Deve um cristão declarar falência?


Pergunta: "Deve um cristão declarar falência?"

Resposta:
Embora a Bíblia não aborde a falência em si, temos alguns princípios que podem ser aplicados e, portanto, nos ajudam a fazer alguns julgamentos.

Princípio Bíblico # 1. Temos a responsabilidade de cumprir nossas promessas e pagar o que devemos. Eclesiastes 5:4-5 diz: “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes. Melhor é que não votes do que votes e não cumpras.”

Princípio Bíblico # 2. Viver de empréstimo e não pagar o que devemos é uma característica dos ímpios. O Salmo 37:21 diz: "O ímpio pede emprestado e não paga; o justo, porém, se compadece e dá." Os cristãos não devem comportar-se da mesma maneira que "os ímpios".

É apropriado que um cristão endividado obtenha uma "solução rápida" para seu problema e declare falência? Com base nesses versículos, a resposta é "Não". Um cristão é obrigado a pagar o que concordou em pagar, sob os termos originais do contrato. Pode significar uma mudança de estilo de vida e uma revisão radical do orçamento, mas a boa administração do dinheiro faz parte de uma vida piedosa.

Existem certos tipos de falência que são projetados para adiar o pagamento, em vez de evitá-lo. Em tais casos, a dívida não é apagada, e tal pedido de falência comunica sua intenção de pagar a dívida. A proteção legal é estendida até que se obtenha a capacidade de pagar. Esse tipo de falência não violaria os princípios bíblicos discutidos acima e seria, para o cristão individual, uma questão de consciência.

English
Voltar à página principal em português

Deve um cristão declarar falência?

Assine a pergunta da semana