O que foi o Santo dos Santos?


Pergunta: "O que foi o Santo dos Santos?"

Resposta:
A sala conhecida como o Santo dos Santos era a área mais interna e sagrada do antigo tabernáculo de Moisés e templo de Jerusalém. O Santo dos Santos foi construído como um cubo perfeito. Continha apenas a Arca da Aliança, o símbolo do relacionamento especial de Israel com Deus. O Santo dos Santos era acessível apenas ao sumo sacerdote israelita. Uma vez por ano, no Yom Kippur, também chamado de Dia da Expiação, o sumo sacerdote podia entrar no pequeno recinto sem janelas para queimar incenso e borrifar o sangue de um animal sacrificial no propiciatório da Arca. Ao fazer isso, o sumo sacerdote expiava seus próprios pecados e os do povo. O Santo dos Santos era separado do resto do tabernáculo/templo por um véu - uma enorme e pesada cortina feita de linho fino, tecida com um fio azul, púrpura e escarlate, e bordada com querubins de ouro.

Deus disse que Ele apareceria no Santo dos Santos (Levítico 16:2); daí a necessidade do véu. Existe uma barreira entre o homem e Deus. A santidade de Deus não podia ser acessada por ninguém além do sumo sacerdote, e somente uma vez por ano. Os olhos de Deus são “tão puros… que não podes ver o mal” (Habacuque 1:13), e Ele não pode tolerar pecado algum. O véu e os elaborados rituais realizados pelo sacerdote eram um lembrete de que o homem não podia descuidadamente ou irreverentemente entrar na impressionante presença de Deus. Antes do Sumo Sacerdote entrar no Santo dos Santos no Dia da Expiação, ele tinha que se lavar, vestir roupas especiais, trazer incenso para deixar a fumaça cobrir seus olhos de uma visão direta de Deus, e trazer sangue sacrificial com ele para fazer a expiação pelos pecados (Êxodo 28; Levítico 16; Hebreus 9:7).

O significado do Santo dos Santos para os cristãos é encontrado nos eventos que cercam a crucificação de Cristo. Quando Jesus morreu, uma coisa surpreendente aconteceu: “E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo…” (Mateus 27:50-51a). O véu não foi rasgado ao meio por nenhum homem. Foi um acontecimento sobrenatural feito pelo poder de Deus para comunicar algo muito específico: por causa da morte de Cristo na cruz, o homem não estava mais separado de Deus. O sistema do templo do Antigo Testamento tornou-se obsoleto quando a Nova Aliança foi ratificada. Não precisaríamos mais depender de sacerdotes para realizar sacrifícios anuais em nosso favor. O corpo de Cristo foi “rasgado” na cruz, assim como o véu foi rasgado no templo, e agora temos acesso a Deus através de Jesus: “…Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne” (Hebreus 10:19-20).

O sacrifício de uma vez por todas por parte de Cristo eliminou a necessidade de sacrifícios anuais, os quais nunca poderiam realmente tirar pecados (Hebreus 10:11). Esses sacrifícios foram meramente um prenúncio do perfeito sacrifício que estava por vir, o do santo Cordeiro de Deus, morto pelos pecados do mundo (João 1:29). O Santo dos Santos, a própria presença de Deus, está agora aberto a todos os que vêm a Cristo com fé. Onde antes havia uma imponente barreira guardada por querubins, Deus abriu um caminho pelo sangue derramado de Seu Filho.

English
Voltar à página principal em português

O que foi o Santo dos Santos?

Assine a pergunta da semana