Se você tem um monte de dívidas, é possível parar temporariamente de dar o dízimo até quitá-las totalmente?



 

Pergunta: "Se você tem um monte de dívidas, é possível parar temporariamente de dar o dízimo até quitá-las totalmente?"

Resposta:
É permitido parar de dizimar para pagar as dívidas. Pagar dívidas é um dever; dizimar é "opcional". Por favor, não me interpretem mal -- doar para a obra do Senhor é muito importante. A doação financeira sacrificial faz parte do chamado de Deus para todos os cristãos. Se for realmente impossível pagar a dívida e continuar a dizimar ao mesmo tempo, não seria errado diminuir a doação, ou temporariamente parar por completo, a fim de quitar as dívidas.

Nosso único dever inalterável em relação a outras pessoas é que nós as amemos, lidando com elas como queremos que lidem conosco (Mateus 7:12). Todos nós queremos que os outros paguem as dívidas que nos devem. Portanto, como cristãos, "A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei. Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e, se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor" (Romanos 13:8-10).

A lei do dízimo da Antiga Aliança era a provisão de Deus para satisfazer as necessidades materiais dos sacerdotes da tribo de Levi. Eles precisavam de sustento a fim de ministrar no templo e atender às necessidades dos pobres (Números 18:26, Deuteronômio 26:12-15). Portanto, quando os israelitas não deram o dízimo no templo, Deus advertiu: "Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas" (Malaquias 3:8).

O escritor de Hebreus revelou, na linguagem original, que o dízimo era um décimo da renda de um homem: "Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos, embora tenham estes descendido de Abraão" (Hebreus 7:5). O sacerdócio levítico continuou a servir no templo durante toda a vida terrena de Jesus. Mas, depois da morte, ressurreição e ascensão do Senhor Jesus, a estrutura da liderança mudou: "Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei" (Hebreus 7:12). Cristo é agora o nosso Sumo Sacerdote. Os cristãos são agora o templo de Deus e o Seu sacerdócio real (Hebreus 4:14-15; 1 Coríntios 6:19-20, 1 Pedro 2:9-10).

O nosso Sumo Sacerdote ministra a Nova Aliança para nós (a lei de Deus escrita em nossos corações) dando-nos o Espírito Santo (Hebreus 12:24; 10:16). Esta lei opera poderosamente, levando-nos a amar os outros com o amor produzido pelo Espírito (Gálatas 5:22-23). É por isso que João escreve: "Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade" (1 João 3:17-18). Porque o amor de Deus compele um verdadeiro cristão a dar, nenhuma das epístolas do Novo Testamento comanda ou recomenda que os cristãos paguem o dízimo. Ao invés de ser uma exigência, dar resulta do amor de um cristão.

Os cristãos podem, se quiserem, dar um décimo da sua renda para a igreja, atendendo às necessidades espirituais e materiais em seu mundo carente. Alguns vão optar por dar menos de um décimo; alguns vão optar por dar muito mais do que um décimo. Paulo recomenda dizimar à igreja no domingo: "No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade…" (1 Coríntios 16:2a).

Os cristãos não devem acumular, mas dar tanto quanto Deus dirige. É o dinheiro de Deus. Os Seus benefícios ultrapassam os custos. "E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra" (2 Coríntios 9:6-8).


Voltar à página principal em português

Se você tem um monte de dívidas, é possível parar temporariamente de dar o dízimo até quitá-las totalmente?