O que significa ser escravo do pecado?


Pergunta: "O que significa ser escravo do pecado?"

Resposta:
Todos são escravos no sentido espiritual. Somos escravos do pecado, que é o nosso estado natural, ou somos escravos de Cristo. Os escritores do Novo Testamento declararam voluntariamente sua posição como escravos de Cristo. Paulo inicia sua carta aos romanos referindo-se a si mesmo como um "servo de Jesus Cristo" (Romanos 1:1) e sua carta a Tito chamando a si mesmo de "servo de Deus" (Tito 1:1). Tiago inicia sua epístola da mesma forma: “Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo” (Tiago 1:1). A maioria das traduções diz “servo” nessas passagens, mas a palavra grega doulas significa, literalmente, “escravo”.

Em João 8:34, Jesus diz aos fariseus incrédulos: “Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado.” Ele usa a analogia de um escravo e seu mestre para argumentar que um escravo obedece a seu mestre porque pertence a ele. Os escravos não têm vontade própria. Estão literalmente no cativeiro de seus mestres. Quando o pecado é nosso mestre, somos incapazes de resistir a ele. Entretanto, pelo poder de Cristo para vencer o poder do pecado, somos "libertados do pecado” e fomos feitos “servos da justiça” (Romanos 6:18). Quando nos aproximamos de Cristo em arrependimento e recebemos perdão pelo pecado, somos capacitados pelo Espírito Santo que vem habitar em nós. É pelo Seu poder que somos capazes de resistir ao pecado e nos tornar escravos da justiça.

Os discípulos de Jesus pertencem a Ele e querem fazer as coisas que O agradam. Isso significa que os filhos de Deus O obedecem e vivem em liberdade do pecado habitual. Podemos fazer isso porque Jesus nos libertou da escravidão do pecado (João 8:36) e, portanto, não estamos mais sob sua pena da morte e da separação de Deus.

Romanos 6:1–23 vai ainda mais longe nessa ideia de um escravo e seu mestre. Como cristãos, não devemos continuar em pecado habitual porque morremos para o pecado. Romanos 6:4 diz que já que fomos sepultados e ressuscitados com Cristo, agora podemos andar nessa novidade de vida, ao contrário do descrente que ainda é escravo do pecado. Romanos 6:6 prossegue dizendo que, uma vez que sabemos que o nosso antigo “eu” foi crucificado com Ele para que nosso corpo de pecado fosse eliminado, não devemos mais ser escravos do pecado. E Romanos 6:11 diz que devemos nos considerar mortos para o pecado e vivos para Deus em Cristo Jesus.

Somos ordenados por Deus a não deixar que o pecado reine em nossos corpos, obedecendo a suas concupiscências, mas em vez disso devemos nos apresentar a Ele como instrumentos de justiça (Romanos 6:12-14). Romanos 6:16-18 nos diz que somos escravos daquele a quem obedecemos, seja de obediência ao pecado ou de obediência à justiça. Devemos ser escravos de Deus, pois foi dEle que recebemos nossos dons de santificação e vida eterna. Fazemos isso porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor (Romanos 6:23).

O apóstolo Paulo, o autor de Romanos, continua dizendo que sabe o quão difícil pode ser não viver em pecado porque ele lutou com isso mesmo depois de se tornar um seguidor de Cristo. Isso é importante que todos os cristãos saibam. Embora estejamos agora livres da pena do pecado, ainda vivemos na presença do pecado enquanto estivermos nesta terra. E a única maneira pela qual podemos ser livres do poder do pecado é pelo poder do Espírito Santo que é dado aos crentes no momento em que entramos na fé em Cristo (Efésios 1:13-14), e isso nos sela em Cristo como penhor de nossa herança como filhos de Deus.

A presença do Espírito Santo em nossas vidas significa que, à medida que crescemos em nossa fé e passamos a amar a Deus cada dia mais, teremos a força para resistir mais e mais ao pecado. Através do trabalho do Espírito Santo, temos o poder de resistir ao pecado, não ceder à sua tentação e viver de acordo com a Palavra de Deus. Pecados habituais tornar-se-ão mais abomináveis para nós, e nos veremos não querendo fazer nada que possa atrapalhar nossa comunhão com Deus.

Romanos 7:17-8:2 é um maravilhoso encorajamento para os crentes porque nos diz que, mesmo quando pecamos, não há mais condenação porque estamos em Cristo Jesus. E 1 João 1:9 nos assegura que, quando pecamos como cristãos, se confessarmos nossos pecados diários ao Senhor, Ele é fiel e justo e nos purificará desses pecados para que possamos continuar a viver em um relacionamento correto com Ele. Em todo o livro de Efésios, o apóstolo Paulo nos encoraja e nos exorta a andar como filhos da luz, amando uns aos outros como Cristo nos amou e a aprender o que é agradável ao Senhor e praticá-lo (Efésios 2:1–10; 3:16-19; 4:1-6; 5:1-10). Em Efésios 6:10–18, Paulo nos mostra como ser forte no Senhor, o que consiste de revestir-nos de toda a armadura de Deus a cada dia a fim de podermos resistir aos esquemas do Diabo.

Quando nos comprometemos, como seguidores de Cristo, a crescer e amadurecer em nossa fé ao ler e estudar a Palavra de Deus todos os dias e orar com Ele, seremos cada vez mais capazes de permanecer no poder do Espírito Santo e resistir ao pecado. As vitórias diárias sobre o pecado que temos em Cristo nos encorajarão, fortalecerão e demonstrarão de maneira poderosa que não somos mais escravos do pecado, mas escravos de Deus.

English
Voltar à página principal em português

O que significa ser escravo do pecado?

Assine a pergunta da semana