GotQuestions.org > Português > Perguntas sobre igreja > governo da igreja

O que a Bíblia tem a dizer sobre a forma de governo da igreja?


Pergunta: "O que a Bíblia tem a dizer sobre a forma de governo da igreja?"

Resposta:
O Senhor foi muito claro em Sua Palavra sobre como deseja que a Sua igreja na Terra seja organizada e administrada. Primeiro, Cristo é o cabeça da igreja e sua autoridade suprema (Efésios 1:22; 4:15; Colossenses 1:18). Segundo, a igreja local deve ser autônoma, livre de qualquer autoridade ou controle externo, com o direito de autogoverno e livre da interferência de qualquer hierarquia de indivíduos ou organizações (Tito 1:5). Terceiro, a igreja deve ser governada por uma liderança espiritual que consiste de suas ocupações principais - presbíteros e diáconos.

Os "anciãos" eram um corpo de liderança entre os israelitas desde o tempo de Moisés. Nós os encontramos tomando decisões políticas (2 Samuel 5:3; 2 Samuel 17:4, 15), aconselhando o rei mais tarde na história (1 Reis 20:7) e representando o povo em assuntos espirituais (Êxodo 7:17; 24:1, 9; Números 11:16, 24-25). A antiga tradução grega do Antigo Testamento, a Septuaginta, usou a palavra grega presbuteros para “ancião”. Essa é a mesma palavra grega usada no Novo Testamento que também é traduzida como “presbítero”.

O Novo Testamento refere-se várias vezes a presbíteros que serviram no papel de liderança da igreja (Atos 14:23, 15:2, 20:17; Tito 1:5; Tiago 5:14) e aparentemente cada igreja tinha mais de um, já que a palavra é normalmente encontrada no plural. As únicas exceções referem-se a casos em que um presbítero estava sendo destacado por algum motivo (1 Timóteo 5:1, 19). Na igreja de Jerusalém, os presbíteros faziam parte da liderança junto com os apóstolos (Atos 15:2-16:4).

Parece que a posição de ancião era igual à posição de episkopos, traduzida como “presbítero” ou “bispo” (Atos 11:30; 1 Timóteo 5:17). O termo presbítero pode se referir à dignidade do ofício, enquanto o termo bispo descreve sua autoridade e deveres (1 Pedro 2:25, 5:1-4). Em Filipenses 1:1, Paulo saúda os bispos e diáconos, mas não menciona os presbíteros, presumivelmente porque os presbíteros são os mesmos que os bispos ou anciãos. Da mesma forma, 1 Timóteo 3:2, 8 dá as qualificações de bispos e diáconos, mas não de presbíteros. Tito 1:5-7 também parece ligar esses dois termos.

A posição de “diácono”, de diakonos, que significa “pela sujeira”, era uma das lideranças servas da igreja. Os diáconos são separados dos presbíteros, embora tenham qualificações que, em muitos aspectos, são semelhantes (1 Timóteo 3:8-13). Os diáconos ajudam a igreja no que for necessário, conforme registrado no capítulo 6 de Atos.

Com relação à palavra poimen, traduzida “pastor” em referência a um líder humano de uma igreja, é encontrada apenas uma vez no Novo Testamento, em Efésios 4:11: “E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres.” A maioria associa os dois termos “pastores” e “mestres” como referindo-se a uma única posição, um pastor-mestre. É provável que um pastor-mestre fosse o pastor espiritual de uma igreja local em particular.

Parece, pelas passagens acima, que sempre houve uma pluralidade de presbíteros/anciãos, mas isso não nega Deus dando a certos presbíteros em particular os dons de ensino, enquanto dava aos outros o dom da administração, oração, etc. (Romanos 12:3-8; Efésios 4:11). Tampouco nega que Deus os esteja chamando para um ministério no qual usarão esses dons (Atos 13:1). Assim, um presbítero pode emergir como o “pastor”, outro pode fazer a maioria das visitas aos membros porque tem o dom da compaixão, enquanto outro pode “governar” no sentido de lidar com os detalhes organizacionais. Muitas igrejas que são organizadas com um conselho pastoral e de diáconos desempenham as funções de uma pluralidade de anciãos na medida em que compartilham a carga ministerial e trabalham juntos em tomar decisões. Nas Escrituras, havia também muitas contribuições congregacionais nas decisões. Assim, um líder “ditador” que toma as decisões (quer seja chamado de presbítero, bispo ou pastor) é antibíblico (Atos 1:23, 26; 6:3, 5; 15:22, 30; 2 Coríntios 8:19). Também é antibíblico que uma igreja seja dominada pela congregação e não considere a contribuição dos presbíteros ou líderes da igreja.

Em resumo, a Bíblia ensina uma liderança que consiste de uma pluralidade de presbíteros (bispos/anciãos) junto com um grupo de diáconos que servem à igreja. No entanto, não é contrário a essa pluralidade de anciãos ter um deles servindo no principal papel “pastoral”. Deus chama alguns de “pastores/mestres” (assim como Ele chamou alguns para serem missionários em Atos 13) e os dá como presentes para a igreja (Efésios 4:11). Assim, uma igreja pode ter muitos presbíteros, mas nem todos eles são chamados para servir no papel pastoral. Mas, como um dos presbíteros, o pastor ou “mestre” não tem mais autoridade na tomada de decisões do que qualquer outro presbítero.

English
Voltar à página principal em português

O que a Bíblia tem a dizer sobre a forma de governo da igreja?

Descubra como ...

receber a vida eterna



receber o perdão de Deus



Assine a pergunta da semana