O que são falsos apóstolos?


Pergunta: "O que são falsos apóstolos?"

Resposta:
Os falsos apóstolos são pessoas que se disfarçam de líderes cristãos, influenciam outras pessoas a segui-los e depois os desencaminham. Um verdadeiro apóstolo é aquele “enviado” por Deus como um embaixador de Jesus Cristo com uma mensagem divina. Um falso apóstolo é um fingidor que não verdadeiramente representa a Cristo e cuja mensagem é falsa.

Em 2 Coríntios 11, o apóstolo Paulo aborda o problema dos falsos apóstolos invadindo a igreja dos Coríntios. Ele descreve os falsos apóstolos como “aqueles que a buscam com o intuito de serem considerados iguais a nós, naquilo em que se gloriam” (versículo 12). O livro de 2 Coríntios é uma das cartas mais “sarcásticas” de Paulo, pois ele contende com a igreja para reconhecer o erro que tinha se infiltrado em seu meio. Ele contrasta seu serviço altruísta com o dos “apóstolos” (versículo 5) que estavam seduzindo a igreja com sua fala suave e aparente sabedoria. Esses impostores fingiam ser verdadeiros servos de Cristo, mas não conheciam o Senhor. Eles eram enganadores, predando cristãos ingênuos em Corinto para lucrarem e impulsionarem seu ego. Paulo repreende a igreja porque “Tolerais quem vos escravize, quem vos devore, quem vos detenha, quem se exalte, quem vos esbofeteie no rosto” (versículo 20). Ele até compara esses impostores ao próprio Satanás, que também se “transforma em anjo de luz” (versículo 14).

Paulo também advertiu os anciãos de efésios sobre os falsos apóstolos: “Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho” (Atos 20:29). Eles devem ter prestado atenção a suas palavras porque em Apocalipse 2:2 Jesus elogia a igreja em Éfeso por identificar os falsos apóstolos no meio deles e rejeitá-los.

Falsos mestres e falsos apóstolos têm sido abundantes em toda a história da igreja. Eles ainda infiltram igrejas desavisadas e têm até mesmo levado denominações inteiras à heresia e apostasia (ver 1 Timóteo 4:1–4). As escrituras nos advertem claramente se prestarmos atenção. 1 João 4:1 diz: “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora.”

Leia a seguir algumas maneiras de identificar falsos apóstolos:

1. Os falsos apóstolos negam uma ou todas as verdades sobre a identidade e divindade de Jesus Cristo. Em 1 João 4:2–3, João adverte seus leitores contra o ensinamento gnóstico; o teste, diz ele, é cristológico: “Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo.” Há muitas maneiras pelas quais um espírito possa negar que Jesus é o Cristo. De cultos demoníacos a denominações que se afastaram do evangelho, espíritos malignos estão sempre por trás da calúnia de Jesus. Qualquer mestre que tente tirar ou adicionar à obra consumada de Jesus na cruz para nossa salvação é um falso mestre (João 19:30; Atos 4:12).

2. Os falsos apóstolos são motivados por sua ganância, luxúria ou poder. 2 Timóteo 3:1–8 descreve esses instrutores com mais detalhes: “Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes. Pois entre estes se encontram os que penetram sorrateiramente nas casas e conseguem cativar mulherinhas sobrecarregadas de pecados, conduzidas de várias paixões, que aprendem sempre e jamais podem chegar ao conhecimento da verdade. E, do modo por que Janes e Jambres resistiram a Moisés, também estes resistem à verdade. São homens de todo corrompidos na mente, réprobos quanto à fé.” Jesus disse que uma marca identificadora de um falso apóstolo/profeta é um comportamento pecaminoso: “Pelos seus frutos os conhecereis” (Mateus 7:16, 20; cf. Judas 1:4).

3. Os falsos apóstolos distorcem ou negam que a Bíblia seja a Palavra infalível e inspirada de Deus (2 Timóteo 3:16). Em Gálatas 1:8–9, Paulo contesta o legalismo com estas palavras fortes: “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema.” Os escritos inspirados dos apóstolos fazem parte da Palavra de Deus e ninguém tem o direito de mudar sua mensagem.

4. Os falsos apóstolos se recusam a submeter-se às autoridades espirituais, mas consideram-se a autoridade final (Hebreus 13:7; 2 Coríntios 10:12). Frequentemente adotam títulos de alto nível para si próprios, como “Bispo”, “Apóstolo”, “Reverendo” ou “Pai”. Isso não significa que toda pessoa portadora desses títulos seja um falso apóstolo, apenas que os impostores perversos amam títulos elevados e se auto-titulam para ganhar uma audiência.

Os falsos apóstolos podem surgir em qualquer lugar onde a Palavra de Deus não reine suprema. De igrejas organizadas a estudos bíblicos domiciliares, devemos estar sempre alertas contra “novos ensinamentos” ou “revelações” que não estejam sujeitos a “todo desígnio de Deus” (Atos 20:27).

English
Voltar à página principal em português

O que são falsos apóstolos?

Assine a pergunta da semana