Quão fácil é acreditar?



 

Pergunta: "Quão fácil é acreditar?"

Resposta:
Nós somos salvos pela graça através da fé (Efésios 2:8). Há alguns que concluem desse versículo que não há necessidade correspondente para uma vida comprometida ao discipulado cristão como prova de salvação. Outros podem dizer que uma pessoa é salva porque fez uma oração - sem uma verdadeira convicção do pecado e nenhuma fé verdadeira em Cristo. Fazer uma oração é fácil, mas a salvação se trata de mais do que proferir certas palavras.

Grande parte do debate é desnecessário e é baseado em um mal-entendido das Escrituras. A Bíblia é clara que a salvação é apenas pela graça, apenas pela fé, apenas em Cristo. A fé, dada como um dom por Deus, é o que nos salva. Entretanto, Efésios 2:10 fala dos resultados da salvação: "Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas." Ao invés de sermos salvos por algum ato fácil de nossas próprias vontades, somos salvos pela mão do Deus Todo-Poderoso, por Sua vontade e para o Seu uso. Somos os Seus servos, e a partir do momento da salvação pela fé, embarcamos em uma viagem de pré-ordenadas boas obras que dão provas dessa salvação. Se não houver nenhuma evidência de crescimento e de boas obras, temos razão para questionar se a salvação realmente ocorreu. "a fé sem as obras é inoperante" (Tiago 2:20), e uma fé morta não é uma fé salvadora.

"Somente a fé" não significa que alguns crentes seguem a Cristo em uma vida de discipulado, enquanto outros não. O conceito do "crente carnal", como uma categoria separada do crente não-espiritual, é completamente antibíblico. A ideia do cristão carnal diz que uma pessoa pode receber a Cristo como Salvador durante uma experiência religiosa, mas nunca manifestar evidências de uma vida transformada. Este é um ensinamento falso e perigoso que tenta desculpar vários estilos de vida ímpios: um homem pode ser um impenitente adúltero, mentiroso ou ladrão, mas ele é "salvo" porque fez uma oração quando era criança; ele é apenas um "crente carnal". A Bíblia em nenhum lugar apoia a ideia de que um verdadeiro cristão possa permanecer carnal pela vida inteira. Em vez disso, a Palavra de Deus apresenta apenas duas categorias de pessoas: cristãos e não-cristãos, crentes e descrentes, aqueles que se curvaram ao senhorio de Cristo e os que não têm feito isso (ver João 3:36; Romanos 6:17-18; 2 Corinthians 5:17; Gálatas 5:18-24; Efésios 2:1-5; 1 João 1:5-7; 2:3-4).

Embora a segurança da salvação seja um fato bíblico baseado na obra consumada da salvação por Cristo, é certamente verdade que alguns daqueles que parecem ter "feito uma decisão" ou que "aceitaram a Cristo" não podem verdadeiramente ser salvos. Como observado anteriormente, a salvação não é tanto a nossa aceitação de Cristo como é a Sua aceitação de nós. Somos salvos pelo poder de Deus para o propósito de Deus, e esse propósito inclui as obras que dão prova da nossa conversão. Aqueles que continuam a andar segundo a carne não são crentes (Romanos 8:5-8). É por isso que Paulo nos exorta a "Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé" (2 Coríntios 13:5). O cristão "carnal" que se examina logo verá que não está na fé.

Tiago 2:19 diz: "Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem." O tipo de "crença" que os demônios possuem pode ser comparado ao consentimento intelectual feito por aqueles que "creem" em Jesus no que diz respeito ao fato de que Ele existe ou que era uma boa pessoa. Muitos incrédulos dizem: "Eu creio em Deus" ou "eu creio em Jesus"; outros dizem: "Eu fiz uma oração e o pregador disse que eu era salvo." Entretanto, tais orações e tal crença não necessariamente sinalizam uma mudança de coração. O problema é um mal-entendido da palavra acreditar. Com a verdadeira salvação vêm o genuíno arrependimento e verdadeira mudança de vida. 2 Coríntios 5:17 diz que aqueles que estão em Cristo são uma "nova criatura". É possível que a nova pessoa que Cristo crie seja uma que continua a andar na sua carnalidade? Não. A salvação é certamente de graça, mas, ao mesmo tempo, custa-nos tudo. Devemos morrer para nós mesmos ao sermos transformados à semelhança de Cristo. Devemos reconhecer que uma pessoa com fé em Jesus vai levar uma vida progressivamente diferente. A salvação é um dom gratuito de Deus para aqueles que acreditam, mas o discipulado e obediência são a resposta que sem dúvida ocorrerão quando se vem verdadeiramente a Cristo em fé.


Voltar à página principal em português

Quão fácil é acreditar?