Como deve um cristão enxergar o ambientalismo?



 

Pergunta: "Como deve um cristão enxergar o ambientalismo?"

Resposta:
Há uma diferença entre a visão bíblica do meio ambiente e a do movimento político conhecido como "ambientalismo". Entender essa diferença é crucial para moldar a visão de um cristão quanto ao assunto. A Bíblia é clara que a terra e tudo nela foram dados por Deus ao homem para governar e subjugar. "E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra" (Gênesis 1:28). Por terem sido criados à Sua imagem, Deus deu aos homens e mulheres um lugar privilegiado entre todas as criaturas e lhes ordenou a exercer mordomia sobre a terra (Gênesis 1:26-28, Salmo 8:6-8). Zelar implica cuidar bem, não abusar. Devemos administrar de forma inteligente os recursos que Deus nos deu, usando todo o cuidado diligente para preservar e protegê-los. Isso é visto no Antigo Testamento, onde Deus ordenou que os campos e vinhas fossem semeados e colhidos durante seis anos e, em seguida, deixados em pousio pelo sétimo ano a fim de repor os nutrientes do solo, tanto para descansar a terra quanto para garantir o fornecimento contínuo do Seu povo no futuro (Êxodo 23:10-11; Levítico 25:1-7).

Além do nosso papel como zeladores, devemos apreciar a funcionalidade e beleza do ambiente. Em Sua incrível graça e poder, Deus colocou neste planeta tudo que é necessário para alimentar, vestir e abrigar as bilhões de pessoas que têm vivido nele desde o Jardim do Éden. Todos os recursos providenciados para as nossas necessidades são renováveis, e Ele continua a fornecer o sol e a chuva necessária para manter e repor esses recursos. E como se isso não bastasse, Deus também decorou o planeta em gloriosa cor e beleza cênica para atrair o nosso senso estético e emocionar as nossas almas com admiração. Existem inúmeras variedades de flores, pássaros exóticos e outras manifestações encantadoras da Sua graça a nós.

Ao mesmo tempo, a terra em que vivemos não é um planeta permanente, nem nunca foi destinada a ser. O movimento ambientalista é consumido pela tentativa de preservar o planeta para sempre, mas sabemos que esse não é o plano de Deus. Ele nos diz em 2 Pedro 3:10 que no fim dos tempos, a terra e tudo o que Ele criou será destruído: "Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas." A terra física e natural em sua forma atual, com todo o universo, será consumida e Deus vai criar um "novo céu e uma nova terra" (2 Pedro 3:13, Apocalipse 21:1).

Assim, vemos que ao invés de tentar preservar a terra por milhares ou até mesmo milhões de anos, devemos ser bons administradores enquanto ela dure, ou seja, enquanto ela for necessária para cumprir o plano e propósito soberano de Deus.


Voltar à página principal em português

Como deve um cristão enxergar o ambientalismo?