Sobre o que é a Bíblia?


Pergunta: "Sobre o que é a Bíblia?"

Resposta:
Essencialmente, a Bíblia se trata dos planos e propósitos de Deus para comunhão com as pessoas na terra. Deus criou tudo, incluindo pessoas que são feitas à Sua imagem e com o propósito expresso de ter comunhão com Ele.

Gênesis fala sobre a criação do primeiro povo, Adão e Eva, sua comunhão com Deus no Jardim do Éden, e então sua queda no pecado, o que quebrou essa comunhão. Como consequência da rebelião da humanidade, a morte e o sofrimento entraram no mundo. O mundo não é mais como foi criado. Entretanto, Deus não simplesmente descartou Adão e Eva e todos os seus descendentes. Ele continuou a buscá-los e atraí-los para Si, apesar de seus pecados.

Os primeiros capítulos de Gênesis demonstram a depravação da humanidade. Caim matou seu irmão Abel. Em poucas gerações, o mundo estava tão corrupto que Deus decidiu exterminar a todos com um dilúvio e recomeçar com Noé e sua família. Deus instruiu Noé a construir uma arca para salvar sua família e alguns animais. Mesmo depois do dilúvio, Noé provou ser um homem pecador também. Então a população aumentou e o mundo inteiro se uniu para construir uma torre "para chegar ao céu". Esta foi a tentativa da humanidade de alcançar Deus em seus próprios termos. Deus não gostou disso e confundiu suas línguas, o que os espalhou por toda a terra.

Em Gênesis 12, Deus escolheu um homem, Abraão, e seus descendentes para serem o meio pelo qual a comunhão entre Deus e a humanidade seria renovada. Deus prometeu que por meio de Abraão todo o mundo seria abençoado. O resto do Antigo Testamento é a história da família de Abraão (a nação de Israel) e a interação de Deus com eles. Deus também prometeu a Abraão a terra de Canaã como herança para seus descendentes.

O restante de Gênesis conta as histórias, algumas delas apresentando falhas flagrantes, de Abraão, seu filho Isaque, seu neto Jacó (mais tarde chamado de Israel) e os doze filhos de Jacó. Alguns dos doze filhos vendem José, seu irmão, como escravo por ciúme. Deus está com José, e por um período de cerca de 20 anos, José ascende da escravidão para se tornar governante de todo o Egito, segundo apenas para o Faraó. Quando a fome atinge, os irmãos de José vão ao Egito para comprar comida e se reúnem com José, que os perdoa e os leva para o Egito, onde terão comida suficiente e de sobra.

O Êxodo começa alguns séculos depois. Os israelitas se multiplicaram e os egípcios, temendo seu número, os escravizaram. O Faraó ordena que todos os meninos hebreus recém-nascidos fossem mortos. Uma mãe esconde seu filho o máximo possível e, em seguida, faz uma pequena cesta à prova d'água e o coloca no rio perto de onde a filha do Faraó vinha se banhar. A princesa encontra a cesta e decide ficar com o menino, a quem ela chama de Moisés e cria como neto do Faraó. Mais tarde, já adulto, Moisés vê a opressão de seu povo e mata um superintendente egípcio que está batendo em um escravo israelita. Faraó fica sabendo disso, e Moisés precisa fugir do país. Ele passa os próximos 40 anos como pastor nômade. Então Deus aparece a ele e lhe diz para voltar ao Egito e tirar o povo da escravidão. Quando Moisés vai ao Faraó, Faraó se recusa a cumprir as exigências de Deus. Deus envia terríveis pragas sobre o Egito, culminando com a morte do primogênito de cada família. No entanto, qualquer pessoa, israelita ou egípcia, que aplicasse o sangue de um cordeiro sacrificial nas ombreiras e verga da sua casa seria poupada — o julgamento de Deus passaria por aquela casa. Com a última praga, Faraó disse ao povo para ir embora, e Moisés os conduziu para fora. Quando chegaram às margens do Mar Vermelho, o Faraó mudou de ideia e foi atrás de seus ex-escravos com seu exército. Deus separou o mar e os israelitas atravessaram-no em solo seco, mas o mar fechou-se na perseguição dos egípcios, que foram destruídos.

Conforme o livro de Êxodo continua, Moisés começa a tarefa de conduzir os israelitas à terra que Deus prometera a Abraão e seus descendentes. No caminho, eles recebem a Lei de Deus, a qual lhes diz como se comportar com retidão para agradar a Deus. Eles também recebem planos para o tabernáculo (um templo móvel) onde Deus os encontraria. No livro de Levítico, Deus dá instruções a Israel sobre o ritual e os sacrifícios necessários para que os pecadores se aproximassem de um Deus santo. Embora as pessoas prometam obedecer e honrar a Deus, o livro de Números destaca suas repetidas falhas. Na verdade, os israelitas acabaram se recusando a entrar na Terra Prometida, pensando que as pessoas que a ocupavam eram fortes demais para eles. Como resultado de sua descrença, o povo viveu no deserto por cerca de 40 anos, até que uma geração morresse. Então Deus levou seus filhos para a terra. O livro de Deuteronômio contém os discursos finais de Moisés para a nova geração, a maioria dos quais não tinha experimentado em primeira mão a libertação milagrosa de Deus do Egito.

O livro de Josué conta como os israelitas conquistaram e ocuparam a Terra Prometida por meio da força de Deus. Os juízes falam de seu compromisso religioso e adoração aos falsos deuses de Canaã. O ciclo repetido em Juízes é a rebelião da nação, a punição de Deus e, então, a libertação por meio de um juiz após seu arrependimento. O livro de Rute conta a história de uma mulher moabita justa que se junta a Israel e se torna a bisavó de Davi, o qual se tornaria o maior rei de Israel.

Primeiro Samuel é a história do profeta Samuel e como ele unge o primeiro rei de Israel, Saul. Saul é um fracasso por causa de sua desobediência a Deus, então Samuel unge Davi. Davi se torna ajudante do rei Saul e, eventualmente, Saul suspeita que Davi está destinado a ser rei, então tenta matá-lo. Saul finalmente é morto em batalha e Davi se torna rei. Segundo Samuel e 1 Crônicas falam do reinado de Davi. Embora tenha alguns fracassos impressionantes, ele ama e honra a Deus. Deus promete a ele que sempre terá um descendente para ocupar o trono.

A Bíblia também contém um conjunto de livros conhecido como literatura de sabedoria. Jó conta a história de um homem que perdeu tudo, mas continuou a confiar em Deus. O objetivo desse livro é mostrar que às vezes os justos sofrem sem motivo aparente — mas Deus sempre tem um motivo, mesmo que decida não nos dizer qual seja. Salmos é um livro de orações/hinos/poemas. Davi escreveu muitos deles. Eles incluem canções de louvor e orações de libertação de muitos estágios diferentes da história de Israel. Provérbios é uma coleção de ditos sábios e sabedoria prática, atribuída principalmente a Salomão. Eclesiastes narra a futilidade da vida de Salomão depois de ter se afastado do Senhor. O Cântico de Salomão é uma história de amor que fala dos prazeres do casamento.

Primeiro e Segundo Reis falam dos reis que seguem Davi. Seu filho Salomão começa bem, mas depois cai em idolatria. Quando o filho de Salomão se torna rei, as dez tribos do norte se separam dele, dividindo o reino em norte (Israel) e sul (Judá), com apenas as tribos de Judá e Benjamim permanecendo fiéis à linha de Davi. Nenhum dos reis do reino do norte seguiu o Senhor, e apenas alguns do sul o fizeram. (Segundo Crônicas fala mais sobre os reis de Judá, ou o reino do sul.) Havia muitas dinastias no norte, mas todos os reis do sul eram descendentes de Davi.

Durante o tempo dos reis, Deus enviou profetas para alertar Seu povo que o julgamento viria se não se arrependessem de seus pecados. Oseias e Amós falaram ao reino do norte. Isaías, Jeremias (e Lamentações, escrito por Jeremias), Joel, Miqueias, Naum, Habacuque e Sofonias falaram ao reino do sul. (Obadias e Jonas falaram a nações estrangeiras.) O povo não se arrependeu e, finalmente, Deus enviou o julgamento. O reino do norte foi destruído pela Assíria por volta de 722 a.C., e o reino do sul foi derrotado pela Babilônia em 586 a.C. Jerusalém e o templo foram destruídos e muitos do povo de Judá foram deportados para a Babilônia. Ezequiel e Daniel foram profetas de Deus durante este tempo de exílio. O livro de Ester é a história dos judeus que viviam na Pérsia nessa mesma época.

Depois que Judá ficou no exílio por 70 anos, Deus começou a trazer o povo de volta a Jerusalém para reconstruir. Neemias e Esdras registram esse tempo de reconstrução, e os profetas Zacarias, Ageu e Malaquias falaram a palavra de Deus ao povo durante esse tempo. Ao longo do caminho, os profetas falaram de um reino restaurado, uma nova aliança e um descendente de Davi que governaria para sempre. Eles até começaram a indicar que os gentios (os não-judeus) seriam incluídos na bênção. Mas ainda não ficou claro como tudo isso aconteceria. Malaquias é o último profeta do Antigo Testamento, e depois dele houve cerca de 400 anos sem qualquer discurso profético registrado nas Escrituras. Durante esses 400 anos, Israel conquistou a independência brevemente, mas depois foi subjugado pelo Império Romano.

Nos Evangelhos do Novo Testamento (Mateus, Marcos, Lucas e João), um novo profeta, João Batista, entra em cena como o primeiro profeta em quatro séculos, anunciando que o Reino está próximo e que o Messias que governaria está em cena. Ele identifica esse Messias como Jesus. Cada um dos quatro evangelhos nos fala sobre a vida e o ministério de Jesus. Embora Ele tenha nascido em Belém, esse não foi o Seu começo, pois Ele é realmente Deus em carne humana que veio morar entre nós! Os Evangelhos registram Seus milagres e reivindicações divinas, como alegar ser igual ao Pai, perdoar pecados e aceitar adoração. Jesus reuniu um pequeno grupo de doze discípulos para treinar e ensinar. Ele revelou a eles que seria morto para pagar pelos pecados do mundo. Eles não entenderam o que Jesus estava dizendo e rejeitaram a ideia. Como o rei, o Messias, poderia ser morto? Mas, assim como Jesus disse, Ele foi traído e crucificado e então ressuscitou dos mortos. Em vez de instituir um reino político terreno, Ele disse a Seus discípulos para espalhar as boas novas de Sua vida, morte e ressurreição para todo o mundo. Qualquer pessoa que confia nEle terá seus pecados perdoados e se tornará parte de Seu reino. Quando chegar a hora certa, Ele voltará de maneira visível e poderosa. A Lei do Antigo Testamento é cumprida por Ele, e por causa dEle o templo, bem como os sacrifícios e o sacerdócio, são obsoletos. Quando Cristo retornar, o reino prometido será inaugurado.

O livro de Atos registra a vinda do Espírito Santo e a propagação do evangelho por todo o mundo conhecido até então pelos discípulos originais (apóstolos), menos o traidor Judas e mais seu substituto Matias, bem como um novo apóstolo chamado Paulo. Paulo tinha sido um perseguidor da igreja, mas Cristo apareceu a ele e o comissionou a se tornar um apóstolo dos gentios.

As epístolas do Novo Testamento são cartas escritas pelos apóstolos aos cristãos em várias partes do Império Romano, explicando a doutrina correta e admoestando o comportamento correto. Treze das epístolas foram escritas por Paulo, e seus títulos revelam para quem foram escritos: Romanos, 1 e 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses e 1 e 2 Tessalonicenses foram escritos para igrejas nas cidades de Corinto, Galácia, Éfeso, etc.; 1 e 2 Timóteo, Tito e Filemom foram escritos para indivíduos. Todas essas cartas explicam melhor quem é Jesus e como o evangelho se relaciona com a vida cotidiana.

Várias outras epístolas têm o nome dos homens que as escreveram: Tiago; 1 e 2 Pedro; 1, 2 e 3 João; e Judas. O autor da epístola aos Hebreus é desconhecido, mas foi escrita aos hebreus (judeus), explicando como todo o Antigo Testamento foi cumprido em Jesus.

O Apocalipse é o último livro da Bíblia. O apóstolo João o escreveu para relatar as visões que recebeu de Jesus. O Apocalipse está repleto de imagens fantásticas e misteriosas, mas tudo aponta para o fato de que um dia Jesus retornará, e Seu reinado será visível e inegável. NEle todas as promessas a Abraão e ao mundo serão cumpridas. Aqueles que O rejeitarem serão banidos para o lago de fogo. É por causa de Sua vida, morte e ressurreição que as pessoas podem ser perdoadas e ter o tipo de comunhão com Deus que Adão e Eva primeiro conheceram e depois perderam. No final de tudo, Deus criará novos céus e nova terra. O clímax da história está em Apocalipse 21:3: "Então ouvi uma voz forte que vinha do trono e dizia: — Eis o tabernáculo de Deus com os seres humanos. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles e será o Deus deles."

A Bíblia é uma saga que abrange toda a história humana. A história da Bíblia é que nossa comunhão com Deus, que foi perdida no início, está sendo restaurada por meio do ministério de Cristo. Essa comunhão será experimentada perfeitamente nos céus e na terra recriados, mas por meio do Espírito Santo, aqueles que colocam sua fé em Cristo podem desfrutar uma medida dessa comunhão aqui e agora.

A melhor maneira de conhecer a Bíblia é lê-la. Se você está apenas começando, você pode obter o "enredo" da Bíblia lendo os seguintes livros nesta ordem:
Gênesis
Êxodo
Números
Josué
Juízes
1 Samuel
2 Samuel
1 Reis
2 Reis
Esdras
Neemias
Lucas (ou qualquer um dos outros evangelhos)
Atos
Apocalipse

English


Voltar à página principal em português

Sobre o que é a Bíblia?

Descubra como ...

receber a vida eterna



receber o perdão de Deus



Assine a pergunta da semana