Por que os cristãos se opõem à igualdade matrimonial?



 

Pergunta: "Por que os cristãos se opõem à igualdade matrimonial?"

Resposta:
A "igualdade matrimonial" é uma frase-chave usada no debate do casamento gay/casamento homossexual em alguns países. O termo "igualdade matrimonial" é uma tentativa de reformular a conversa e atribuir um certo nível de irracionalidade àqueles que se opõem ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Opor-se ao reconhecimento das uniões homossexuais como casamentos é uma coisa. Entretanto, é muito mais difícil se opor à "igualdade" nos direitos matrimoniais. No entanto, anexar um novo rótulo à causa não altera os principais problemas no debate. Se "igualdade matrimonial" significa "casamento gay", os cristãos devem se opor à causa.

Por que os cristãos se opõem à igualdade matrimonial? A pergunta em si é enganosa. Nem todos os cristãos se opõem à igualdade matrimonial, ao casamento gay ou a qualquer nome que a causa receba. Muitos cristãos defendem que as uniões homossexuais sejam legalmente reconhecidas como casamentos. Tais cristãos geralmente afirmam que a moralidade sexual não deveria ser legislada e que, numa sociedade livre, as pessoas deveriam se casar com quem quiserem. Biblicamente falando, este é um erro trágico.

A Bíblia é bastante clara que a homossexualidade é um pecado antinatural (Levítico 18:22; Romanos 1:26-27; 1 Coríntios 6:9). A Bíblia apresenta o casamento como uma invenção de Deus, e Deus o definiu como uma aliança entre um homem e uma mulher por toda a vida (Gênesis 2:24; 1 Coríntios 7:2-16; Efésios 5:23-33). Biblicamente falando, uma união homossexual não é um casamento. Não importa se o governo legisla uma nova definição de casamento. Não importa se a sociedade for esmagadoramente a favor do casamento do mesmo sexo. Uma união homossexual sempre foi, e sempre será, uma perversão da criação de Deus.

Nas sociedades modernas que são cada vez mais seculares e não-cristãs, o debate da igualdade matrimonial será eventualmente vencido pelo movimento de direitos dos homossexuais. Salvo o arrependimento nacional e a renovação da fé cristã, as uniões homossexuais serão oficialmente reconhecidas como casamentos válidos, com todos os direitos e privilégios. No entanto, independentemente da sociedade, não se pode mudar o fato de que os seguidores de Cristo devem se alinhar e se submeter a Sua Palavra. E a Sua Palavra declara inequivocamente que o casamento é entre um homem e uma mulher. Como cristãos, aceitamos o fato de que vivemos em nações seculares e ímpias, mas estimamos a imutável Palavra de Deus sobre os costumes moduladores da sociedade. "... Seja Deus verdadeiro, e mentiroso, todo homem..." (Romanos 3:4).

Os cristãos não precisam lutar contra os casais homossexuais sendo concedidos uniões civis e os benefícios governamentais que essas uniões proporcionam. Os incentivos fiscais, os direitos de herança, os direitos de visitação hospitalar, etc., não são abordados na Bíblia. No entanto, quando se trata da definição de casamento, os cristãos devem permanecer firmes. Deus criou o casamento. Nenhum ser humano tem o direito ou autoridade para redefini-lo. Não importa o que os governos e as sociedades sancionem, as uniões homossexuais nunca terão verdadeira igualdade com casamentos heterossexuais.


Voltar à página principal em português

Por que os cristãos se opõem à igualdade matrimonial?