O que podemos aprender com a vida de Eliseu?


Pergunta: "O que podemos aprender com a vida de Eliseu?"

Resposta:
Eliseu, cujo nome significa "Deus é salvação", foi o sucessor de Elias no ofício de profeta em Israel (1 Reis 19:16, 19-21; 2 Reis 5:8). Ele foi chamado para seguir Elias em 1 Reis 19:19 e passou os próximos anos como protegido do profeta, até que Elias foi levado para o céu. Foi durante esse tempo que Eliseu começou o seu ministério, o qual durou cerca de 60 anos e abrangeu os reinos dos reis Jeorão, Jeú, Jeoacaz e Joás.

O chamado inicial de Eliseu é instrutivo. Depois de uma demonstração poderosa do poder de Deus contra os profetas de Baal e o retorno da chuva depois de uma longa seca, a rainha Jezabel perseguiu a vida de Elias. Com medo, o profeta fugiu. Ele foi renovado por um anjo e preparado para uma jornada de quarenta dias para o Monte Horebe. Lá, Elias confessou que acreditava ser o único profeta fiel que restava. Deus disse a Elias para voltar para casa, ungir Hazael o rei da Síria, Jeú o rei de Israel e Eliseu para sucedê-lo como profeta. Deus disse: "Quem escapar à espada de Hazael, Jeú o matará; quem escapar à espada de Jeú, Eliseu o matará" (1 Reis 19:17). Ele também assegurou a Elias que restavam 7.000 que não haviam se curvado a Baal.

Elias obedeceu à palavra de Deus e encontrou Eliseu, o qual estava lavrando com dois bois naquele momento. Elias colocou seu manto ao redor de Eliseu — um sinal de que as responsabilidades de Elias cairiam sobre Eliseu, e Eliseu deixou seus bois e correu atrás do profeta. Eliseu pediu apenas para dizer adeus a sua família e depois voltaria para Elias. Eliseu voltou, matou seus bois, queimou seu equipamento, deu a carne ao povo e então seguiu Elias como seu servo. Eliseu respondeu à chamada imediatamente. Ele se afastou completamente da sua vida anterior — essencialmente fazendo uma celebração e não se dando a opção de retornar aos seus bois. Eliseu não só deixou sua antiga vida, mas se tornou um servo em sua nova vida (1 Reis 19:21).

Eliseu parecia amar Elias como a um pai. Ele se recusou a deixar Elias antes de Elias ser levado para o céu, apesar de Elias ter dito a Eliseu para ficar para trás. Elias permitiu que Eliseu ficasse com ele e perguntou o que poderia fazer pelo seu protegido antes de partir. Eliseu solicitou uma porção dupla do espírito de Elias. Este não foi um pedido ganancioso, mas sim uma indicação de que Eliseu queria ser considerado filho de Elias. Elias disse a Eliseu que, se ele visse Elias quando fosse levado, então a porção dupla seria de Eliseu. De fato, Eliseu viu a carruagem de fogo e os cavalos de fogo que separavam os homens e viu Elias sendo levado para o céu em um redemoinho. Eliseu pegou o manto de Elias e caminhou até o rio Jordão. Eliseu atingiu a água com o manto, e a água se dividiu, assim como fizera para Elias. Os outros profetas que testemunharam isso reconheceram que o espírito de Elias agora descansava em Eliseu. Como Deus havia decretado, Eliseu seria agora Seu profeta para o povo (2 Reis 2:1–18).

Como Deus havia dito a Elias na montanha, foi durante o ministério de Eliseu que a adoração organizada de Baal foi erradicada (2 Reis 10:28). Em seu ministério, Eliseu viajou muito e serviu como conselheiro de reis, um companheiro das pessoas comuns e um amigo de israelitas e estrangeiros.

Há muitos relatos bem conhecidos do serviço de Eliseu como profeta. Ele curou as águas de Jericó (2 Reis 2:19–21) e foi zombado por jovens a quem ele acabou amaldiçoando, resultando na morte deles por meio de ataque de ursos (2 Reis 2:23–25). Ele multiplicou o óleo de uma viúva (2 Reis 4:1–7). Ele profetizou um filho para uma rica família sunamita que o hospedou e mais tarde ressuscitou o mesmo filho (2 Reis 4:8–37). Eliseu também removeu veneno de uma panela de guisado (2 Reis 4:38-41) e multiplicou vinte pães de cevada para alimentar cem homens (2 Reis 4:42-44). Ele curou Naamã da lepra (2 Reis 5) e fez flutuar um machado emprestado (2 Reis 6:1-7). Os milagres que Eliseu realizou são, em sua maior parte, atos de ajuda e bênção. Outros se assemelham fortemente a alguns dos milagres de Cristo, tais como a multiplicação de alimentos (Mateus 16:9-10) e a cura de leprosos (Lucas 17:11-19).

Eliseu ofereceu conselho ao rei de Israel. Um incidente fala de Eliseu alertando o rei sobre os movimentos do rei da Síria. Quando o rei da Síria descobriu que Eliseu é quem estava frustrando seus planos, ele procurou capturar o profeta. Quando o servo de Eliseu, Geazi, viu os arameus que tinham vindo contra eles, ficou com medo. Mas Eliseu disse a ele que não tivesse medo porque "mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. Orou Eliseu e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O SENHOR abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu" (2 Reis 6:16-17). Não se pode deixar de lembrar como Eliseu tinha visto carruagens semelhantes de fogo quando Elias foi levado para o céu. Eliseu então orou para que os arameus fossem atingidos pela cegueira. Eliseu levou-os a Samaria, a capital de Israel, antes de pedir ao Senhor que abrisse os seus olhos. O rei de Israel se perguntou se deveria matar os cativos, mas Eliseu aconselhou-o a preparar comida para eles. Quando terminaram a festa, os arameus voltaram para seu mestre e a Síria parou de atacar Israel. Eliseu também profetizou outros eventos de importância nacional e internacional em relação a Israel e Síria.

O rei Jeoás, ou Joás, reinava na época da morte de Eliseu. O rei visitou Eliseu enquanto o profeta estava doente e chorou por ele. Eliseu instruiu Jeoás a pegar um arco e flechas e atirá-los pela janela. Quando Jeoás fez isso, Eliseu disse-lhe que essa era a flecha da vitória de Deus sobre a Síria. Eliseu então disse ao rei que golpeasse o chão com as flechas, mas Jeoás parou depois de apenas três vezes. Eliseu ficou irado. Se Jeoás tivesse atingido o chão cinco ou seis vezes, ele teria destruído a Síria completamente, mas agora apenas os derrotaria três vezes (2 Reis 13:14–19).

Da morte de Eliseu, 2 Reis 13:20 diz simplesmente: "Morreu Eliseu, e o sepultaram". Mas a passagem continua falando de invasores moabitas que vinham a Israel toda primavera: "Sucedeu que, enquanto alguns enterravam um homem, eis que viram um bando; então, lançaram o homem na sepultura de Eliseu; e, logo que o cadáver tocou os ossos de Eliseu, reviveu o homem e se levantou sobre os pés" (2 Reis 13:21). Parece que Deus escolheu demonstrar seu poder através do profeta mesmo depois da sua morte.

Jesus falou de Eliseu em Lucas 4:27. O povo havia rejeitado Jesus em Nazaré e Ele disse-lhes que "nenhum profeta é bem recebido na sua própria terra" (Lucas 4:24). Jesus disse que havia muitos leprosos em Israel no tempo de Eliseu, mas apenas Naamã, um sírio, foi curado.

Um estudo da vida de Eliseu revelará a humildade do profeta (2 Reis 2:9; 3:11), seu amor óbvio pelo povo de Israel (2 Reis 8:11-12) e sua fidelidade em um ministério vitalício. Eliseu foi obediente ao chamado de Deus, seguindo Elias avidamente e fielmente. Eliseu claramente acreditava em Deus e confiava nEle. Eliseu buscou a Deus e, por meio dele, Deus trabalhou poderosamente.

English


Voltar à página principal em português

O que podemos aprender com a vida de Eliseu?

Assine a pergunta da semana