O que a Bíblia diz sobre usar drogas?


Pergunta: "O que a Bíblia diz sobre usar drogas?"

Resposta:
A Bíblia não aborda diretamente qualquer forma de uso de drogas ilícitas. Não há proibições expressas contra cocaína, heroína, ecstasy (MDMA) ou metanfetaminas (Meth). Não há menção de maconha, cânabis, peiote, cogumelos mágicos ou ácidos (LSD). Nada é dito sobre bufar, cheirar, soltar, fumar, atirar, lamber ou qualquer outro método de ingestão. Isso não quer dizer, no entanto, que o uso de drogas recreativas seja permissível. Pelo contrário, existem vários princípios bíblicos muito claros que colocam o uso de drogas bem fora do âmbito do comportamento aceitável.

Para começar, os cristãos estão sob o mandato universal de respeitar e obedecer às leis da terra (Eclesiastes 8:2-5; Mateus 22:21; 23:2-3; Romanos 13:1-7; Tito 3:1; 1 Pedro 2:13-17). O ÚNICO caso em que podemos desobedecer às leis da terra é quando violam quaisquer imperativos divinos (Daniel 3 e 6; Atos 5:29). Não há outras exceções a essa regra. Ao contrário da crença popular, simplesmente discordar de uma lei não constitui uma licença para violá-la.

Muitos têm argumentado que a maconha não precisa de proibição. Alega-se que desafiar a lei para fumar maconha seja justificável com base nesses argumentos e à luz (da suposta hipocrisia) da proibição dessa erva enquanto o consumo de nicotina e álcool é permitido. Aqueles que discutem esse ponto podem ser sinceros em sua convicção, mas estão, no entanto, equivocados. O desdém sincero pela lei não justifica a impunidade em relação a ela, como nosso próprio Senhor deixou claro. Enquanto repreendia os fariseus por transformar a Lei de Moisés em um jugo excessivamente opressivo, Cristo ainda exigia que Seus discípulos se submetessem às suas exigências injustamente severas (Mateus 23:1-36, especialmente 1-4). A submissão obediente à autoridade e perseverança paciente através do sofrimento injusto e/ou injustiça percebida (1 Pedro 2:18-23) é o padrão elevado de Deus para nós, mesmo que isso signifique ter que se abster da maconha em conformidade com a legislação "injusta".

Não apenas devemos nos submeter à autoridade, mas os cristãos renascidos são ainda compelidos por um mandato de viver de forma irrepreensível por causa do Evangelho (1 Coríntios 10:32; 2 Coríntios 4:2; 6:3; Tito 2:1-8; 2 Pedro 3:14). Escusado será dizer que a criminalidade é altamente repreensível.

Obviamente, este primeiro princípio não impacta os usuários de drogas que vivem em países como os Países Baixos, onde o uso de drogas recreativas é legal e permissível. Existem, no entanto, princípios mais universalmente aplicáveis. Por exemplo, os cristãos são todos obrigados a serem bons administradores do que Deus nos confiou, independentemente de nossa identidade nacional (Mateus 25:14-30). Isso inclui nossos corpos terrestres. Infelizmente, o uso de drogas ilícitas é uma maneira extremamente eficaz de destruir a sua saúde, não apenas fisicamente, mas também mentalmente e emocionalmente.

A maconha, embora seja a menos nociva de todas as drogas ilícitas, ainda é potencialmente letal. Os entusiastas da maconha ("maconheiros") se consolam com o fato de que, ao contrário da maioria das outras drogas ilícitas, é aparentemente impossível ter uma overdose fatal por meio do consumo normal (ou seja, fumar). No entanto, isso não diminui em nada os riscos potencialmente fatais de câncer de pulmão, enfisema e outras formas de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) causadas pelo fumo da maconha. Embora a maconha possa ser ingerida sem fumar, eliminando assim esses riscos, ainda existem consequências fisiológicas e psicológicas negativas, inclusive danos ao sistema reprodutivo, sistema imunológico e capacidade cognitiva.

Além da boa administração, como cristãos, nossos corpos não são nossos. Nós fomos "comprados por preço" (1 Coríntios 6:19-20), não "mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro… mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo" ( 1 Pedro 1:17-19). Tendo nos comprado com a própria vida, Cristo se deleitou em criar em nós algo inteiramente novo, algo um tanto bizarro. Por habitar em nós com o Seu Espírito, Ele nos transformou em templos orgânicos. Sendo assim, cuidar de nossa saúde não é apenas uma questão de boa administração. É uma questão de reverência religiosa. Isso é tanto maravilhoso quanto aterrorizante.

Outro princípio bíblico diz respeito à nossa suscetibilidade ao engano. Como criaturas falíveis, somos propensos à ilusão. E já que somos os objetos da intensa afeição de Deus, Seus inimigos são nossos inimigos. Isso inclui o inimigo principal, o diabo, o pai da mentira (João 8:44), um adversário bastante formidável e determinado. Todas as exortações apostólicas para permanecermos sóbrios e alertas (1 Coríntios 15:34; 1 Tessalonicenses 5:4-8; 2 Timóteo 4:5; 1 Pedro 1:13; 4:7; 5:8) são projetadas para nos lembrar que devemos estar vigilantes contra as artimanhas do diabo (1 Pedro 5:8), o qual procura nos enredar através do engano. A sobriedade também é importante para a oração (1 Pedro 4:7), assim como a obediência a Deus (Isaías 1:10-17).

Quanto à dependência de drogas, nem todas as drogas ilícitas são fisicamente viciantes. No entanto, são todas psicologicamente viciantes. Embora a maioria das pessoas esteja familiarizada com a dependência física, pela qual o corpo se torna fisicamente dependente de uma substância a fim de ser capaz de funcionar adequadamente, o vício psicológico é menos conhecido. A dependência psicológica é uma escravização da mente, muitas vezes caracterizada por tendências obsessivas e falta de vontade de parar. Enquanto o vício físico leva o corpo à sujeição, o vício psicológico traz a vontade à submissão. Os usuários tendem a dizer coisas como: "Eu poderia parar se quisesse, mas simplesmente não quero". Essa atitude tende a garantir um padrão do uso de drogas a longo prazo, por meio do qual os usuários se tornam devotos, desafiando um princípio bíblico muito pungente. O fato é que ninguém pode servir sinceramente a dois senhores (Mateus 6:24; Lucas 16:13). Qualquer tempo gasto ajoelhado diante do deus das drogas é tempo gasto com as costas para o Deus da Bíblia.

Em resumo, a Bíblia nos ensina que "renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente" (Tito 2:12).

English
Voltar à página principal em português

O que a Bíblia diz sobre usar drogas?

Assine a pergunta da semana