Onde as Escrituras hebraicas profetizam a morte e ressurreição do Messias?



 

Pergunta: "Onde as Escrituras hebraicas profetizam a morte e ressurreição do Messias?"

Resposta:
Ao longo das Escrituras Hebraicas, a promessa de um Messias é claramente dada. Essas profecias messiânicas foram feitas centenas, às vezes milhares, de anos antes de Jesus Cristo nascer, e claramente Ele é a única pessoa que já andou nesta terra para cumpri-las. Na verdade, de Gênesis a Malaquias, existem mais de 300 profecias específicas detalhando a vinda deste Ungido. Além de profecias detalhando o seu nascimento virginal, em Belém, da tribo de Judá, sua linhagem do Rei Davi, sua vida sem pecado e sua obra expiatória pelos pecados do seu povo, a morte e ressurreição do Messias judaico foram igualmente bem documentadas nas Escrituras Hebraicas proféticas muito antes da morte e ressurreição de Jesus Cristo ocorrerem na história.

Das profecias mais conhecidas nas Escrituras Hebraicas relativas à morte do Messias, o Salmo 22 e Isaías 53 certamente se destacam. Salmo 22 é especialmente surpreendente, uma vez que previu inúmeros elementos separados sobre a crucificação de Jesus cerca de mil anos antes dele ser crucificado. Aqui estão alguns exemplos. O Messias teria as mãos e os pés "traspassados" (Salmo 22:16; João 20:25). Os ossos do Messias não seriam quebrados (as pernas de uma pessoa eram geralmente quebradas depois de ser crucificada para acelerar a sua morte) (Salmos 22:17; João 19:33). Os homens iriam lançar sortes pela roupa do Messias (Salmo 22:18; Mateus 27:35).

Isaías 53, a profecia messiânica clássica conhecida como a profecia do "Servo Sofredor", também detalha a morte do Messias pelos pecados de seu povo. Mais de 700 anos antes de Jesus nascer, Isaías fornece detalhes da sua vida e morte. O Messias seria rejeitado (Isaías 53:3; Lucas 13:34). O Messias seria morto como um sacrifício vicário pelos pecados de seu povo (Isaías 53: 5-9; 2 Coríntios 5:21). O Messias ficaria em silêncio na frente de seus acusadores (Isaías 53:7; 1 Pedro 2:23). O Messias seria sepultado com os ricos (Isaías 53: 9; Mateus 27: 57-60). O Messias estaria com criminosos em sua morte (Isaías 53:12; Marcos 15:27).

Além da morte do Messias, a sua ressurreição dentre os mortos também é anunciada. A mais clara e mais conhecida das profecias sobre a ressurreição é uma escrita pelo Rei Davi de Israel no Salmo 16:10, também escrita um milênio antes do nascimento de Jesus: "Pois não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção."

No dia da festa judaica do Shavuot (Semanas ou Pentecostes), também conhecida como Festa das Colheitas ou das Primícias, quando Pedro pregou o primeiro sermão do evangelho, ele corajosamente afirmou que Deus tinha ressuscitado o Messias judaico dos mortos (Atos 2:24). Ele então explicou que Deus havia realizado esta obra milagrosa em cumprimento da profecia de Davi no Salmo 16. Na verdade, Pedro citou as palavras de Davi em detalhes como contidas no Salmo 16:8-11. Alguns anos mais tarde, Paulo fez a mesma coisa quando falou à comunidade judaica em Antioquia. Como Pedro, Paulo declarou que Deus tinha ressuscitado o Messias Jesus dos mortos no cumprimento do Salmo 16:10 (Atos 13:33-35).

A ressurreição do Messias está fortemente implicada em outro salmo de Davi. Mais uma vez, este é o Salmo 22. Nos versículos 19-21, o Salvador sofredor ora pela libertação "das fauces do leão" (uma metáfora para Satanás). Esta oração desesperada é seguida imediatamente nos versículos 22-24 por um hino de louvor em que o Messias agradece a Deus por ouvir a sua oração e por libertá-lo. A ressurreição do Messias está claramente implícita entre o término da oração no versículo 21 e o início da canção de louvor no versículo 22.

E de volta a Isaías 53: depois de profetizar que o Servo Sofredor de Deus sofreria pelos pecados de seu povo, o profeta diz que Ele seria, então, “cortado da terra dos viventes.” Mas Isaías afirma então que Ele (o Messias) "verá a sua posteridade", e que Deus o Pai "prolongará os seus dias" (Isaías 53:5, 8, 10). Isaías prossegue para reafirmar a promessa da ressurreição em palavras diferentes: "Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito" (Isaías 53:11).

Cada aspecto do nascimento, vida, morte e ressurreição do Messias Jesus havia sido profetizado nas Escrituras Hebraicas muito antes dos acontecimentos se desenrolarem na linha do tempo da história humana. Não é de admirar que o Messias Jesus diria aos líderes religiosos judeus de sua época: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim" (João 5:39).


Voltar à página principal em português

Onde as Escrituras hebraicas profetizam a morte e ressurreição do Messias?