O que é a teologia histórica?



 

Pergunta: "O que é a teologia histórica?"

Resposta:
A teologia histórica é o estudo do desenvolvimento e da história da doutrina cristã. Como o próprio nome indica, a teologia histórica é um estudo do desenvolvimento e formação da essencial doutrina cristã ao longo da história da igreja do Novo Testamento. A teologia histórica também pode ser definida como o estudo de como os cristãos em diferentes períodos históricos compreenderam diferentes temas ou temas teológicos como a natureza de Deus, a natureza de Jesus Cristo, a natureza e obra do Espírito Santo, a doutrina da salvação, etc.

O estudo da teologia histórica abrange assuntos como o desenvolvimento de credos e confissões, conselhos eclesiásticos e heresias que surgiram e foram eliminadas durante toda a história da igreja. Um teólogo histórico estuda o desenvolvimento das doutrinas essenciais que separam o Cristianismo de heresias e seitas.

Os teólogos muitas vezes dividem o estudo da teologia histórica em quatro períodos principais de tempo: 1) o Período Patrístico de 100 a 400 A.D.; 2) a Idade Média e o Renascimento de 500-1500 A.D.; 3) os Períodos da Reforma e Pós-Reforma de 1500 a 1750 A.D.; e 4) o Período Moderno de 1750 A.D. até o presente dia.

O objetivo da teologia histórica é compreender e descrever a origem histórica das principais doutrinas do Cristianismo e traçar o desenvolvimento dessas doutrinas ao longo do tempo. Ela examina como as pessoas entenderam diferentes doutrinas ao longo da história e tenta entender o seu desenvolvimento, reconhecendo como as mudanças dentro da igreja têm afetado diferentes doutrinas para melhor ou pior.

A teologia histórica e a história da igreja são duas matérias diferentes, porém estreitamente relacionadas e importantes. Seria difícil, se não impossível, compreender a história da igreja sem também compreender a história da doutrina que muitas vezes levava a diferentes divisões e movimentos dentro da história da igreja. Compreender a história da teologia e doutrina nos ajuda a compreender a história do Cristianismo desde o primeiro século e por que existem tantas denominações diferentes.

A base para estudar a teologia histórica é encontrada no livro de Atos. Lucas registra o início da Igreja cristã enquanto continua em direção ao seu objetivo de relatar "todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar Jesus" (Atos 1:1). A obra de Cristo não terminou com o capítulo final de Atos. Na verdade, Cristo está trabalhando até hoje em Sua igreja, e isso pode ser visto através do estudo da teologia histórica e da história da igreja, ambas as quais nos ajudam a entender como as doutrinas bíblicas essenciais para a fé cristã foram reconhecidas e proclamadas em toda a história da igreja. Paulo advertiu os anciãos de Efésios em Atos 20:29-30 para esperar "lobos vorazes" que ensinariam falsa doutrina. É através do estudo da teologia histórica que vemos quão verdadeira a advertência de Paulo acabou sendo, à medida que entendemos como as doutrinas essenciais da fé cristã foram atacadas e defendidas ao longo dos quase 2.000 anos da história da igreja.

Como qualquer área da teologia, a teologia histórica também é usada por estudiosos liberais e não-cristãos para pôr em dúvida ou atacar as doutrinas essenciais da fé cristã. Eles acusam a Bíblia de ser uma invenção humana em vez do que realmente é – a verdade bíblica divinamente revelada. Um exemplo disso é a discussão da natureza trinitária de Deus. O teólogo histórico irá estudar e traçar o desenvolvimento desta doutrina ao longo da história da igreja, sabendo que esta verdade é claramente revelada nas Escrituras. No entanto, durante a história da igreja, houve momentos em que a doutrina foi atacada e, portanto, foi necessário que a igreja definisse e defendesse a doutrina. A verdade da doutrina vem diretamente da Escritura. No entanto, a compreensão e a proclamação da doutrina da igreja foram clarificadas ao longo dos anos, muitas vezes nos tempos em que a natureza de Deus havia sido atacada por aqueles "lobos vorazes" que Paulo advertiu que viriam.

Alguns cristãos bem-intencionados, mas equivocados, querem descartar a importância da teologia histórica, citando a promessa de que o Espírito Santo que habita em todos os cristãos renascidos "vos guiará a toda a verdade" (João 16:13). O que esses cristãos não conseguem reconhecer é que o Espírito Santo tem habitado nos cristãos em toda a história da igreja, e é o próprio Jesus Cristo que deu "uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo" (Efésios 4:11-12). Isso inclui não apenas aqueles dados nesta geração, mas também aqueles que Cristo ordenou durante a história da igreja. É tolo acreditar que não precisamos aprender de muitos homens talentosos que nos precederam. Um correto estudo e aplicação da teologia histórica nos ajudam a reconhecer e aprender com mestres e líderes cristãos de séculos passados.

Através do estudo da história da igreja e da teologia histórica, o cristão renascido é encorajado a ver como Deus tem trabalhado ao longo da história. Nele, vemos a soberania de Deus sobre todas as coisas exibidas e a verdade de que a Palavra de Deus permanece para sempre (Salmo 119:160). Estudar a teologia histórica realmente é nada mais do que estudar Deus trabalhando. Também nos ajuda a lembrar da sempre presente batalha espiritual entre Satanás e a verdade da Palavra de Deus. A história nos mostra os muitos caminhos e formas que Satanás usa para espalhar falsas doutrinas na igreja, assim como Paulo advertiu os anciãos de Efésios.

O estudo da teologia histórica e da história da igreja também mostra que a verdade da Palavra de Deus continua triunfante. À medida que entendemos as batalhas teológicas do passado, podemos estar mais bem preparados para resistir aos erros que Satanás tentará usar para nos atrair no futuro. Se pastores, igrejas e cristãos não estiverem cientes da história da igreja e da teologia histórica, então estarão mais propensos a caírem ao mesmo tipo de falsos ensinamentos que Satanás usou no passado.

A teologia histórica, quando corretamente compreendida e aplicada, não diminui a autoridade ou a suficiência da Escritura. Somente a Escritura é o padrão em todos os assuntos de fé e prática. Só ela é inspirada e inerrante. Apenas a Escritura é nossa autoridade e guia, mas a teologia histórica pode nos ajudar a entender os muitos perigos de algum "novo ensino" ou nova interpretação da Escritura. Com quase 2.000 anos de história da igreja e milhares, se não milhões, de cristãos que nos precedem, não devemos automaticamente desconfiar de alguém que afirma ter uma "nova explicação" ou interpretação da Escritura?

Finalmente, a teologia histórica pode nos lembrar do perigo sempre presente de interpretar as Escrituras à luz dos pressupostos culturais e filosóficos de nossos tempos. Vemos esse perigo tanto hoje em dia quando o pecado é redefinido como uma doença a ser curada por drogas em vez de uma condição espiritual. Também vemos tantas denominações abandonando o claro ensino das Escrituras e abraçando a aceitação cultural da homossexualidade como estilo de vida.

A teologia histórica é um aspecto importante do estudo da teologia, mas, como qualquer outro método de estudo, também tem os seus perigos e armadilhas. O desafio para todos os cristãos e para todos os estudantes de teologia é não forçar nosso sistema teológico na Bíblia, mas sempre verificar que nossa teologia vem da Escritura e não de algum sistema que possa até ser popular.


Voltar à página principal em português

O que é a teologia histórica?