settings icon
share icon
Pergunta

Como um cristão deve ver as relíquias?

Resposta


Um fragmento da cruz de Jesus foi encontrado na Turquia. O cobertor de bebê de Jesus apareceu na Alemanha. O dedo indicador de João Batista está agora em exibição em um relicário em um museu em Missouri, EUA. Relíquias – artefatos religiosos cuidadosamente preservados destinados a serem venerados – há muito desempenham um papel em muitas religiões, incluindo o cristianismo. Na Idade Média, havia centenas de supostos locais de sepultamento para os doze apóstolos. Diz-se que se poderia construir um grande barco com todos os pedaços de madeira supostamente da cruz de Jesus. A relíquia cristã mais famosa, o Sudário de Turim, atrai centenas de milhares de visitantes todos os anos. Os cristãos devem se interessar por relíquias?

Inegavelmente, seria extremamente interessante se um pedaço real da cruz de Jesus ou um espinho da coroa de espinhos pudesse ser descoberto e verificado. O problema é que não há absolutamente nenhuma maneira de saber se um pedaço de madeira da Judéia data do século I d.C. Alguém poderia afirmar que veio da cruz de Jesus, mas como essa afirmação poderia ser fundamentada? A madeira poderia facilmente ter vindo de um poste de uma cerca da Judeia. Nos primeiros séculos da Igreja Católica Romana, as relíquias se tornaram um grande golpe de lucro. Aparentemente, todas as igrejas da Europa tinham algum tipo de relíquia para atrair visitantes. Se uma igreja em uma cidade próxima “descobriu” uma relíquia mais importante, uma competição se seguia, com as relíquias sendo “descobertas” se tornando cada vez mais impressionantes. Tudo isso para dizer que é altamente improvável que qualquer uma das relíquias cristãs descobertas nos últimos 2.000 anos tenha alguma conexão verdadeira com Jesus ou os apóstolos.

Um dos perigos inerentes à veneração de relíquias é a tentação de cometer idolatria. Foi exatamente isso que aconteceu no antigo Israel. Deus havia dito a Moisés para fazer uma serpente de bronze a fim de salvar os hebreus de uma praga de cobras venenosas (Números 21:8-9). Essa serpente de bronze foi mantida pelos israelitas como um lembrete da bondade e salvação de Deus; no entanto, na época do Rei Ezequias, a “relíquia” havia se tornado um objeto de adoração. As reformas de Ezequias incluíram quebrar “em pedaços a serpente de bronze que Moisés fizera, porque até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã” (2 Reis 18:4). Os auxílios físicos à fé, se não forem ordenados por Deus, são desnecessários e inevitavelmente levam à superstição e à idolatria.

Não há absolutamente nenhum poder nas relíquias cristãs. Mesmo se toda a cruz de Jesus fosse descoberta intacta, não teria valor espiritual. As relíquias não nos permitem, de forma alguma, nos aproximar de Deus. As relíquias não devem receber orações, adorações ou ser de qualquer forma usadas como meio de melhor conexão com Deus. Usar relíquias de maneira talismânica é idolatria flagrante (Êxodo 20:3; Isaías 42:8). Uma igreja elaborada cheia de relíquias não é um lugar de adoração mais válido do que uma simples tenda na selva. Adoramos o Senhor em espírito e verdade (João 4:24), não por ídolos, ícones ou relíquias, sejam genuínas ou falsas.

English



Voltar à página principal em português

Como um cristão deve ver as relíquias?
Assine a

Pergunta da Semana

Comparte esta página: Facebook icon Twitter icon Pinterest icon Email icon
© Copyright Got Questions Ministries