Qual é a diferença entre o Cristianismo e o Judaísmo?


Pergunta: "Qual é a diferença entre o Cristianismo e o Judaísmo?"

Resposta:
Das principais religiões mundiais, o Cristianismo e o Judaísmo são provavelmente as mais semelhantes. Tanto o Cristianismo quanto o Judaísmo acreditam em um só Deus onipotente, onisciente, onipresente, eterno e infinito. Ambas as religiões acreditam em um Deus que é santo, justo e reto, ao mesmo tempo amoroso, pronto para perdoar e misericordioso. O Cristianismo e o Judaísmo compartilham as Escrituras hebraicas (o Antigo Testamento) como a Palavra autoritária de Deus, embora o Cristianismo também inclua o Novo Testamento. Tanto o Cristianismo quanto o Judaísmo creem na existência do céu, a eterna morada dos justos, e no inferno, a eterna morada dos ímpios (embora nem todos os cristãos e nem todos os judeus creiam na eternidade do inferno). O Cristianismo e o Judaísmo têm basicamente o mesmo código de ética, comumente conhecido hoje como judeu-cristão. Tanto o Judaísmo quanto o Cristianismo ensinam que Deus tem um plano especial para a nação de Israel e o povo judeu.

A diferença importantíssima entre o Cristianismo e o Judaísmo é a pessoa de Jesus Cristo. O Cristianismo ensina que Jesus Cristo é o cumprimento das profecias do Antigo Testamento sobre a vinda do Messias/Salvador (Isaías 7:14; 9:6-7; Miqueias 5:2). O Judaísmo frequentemente reconhece Jesus como um bom mestre e talvez até um profeta de Deus. O Judaísmo não acredita que Jesus era o Messias. Dando um passo adiante, o Cristianismo ensina que Jesus era Deus na carne (João 1:1,14; Hebreus 1:8). O Cristianismo ensina que Deus se tornou um ser humano na Pessoa de Jesus Cristo para que Ele pudesse dar a Sua vida a fim de pagar o preço pelos nossos pecados (Romanos 5:8; 2 Coríntios 5:21). O Judaísmo nega veementemente que Jesus era Deus ou que tal sacrifício era necessário.

Jesus Cristo é a distinção mais importante entre o Cristianismo e o Judaísmo. A Pessoa e a obra de Jesus Cristo são a questão principal sobre a qual o Cristianismo e o Judaísmo não podem concordar. Os líderes religiosos de Israel no tempo de Jesus lhe perguntaram: “És tu o Cristo, o Filho do Deus Bendito? Jesus respondeu: Eu sou, e vereis o Filho do Homem assentado à direita do Todo-Poderoso e vindo com as nuvens do céu” (Marcos 14:61-62). Entretanto, eles não acreditaram em Suas palavras e nem O aceitaram como o Messias.

Jesus Cristo é o cumprimento das profecias hebraicas de um Messias vindouro. O Salmo 22:14-18 descreve um evento inegavelmente semelhante à crucificação de Jesus: “Derramei-me como água, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim. Secou-se o meu vigor, como um caco de barro, e a língua se me apega ao céu da boca; assim, me deitas no pó da morte. Cães me cercam; uma súcia de malfeitores me rodeia; traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos; eles me estão olhando e encarando em mim. Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes.” É claro que essa profecia messiânica não pode ser outra senão Jesus Cristo, cuja crucificação cumpriu cada um desses detalhes (Lucas 23; João 19).

Não há descrição mais precisa de Jesus do que Isaías 53:3-6: "Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos."

O apóstolo Paulo, um judeu e um estrito adepto do Judaísmo, encontrou Jesus Cristo em uma visão (Atos 9:1-9) e passou a ser a maior testemunha de Cristo e o autor de quase metade do Novo Testamento. Paulo entendeu a diferença entre o Cristianismo e o Judaísmo mais do que qualquer outra pessoa. Qual foi a mensagem de Paulo? "Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego" (Romanos 1:16).

English
Voltar à página principal em português

Qual é a diferença entre o Cristianismo e o Judaísmo?

Assine a pergunta da semana