Será que orar usando Escrituras tem maior eficácia do que outras orações?


Pergunta: "Será que orar usando Escrituras tem maior eficácia do que outras orações?"

Resposta:
Algumas pessoas têm descoberto que o uso de versículos bíblicos em suas orações é uma maneira eficaz de orar. "Orar a Escritura de volta a Deus" parece ajudar a concentrar a mente e assegurar que o assunto da oração é agradável a Deus.

Tiago 5:16 diz: ".... Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo." 1 João 5:14-15 diz: "E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito." A palavra eficácia significa "suficiente para produzir um resultado desejado". Súplica significa "oração constante, extenuante e intensa". Tiago e João estão ambos nos dizendo que, para que nossas orações sejam efetivas, elas devem ser fervorosas, significativas e de acordo com a vontade de Deus.

Uma maneira de saber que nossas orações são de acordo com a vontade de Deus é orar Escrituras específicas que expressem o que está em nossos corações. As Escrituras não devem ser usadas como um tipo de canto mágico, repetidas sem pensar como se as próprias palavras tivessem poder. O poder da oração vem apenas de Deus a um coração que é "fervoroso". Entretanto, quando encontramos um comando ou promessa que expressa o que está em nossos corações, sabemos que estamos concordando com Deus quando a usamos como uma oração. É, afinal, a Sua Palavra. Quanto mais memorizarmos e meditarmos sobre a Bíblia, mais ela se torna parte de nós. A verdade que temos estudado vem à mente quando estamos orando e muitas vezes é a resposta que estamos procurando. Muitas vezes, quando não sabemos o que orar, a Escritura pode nos dar as palavras. Os Salmos contêm centenas de orações, e muitos deles já colocaram nossos pensamentos em palavras.

Jesus nos dá o nosso melhor exemplo de oração eficaz. Sua oração mais longa a ser registrada é a Sua "Oração do Sumo Sacerdote", encontrada em João 17. A primeira coisa que notamos é a unidade de espírito que Jesus tem com o Pai. Ele começa dizendo: "Pai, é chegada a hora." Jesus não estava dizendo ao Pai nada que Ele não já soubesse. Em vez disso, Jesus estava reconhecendo que estavam de acordo. Ele passou tanto tempo em oração fervorosa que conhecia o coração do Pai. Esse é o objetivo da oração efetiva: compreender o coração de Deus e alinhar nossas vontades com a Sua. Seja usando nossas próprias palavras ou aquelas escritas há dois mil anos, a chave para a oração efetiva é que venha do coração e busque a vontade de Deus.

Orar a Escritura como um ato de dedicação pessoal é uma boa maneira de saber que estamos orando efetivamente. Por exemplo, podemos tomar Gálatas 2:20 e usá-lo como uma oração de consagração. Tal oração pode parecer algo assim: "Pai, hoje fui crucificado com Cristo. Não sou mais eu quem vive, mas Cristo vive em mim. Esta vida que vivo hoje será vivida pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim." Ao orar assim, tomamos o coração de Deus e tornamo-lo nosso objetivo. Não há nada mágico nas palavras, mas podemos saber que estamos orando dentro da vontade de Deus quando usamos a Sua Palavra como nosso modelo.

Devemos ter cuidado para não tratar as Escrituras como se cada passagem fosse escrita especificamente para nossa situação. Não podemos tirar versículos fora do contexto simplesmente porque queremos que sejam verdadeiros para nós. Por exemplo, Deus prometeu a Salomão "riquezas, bens e honra" em 2 Crônicas 1:11-12. Não obstante, não podemos orar esse versículo como se Deus tivesse feito essa promessa a nós. Não podemos procurar por versículos isolados que dizem o que queremos que digam e então "reivindicá-los" a nossa situação. Há momentos, no entanto, quando Deus impressiona um certo versículo em nossos corações como Sua mensagem pessoal para nós, e podemos e devemos orar sobre isso.

Se tentarmos aplicar cada versículo como se afetasse diretamente nossas próprias vidas, teríamos problemas com versículos como 1 Samuel 15:3: “Vai, pois, agora, e fere a Amaleque, e destrói totalmente a tudo o que tiver.... " Devemos sempre ler a Escritura dentro do seu contexto e aprender mais sobre Deus com os princípios que encontramos. Deus pode usar essa passagem para nos falar sobre totalmente destruir a mundanidade em nossas vidas, sem deixar nenhum resto. Nesse caso, poderíamos orar: "Senhor, assim como disseste aos israelitas que destruíssem totalmente tudo o que representava o mal dos amalequitas, quero destruir deuses falsos em minha vida e não deixar nada além de Ti. Purifique meu coração assim como purificaram suas terras".

A oração efetiva e fervorosa pode vir da Escritura ou das profundezas de nossos próprios corações. O objetivo ao crescermos é que os dois se entrelacem. Mesmo na cruz em meio ao sofrimento horrível, Jesus clamou as palavras do Salmo 22: "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" Muitos estudiosos acreditam que Ele estava citando a passagem inteira enquanto estava pendurado na cruz, orando-a de volta a Deus como um ato de adoração até mesmo na morte. Quanto mais aprendemos e personalizamos as Escrituras, mais nossas orações refletirão a vontade de Deus e serão mais eficazes.

English


Voltar à página principal em português

Será que orar usando Escrituras tem maior eficácia do que outras orações?

Assine a pergunta da semana