settings icon
share icon
Pergunta

Como um cristão deve responder a estar em um casamento sem amor?

Resposta


O termo casamento sem amor pode descrever várias situações, desde a perda dos sentimentos iniciais de amor até a experiência de abuso violento. (No caso de abuso conjugal, o cônjuge abusado deve procurar ajuda através de vias legais e de apoio emocional. Muitas vezes é necessário remover-se fisicamente da situação enquanto a terapia está em andamento. Um cônjuge abusado nunca deve voltar a viver na mesma casa com um ex-abusador que ainda não provou a sua confiabilidade.) Para os propósitos deste artigo, definiremos o casamento sem amor como aquele em que nenhum abuso físico ocorre, mas em que um ou ambos os cônjuges perderam todo o afeto um pelo outro e vivem em silêncio apenas como companheiros de quarto.

O desígnio de Deus para o casamento foi revelado no Jardim do Éden quando Deus criou uma mulher para Adão e a trouxe a ele como a sua auxiliadora (Gênesis 2:21-24). A palavra traduzida como “auxiliadora” vem de uma palavra hebraica também usada para descrever a ajuda que Deus dá (Êxodo 18:4; Deuteronômio 33:26; Salmo 33:20). Assim, o papel dado por Deus à esposa é ajudar o marido nas tarefas que Deus lhe deu e fornecer apoio, sabedoria, encorajamento e, às vezes, libertação, assim como Deus nos dá. O papel do marido é claramente estabelecido em Efésios 5:25-33. Amar sua esposa não é uma sugestão para um marido; é um comando. Qualquer marido que não esteja se esforçando para demonstrar amor altruísta e cristão para com sua esposa está em desobediência direta à Palavra de Deus. Se o marido não fizer isso, suas orações serão interrompidas (1 Pedro 3:7).

Às vezes, um casamento sem amor é o resultado de um jugo desigual com um incrédulo (veja 2 Coríntios 6:14). O cônjuge incrédulo não poderia se importar menos com a obediência à Palavra de Deus. Nesses casos, o apóstolo Paulo dá instruções: se o cônjuge incrédulo consente em permanecer no casamento e não é abusivo, o cristão deve ficar e demonstrar o amor de Cristo (1 Coríntios 7:12-16). O primeiro fruto do Espírito Santo listado em Gálatas 5:22-23 é o amor. Quando não temos amor humano para oferecer, podemos invocar o Senhor e pedir que o Espírito Santo ame o cônjuge através de nós. É duvidoso que Jesus sentia uma afeição calorosa e emocional pelos homens que O pregavam na cruz. No entanto, Ele pediu ao Pai para perdoá-los e morreu por eles de qualquer maneira (Lucas 23:33-34; Romanos 5:8). A demonstração de amor por Jesus pode ser uma inspiração para todos nós, mesmo em relação aos nossos casamentos.

Se o aconselhamento estiver disponível, casamentos sem amor podem se beneficiar do ponto de vista sábio e objetivo de um conselheiro bíblico (Provérbios 11:14; 15:22). Às vezes, um casamento se torna obsoleto devido à negligência e a comportamentos contínuos e imprudentes dos quais um casal possa não estar ciente. Uma perspectiva externa pode identificar rapidamente áreas problemáticas e chamar a atenção para elas. Se o casal estiver disposto a trabalhar, um casamento sem amor pode voltar rapidamente ao amor. Mesmo que um dos cônjuges se recuse a cooperar com o aconselhamento, o cônjuge disposto pode se beneficiar de ir sozinho. Um ponto de vista objetivo às vezes pode ajudar um dos cônjuges a ver as coisas de maneira diferente e, portanto, responder de uma forma melhor ao cônjuge desamoroso.

Como uma pedra jogada em um lago, as mudanças lançadas em ciclos disfuncionais criam novos padrões de resposta. Aqui está um exemplo de como um cônjuge pode mudar o curso de um casamento sem amor: se Maria não grita mais com João quando ele é rude, então ele deve reagir à resposta gentil de uma maneira diferente do que fazia anteriormente. Em vez de aumentar a raiva, ele reduz seu comportamento grosseiro para combinar com a atitude mais madura dela. O sorriso tranquilo dela e sua recusa em se envolver mostram o próprio egoísmo dele, e João geralmente responde com menos hostilidade. O ciclo de briga é interrompido e um novo ciclo começa com menos estresse e mais bondade (Provérbios 15:1). Com o tempo, esse novo ciclo mais saudável pode evoluir para afeição, e o casal aprende a gostar um do outro mais uma vez.

Há várias coisas que um cristão pode fazer para reinvestir em um casamento sem amor:

1. Defina limites saudáveis. Aprenda quando se afastar, desengajar ou rejeitar palavras ou padrões prejudiciais. Recusar-se a se envolver em brigas que não levam a lugar algum é uma maneira pela qual um limite pode fortalecer um casamento.

2. Orem um pelo outro. A melhor maneira de perdoar e amar alguém que nos feriu é orar por essa pessoa (Efésios 4:32). Deus é a favor do casamento, então sabemos que estamos orando de acordo com a Sua vontade quando oramos pela restauração do amor e da esperança (1 João 5:14-15).

3. Cuidado com suas palavras. Tendemos a acreditar no que falamos. Se nos encontrarmos regularmente criticando nosso cônjuge ou reclamando do casamento, começaremos a acreditar nisso. A sabedoria dita que pratiquemos controlar nossas línguas e falar apenas o que é “verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama” (Filipenses 4:8).

4. Preste atenção nas pequenas coisas. Quando um casal se apaixona pela primeira vez, eles percebem cada pequena coisa e estão ansiosos para agradar um ao outro. No entanto, se não tivermos a intenção de continuar com essas práticas, caímos na rotina e deixamos de valorizar um ao outro. Restaurar o amor a um casamento sem amor é feito uma pequena coisa de cada vez. Descubra a linguagem de amor do cônjuge e trabalhe para atender a essa necessidade todos os dias.

Um cristão deve responder a um casamento sem amor recusando-se a participar dos comportamentos que causam o problema. Mesmo que um dos cônjuges não mostre interesse em restabelecer uma conexão emocional, o cristão deve fazer o que é certo. Não somos chamados a retaliar ou retribuir o mal com o mal, mas a vencer o mal com o bem (Romanos 12:21). Somos chamados do mundo para sermos portadores da luz (Mateus 5:14), o sal da terra (Mateus 5:13) e um sacerdócio escolhido (1 Pedro 2:9–10). Nossa missão não é agradar a nós mesmos, mas agradar ao nosso Pai celestial (1 Coríntios 10:32). Ele Se agrada quando suportamos as dificuldades com paciência e fazemos o que está ao nosso alcance para reviver um casamento sem amor.

English



Voltar à página principal em português

Como um cristão deve responder a estar em um casamento sem amor?
Assine a

Pergunta da Semana

Comparte esta página: Facebook icon Twitter icon Pinterest icon Email icon
© Copyright Got Questions Ministries