settings icon
share icon
Pergunta

Como posso superar o meu espírito crítico?

Resposta


Um espírito crítico não é difícil de reconhecer. Seu fruto é geralmente evidente. Alguém com um espírito crítico é propenso a reclamar, a ter uma visão pessimista da vida, a lamentar expectativas não atendidas, a sentir o fracasso (nos outros mais do que em si mesmo) e a ser julgador. Os espíritos críticos não são divertidos; nem são divertidos de possuir.

Como acontece com a maioria dos pecados, ter um espírito crítico é uma perversão de algo que Deus fez para ser bom – neste caso, um anseio por Deus e Sua perfeição. Eclesiastes 3:11 diz: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.” Vivemos em um mundo caído e muitas vezes estamos impacientes para entrar na gloriosa perfeição para a qual fomos originalmente criados. De certa forma, é bom que possamos ver o que está faltando neste mundo; afinal, o mundo não é como deveria ser, nem nós somos como deveríamos ser. Reconhecer a insuficiência do mundo nos ajuda a reconhecer nossa necessidade de um Salvador. No entanto, ter um espírito crítico pode nos cegar para a graça e a beleza que Deus continua a conceder todos os dias. Um espírito crítico também pode ser visto como uma perversão do discernimento. Muitas vezes, os acusados de ter um espírito crítico fazem argumentos válidos. Eles apenas fazem seus pontos de uma maneira intragável.

Obviamente, espíritos críticos são destrutivos, derrubando tanto o receptor das críticas quanto quem as faz (Gálatas 5:14-15). A Bíblia fala contra tal julgamento crítico. Em Mateus 7:1-2 Jesus diz: "Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois com o julgamento que pronunciares, serás julgado, e com a medida que usares, será medido a ti." Jesus não está dizendo que não devemos ter discernimento ou que devemos ignorar a natureza caída do mundo. Ele também não está dizendo que nunca podemos, sob nenhuma circunstância, criticar outra pessoa. Na verdade, a Bíblia nos diz que devemos julgar corretamente (João 7:24). No entanto, não devemos criticar com intenção maliciosa ou por orgulho, hipocrisia ou justiça própria. Não podemos presumir que somos imparciais ou que podemos exigir de forma justa nossos padrões sobre os outros. Os humanos têm corações naturalmente enganosos (Jeremias 17:9) que permitem pontos cegos e comparações inadequadas. Somente Deus pode julgar com perfeita precisão (Hebreus 4:12; Tiago 4:11-12; 1 Samuel 16:7; 1 Crônicas 28:9; Isaías 11:4; Apocalipse 19:11). E nosso discernimento só é válido quando informado por uma natureza renovada em Cristo (2 Coríntios 2:14-16; João 16:13). Somente quando estivermos submetidos a Cristo e honestos com nós mesmos é que o nosso julgamento servirá para edificar ao invés de destruir.

Então, como superamos um espírito crítico? A condição do nosso coração é crucial. Lucas 6:45 diz: “O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal; porque a boca fala do que está cheio o coração.” Palavras críticas brotam de um coração crítico. E um coração crítico geralmente vem de um mal-entendido da graça de Deus - seja por orgulho ou por uma simples falta de informação sobre o caráter de Deus e o significado da salvação. Somente quando entendermos nossa depravação à parte de Deus e a profundidade da Sua graça é que poderemos conceder graça a outros (Romanos 3:23; 6:23; Colossenses 2:13-15; Efésios 2:1-10). Aqueles que lutam com um espírito crítico sabem que nunca poderão viver de acordo com seus próprios padrões. Eles estão constantemente julgando aos outros e a si mesmos e sempre aparecendo em falta. Mas Cristo preenche esta falta! Ele é perfeito e justo, e concede livremente essa justiça àqueles que creem nEle (2 Coríntios 5:21). Quanto melhor entendermos a graça de Deus, mais graciosos seremos com os outros (1 Pedro 2:1-3). E mais gratos seremos. A ação de graças é um forte antídoto para o espírito crítico.

Outra área importante são nossos pensamentos (Romanos 12:1-2; 2 Coríntios 10:5). Em vez de focar no que está faltando, devemos pensar no que é verdadeiro, respeitável, justo, puro, amável, de boa fama, de alguma virtude e louvável (Filipenses 4:8). Isso não quer dizer que devemos ignorar a falsidade, a injustiça, a feiura ou a imperfeição. No entanto, não devemos nos debruçar sobre os negativos. Paulo instruiu os efésios sobre isso: "Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, de quem todo o corpo…. efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor… Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem….. Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou" (Efésios 4:15-16, 29, 31-32). Claro, as coisas poderiam ser melhores do que são, mas o amor cobre muitos pecados (Provérbios 10:12). O perdão é uma prioridade. Como o Corpo de Cristo, falamos com um coração de amor para edificar uns aos outros. Um espírito crítico serve apenas para derrubar (Efésios 4:1-3; Gálatas 6:1-5).

Também pode ser útil nos lembrarmos de que não conhecemos os pensamentos e intenções dos outros. Às vezes, o comportamento reflete a motivação, mas nem sempre. Antes de fazer uma observação crítica (em voz alta ou para nós mesmos), devemos fazer uma pausa e considerar outras possibilidades. Será que essa pessoa é realmente um idiota indiferente, ou talvez esteja passando por uma situação difícil e precisando de graça? A Regra de Ouro é uma ferramenta muito útil.

Um espírito crítico destrói aqueles que nos rodeiam e nos rouba a nossa própria capacidade de aproveitar a vida. Quando nos tornamos excessivamente críticos, perdemos a beleza que Deus colocou neste mundo. Pequenas bênçãos passam despercebidas e deixamos de ser gratos. Superar um espírito crítico requer gratidão, disposição para perdoar, uma compreensão precisa da graça de Deus (é grátis!), uma reorientação intencional de nossos pensamentos e um compromisso de compartilhar a verdade em amor. Superar um espírito crítico é uma questão de santificação, e temos a ajuda do Espírito Santo para isso (2 Tessalonicenses 2:13). À medida que nos submetemos a Deus, lemos Sua Palavra e oramos por graça, então descobriremos que o espírito crítico entrega o controle ao Espírito Santo de Cristo.

English



Voltar à página principal em português

Como posso superar o meu espírito crítico?
Assine a

Pergunta da Semana

Comparte esta página: Facebook icon Twitter icon Pinterest icon Email icon
© Copyright Got Questions Ministries