa vale o preço. Jesus seguiu o Seu chamado da morte para Si mesmo ("Tome a sua cruz e siga-me") com o dom da vida em Cristo: "Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á" (Mateus 16:25).


Voltar à página principal em português

O que Jesus quis dizer quando disse: ‘tome a sua cruz e siga-me’ (Mateus 16:24; Marcos 8:34; Lucas 9:23)?