settings icon
share icon
Pergunta

O que é hilomorfismo antropológico?

Resposta


Mais intimamente associado aos ensinamentos de Aristóteles e Tomás de Aquino, o hilomorfismo antropológico é uma visão da relação entre corpo e alma.

Hilomorfismo é a teoria de que “matéria” (pura essência abstrata) se combina com “forma” (aquilo que dá a algo sua natureza) para formar “substância” (o que normalmente consideramos matéria). Por exemplo, a argila não formada pode ser moldada e endurecida para fazer um tijolo - a argila é a “matéria” e a forma e a dureza são a “forma”; o tijolo é a "substância" resultante.

O hilomorfismo antropológico aplica essa teoria à natureza do homem. Como o corpo, a alma e o espírito se relacionam? A maioria das discussões cristãs sobre esse assunto gira em torno do debate da tricotomia versus dicotomia. Ambas as visões indicam alguma separação entre alma e corpo. Aristóteles, Tomás de Aquino e outros sustentaram que o corpo é “matéria” e a alma é a “forma” que dá à pessoa sua natureza. Eles também acreditavam que forma e matéria são inextricavelmente combinadas e dependentes uma da outra. Um tijolo não pode ser um tijolo sem a combinação de argila, dureza e uma forma particular. Da mesma forma, um humano não pode ser humano sem a combinação de corpo e alma.

O próprio termo hilomorfismo antropológico significa “matéria” (hylos) e “forma” (morfos) de “homem” (anthropos). Aristóteles emprestou esses termos de Platão, cujas opiniões sobre o assunto foram ilustradas em sua parábola da caverna em A República. Aristóteles ensinou que nenhuma matéria pode existir sem obedecer a uma forma, e nenhuma forma pode existir sem ter uma presença na matéria. Assim, Aristóteles ensinou que o corpo não pode viver sem a alma, e a alma não pode viver sem o corpo (não pode haver vida após a morte).

Aquino não foi tão enfático sobre a inseparabilidade da forma e da matéria. Como sacerdote dominicano, Tomás de Aquino tinha grande consideração pelas Escrituras, o que indica que uma separação é possível. Versículos como Mateus 10:28 ensinam que o corpo e a alma não são mutuamente dependentes: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma.” Talvez o argumento mais forte contra o rigoroso hilomorfismo aristotélico esteja em 1 Coríntios 15:40, onde Paulo escreve sobre a ressurreição: “Também há corpos celestiais e corpos terrestres.”

No entanto, Tomás de Aquino foi capaz de combinar o hilomorfismo com os princípios cristãos essenciais. Ele afirmou que, embora a alma e o corpo estejam ligados, a alma pode sobreviver sem o corpo. A alma está simplesmente incompleta até que seja reencarnada. A alma ou “forma” de um ser humano existe em um estado não natural até que Deus ressuscite o corpo. Dessa forma, Tomás de Aquino explicou a transição entre a morte do corpo terreno e a ressurreição de um corpo celestial. Ter um corpo, de acordo com Tomás de Aquino, é essencial para ser humano e, portanto, a humanidade não pode ser aperfeiçoada sem ele.

English



Voltar à página principal em português

O que é hilomorfismo antropológico?
Assine a

Pergunta da Semana

Comparte esta página: Facebook icon Twitter icon Pinterest icon Email icon
© Copyright Got Questions Ministries