Como deve um cristão enxergar a riqueza?



 

Pergunta: "Como deve um cristão enxergar a riqueza?"

Resposta:
A visão cristã da riqueza deve ser derivada das Escrituras. Muitas vezes no Antigo Testamento Deus deu riquezas ao Seu povo. Salomão foi prometido riquezas e tornou-se o mais rico de todos os reis da terra (1 Reis 3:11-13; 2 Crônicas 9:22); Davi disse em 1 Crônicas 29:12: "Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força." Abraão (Gênesis 17-20), Jacó (Gênesis 30-31), José (Gênesis 41), o rei Josafá (2 Crônicas 17:5) e muitos outros foram abençoados por Deus com riqueza. No entanto, os judeus eram um povo escolhido com promessas e recompensas terrenas. Eles receberam uma terra e todas as riquezas nela contidas.

No Novo Testamento, há um padrão diferente. A igreja nunca foi dada uma terra ou a promessa de riquezas. Efésios 1:3 nos diz: "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo." Cristo falou em Mateus 13:22 sobre a semente da Palavra de Deus caindo entre os espinhos e "a fascinação das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera." Esta é a primeira referência às riquezas terrenas no Novo Testamento. Claramente, essa não é uma imagem positiva.

Em Marcos 10:23, "Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!" Não era impossível - pois todas as coisas são possíveis para Deus – mas sim "difícil". Em Lucas 16:13, Jesus falou sobre "mammon" (a palavra aramaica para "riquezas"): "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas (mammon)." Mais uma vez, as palavras de Jesus apresentam a riqueza como uma influência negativa sobre a espiritualidade e como um obstáculo que pode nos afastar de Deus.

Deus fala das verdadeiras riquezas que Ele nos dá hoje em Romanos 2:4: "Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?" Estas são as riquezas que levam à vida eterna. Novamente, isso é explicado em Romanos 9:23: "a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão…" Além disso, Efésios 1:7 diz: "no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça…" Referindo-se a Deus dando misericórdia, Paulo O louva em Romanos 11:33: "Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!" A ênfase do Novo Testamento é a riqueza de Deus em nós: "para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos" (Efésios 1:18b). Deus realmente quer exibir as Suas riquezas em nós no céu: “e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus” (Efésios 2:6-7).

Efésios 3:14,16 explica as riquezas que Deus quer para nós: "Por esta causa, me ponho de joelhos diante do Pai, … para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior." O melhor versículo para os crentes do Novo Testamento a respeito de riquezas é Filipenses 4:19: "E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades." Esta declaração foi escrita por Paulo porque os filipenses tinham se sacrificado ao enviar ofertas para cuidar das necessidades de Paulo.

Primeiro Timóteo 6:17 dá uma advertência aos ricos: "Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento." Tiago 5:1-3 nos dá uma outra advertência sobre as riquezas que foram injustamente adquiridas: "Atendei, agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão. As vossas riquezas estão corruptas, e as vossas roupagens, comidas de traça; o vosso ouro e a vossa prata foram gastos de ferrugens, e a sua ferrugem há de ser por testemunho contra vós mesmos e há de devorar, como fogo, as vossas carnes. Tesouros acumulastes nos últimos dias." A última vez que as riquezas são mencionadas na Bíblia é em Apocalipse 18:17, falando da grande destruição de Babilônia: "porque, em uma só hora, ficou devastada tamanha riqueza!"

Para resumir, Israel recebeu promessas terrenas e recompensas como o povo escolhido de Deus na terra. Deus deu muitas ilustrações, tipos e verdades através deles. Muitas pessoas desejam ter as suas bênçãos, mas não as suas maldições. No entanto, na progressão da revelação, Deus revelou por meio de Jesus Cristo um ministério mais excelente: "Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele também Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas" (Hebreus 8:6).

Deus não condena ninguém por ter riquezas. As riquezas vêm para as pessoas de muitas fontes, mas a Bíblia dá graves advertências àqueles que as buscam mais do que a Deus e confiam nelas mais do que nEle. O Seu maior desejo é que firmemos o nosso coração nas coisas do alto e não nas coisas desta terra. Isto pode parecer muito alto e inalcançável, mas Paulo escreveu: "tudo posso naquele que me fortalece" (Filipenses 4:13). O segredo é conhecer a Cristo como Salvador e permitir que o Espírito Santo conforme as nossas mentes e corações de acordo com os Seus (Romanos 12:1-2).


Voltar à página principal em português

Como deve um cristão enxergar a riqueza?