Deve um cristão tirar férias?


Pergunta: "Deve um cristão tirar férias?"

Resposta:
A Bíblia não menciona nada especificamente sobre férias. No entanto, as Escrituras se referem aos conceitos de descanso e administração, ambos os quais são aplicáveis à questão dos cristãos tirando férias.

As férias são um tempo de descanso e Deus deu o exemplo do descanso em Gênesis 2:2–3 quando Ele parou de criar. Em Êxodo 20:8–11, Deus diz a Seu povo que devem descansar de seu trabalho no sétimo dia - para tirar férias semanais, por assim dizer. O mandamento do sábado é repetido em todo o Antigo Testamento. No Novo Testamento, vemos Jesus cumprir o significado do sábado. Os cristãos não estão mais sob a lei do sábado, mas o conceito de descanso ainda é importante. Jesus disse que o sábado foi feito para o homem, o que significa que Deus o deu como um presente para nós (Marcos 2:27). Em vez do fardo que esse dia se tornara nos dias de Jesus, o sábado deveria ser restaurador. Quando descansamos, declaramos nossa dependência em Deus, exercemos nossa fé em Sua provisão e somos revigorados.

Jesus não tirou férias do Seu ministério, mas Ele tomou momentos de refrigério e também assegurou que Seus discípulos tivessem o mesmo. Numa altura em que “não tinham tempo nem para comer, visto serem numerosos os que iam e vinham”, Jesus diz aos seus discípulos: “Vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto” (Marcos 6:31). ). Claramente, se Jesus procurou tempo de descanso, então fazer as pausas necessárias é uma coisa boa.

O equilíbrio é necessário ao planejar as férias. O descanso é um presente; mais do que isso, é uma necessidade humana. Não podemos sobreviver sem um ritmo saudável de trabalho e descanso, como pode ser visto em nossa necessidade diária de sono. Ao mesmo tempo, o descanso não é o propósito da vida. Devemos trabalhar também. Efésios 5:15–17 diz: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.” Moisés ora: “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio” (Salmo 90:12), e Jesus diz: “É necessário que façamos as obras daquele que me enviou...” (João 9:4). Claramente, o objetivo de nossas vidas não é tirar férias. Entretanto, precisamos de tempo longe de nossas rotinas diárias para receber o refrigério de Deus. Deus não nos projetou para trabalhar ou ministrar 24/7, 365 dias por ano.

Outra questão a considerar sobre as férias é a administração. Devemos ser bons administradores do nosso tempo e finanças. É importante gastar nossos recursos em coisas que têm valor real. As boas férias serão restauradoras para as nossas almas e nos ajudarão a continuar em nossos labores para o Senhor. Umas férias também são um lembrete de que dependemos de Deus - não de nós mesmos - para nosso sustento.

A administração financeira é uma questão importante em relação às férias. É bom considerar as finanças de perto quando se pensa em tirar férias. Será que a despesa das férias está dentro das nossas condições financeiras? É a despesa proporcional ao valor das férias? Estamos sendo responsáveis em outras áreas de finanças (pagando nossas contas, dando à igreja, ajudando os outros, etc.)? Isso não quer dizer que as férias devam ser baratas. Não é errado gastar dinheiro - mesmo muito dinheiro - em uma experiência. Esse tipo de despesa pode valer muito a pena em termos de relacionamentos, reabastecimento ou alegria. A chave é submeter nossas decisões financeiras a Deus e administrar bem nossos recursos.

As férias não são apenas permitidas para os cristãos, mas também são necessárias. Quanto ao que exatamente as férias implicam, isso é uma questão de consciência, recursos e praticidade. As férias podem ser simples ou sofisticadas, mas, como Colossenses 3:17 diz: “E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.”

English
Voltar à página principal em português

Deve um cristão tirar férias?

Assine a pergunta da semana