O que é a doutrina da Semente da Serpente?


Pergunta: "O que é a doutrina da Semente da Serpente?"

Resposta:
A doutrina da semente da serpente é uma crença baseada na má interpretação bíblica e na superstição. É um recurso doutrinário primário para aqueles que querem usar as Escrituras para justificar o preconceito racial. A doutrina da semente da serpente também está intimamente relacionada com outras crenças errôneas, como o Movimento da Identidade Cristã e a doutrina cainita. Como muitas crenças falsas, tem um mecanismo de defesa embutido; isto é, qualquer um que discorde dela é acusado de ser um filho da serpente. Um dos problemas mais infelizes com a doutrina da semente da serpente é que ela depende muito do preconceito e da interpretação bíblica distorcida que pode ser muito difícil de discutir racionalmente.

Em termos simples, a doutrina da semente da serpente ensina que o pecado de Eva não foi uma simples desobediência, mas o contato sexual com a serpente, e que Caim era o filho da Eva e do Diabo. Os descendentes de Caim são, de acordo com essa ideia, os filhos de Satanás, e isso inclui a maioria das raças ou grupos de quem o adepto da doutrina da semente da serpente escolhe não gostar. Esta ideia está enraizada em crenças supersticiosas e é particularmente popular entre os supremacistas brancos e antissemitas; a Igreja da Unificação também apoia essa ideia. Distintos falsos profetas e falsos mestres, como Arnold Murray, da Shepherd’s Chapel, e William Branham defendiam essa ideia. Embora uma ideia não deva ser criticada quando é aplicada erroneamente, é apropriado condená-la quando logicamente leva ao pecado. Uma filosofia que ensina que algumas raças ou pessoas são universalmente satânicas, como a doutrina da semente da serpente faz, é uma dessas filosofias.

Aqueles que apoiam as ideias da semente da serpente citam muitas passagens da Bíblia como prova de que sua ideia é correta. Quase sem exceção, essas “provas” exigem uma interpretação totalmente inadequada ao contexto da passagem. Por exemplo, Gênesis 3:13 é frequentemente citado, com a alegação de que a palavra traduzida como “enganou” realmente significava “seduziu”. O contexto e a erudição discordariam. Provérbios 30:20 compara metaforicamente comer com a imoralidade sexual; isso é muito exagerado pelo seguidor da semente da serpente como prova de que a Queda foi de natureza sexual. Outras passagens incluem Judas 1:14 e a parábola do joio em Mateus capítulo 13. Aqueles que creem na doutrina da semente da serpente ensinam que a descrição de Jesus dos “filhos do Maligno” nesta parábola é verdadeira em um sentido biológico. Mais uma vez, apenas alguém que esteja tentando forçar essa crença na Bíblia verá isso dessa maneira; a Escritura não é naturalmente interpretada assim.

Há literalmente dezenas de lugares na Bíblia onde esta falsa ideia foi inserida, mas cada um requer que uma pessoa acredite na ideia da semente da serpente de antemão. Somente lendo uma passagem e dizendo: “Se você supõe que a doutrina da semente da serpente seja verdadeira, então isso significa...” pode uma pessoa apoiar essa falsa filosofia. Por essa razão, argumentar contra a doutrina da semente da serpente pode ser difícil. Aqueles que acreditam nela interpretam as Escrituras através de uma espécie de "lente da semente da serpente", e não é provável que aceitem outras interpretações, não importa quão bem apoiadas pelo contexto e estudiosos bíblicos.

Existem algumas questões e contradições básicas inerentes à doutrina da semente da serpente que podem ser usadas para demonstrar sua falta de verdade. Por exemplo, Gálatas 3:28 afirma claramente que raça e gênero não têm impacto em nossa posição com Deus. 2 Pedro 3:9 diz que Deus quer que todos sejam salvos, não “todos, menos os filhos de Caim”. Em nenhum lugar das Escrituras alguém é identificado como “cainita” ou condenado por ser da linhagem de Caim. Nunca somos advertidos sobre essas pessoas pelos escritores do Novo Testamento. Além disso, há a questão de como ou por que tais pessoas sobreviveram ao dilúvio. A doutrina supõe que o pecado original era sexual, mas não pode explicar por que todo o restante da Bíblia estabelece uma cosmovisão em que o pecado original era a desobediência, e não a sexualidade.

A filosofia da semente da serpente é muito lamentável na medida em que leva diretamente e logicamente a dois problemas principais. O racismo é de longe o pior; acreditar que certas raças não podem ser redimidas não tem aplicação positiva. O único resultado possível de tal cosmovisão é preconceito e intolerância. Há também uma tendência de rejeitar os críticos da doutrina da semente da serpente como sendo os próprios "cainitas" em que a filosofia acredita. Arnold Murray é particularmente culpado desse abuso. Felizmente para os crentes, Deus nos deu um recurso nas Escrituras que pode nos mostrar a verdade. Precisamos apenas lê-lo com olhos imparciais e abertos para encontrar a verdadeira sabedoria.

English
Voltar à página principal em português

O que é a doutrina da Semente da Serpente?

Assine a pergunta da semana