O que a Bíblia diz sobre o casamento gay/homossexual?



 

Pergunta: "O que a Bíblia diz sobre o casamento gay/homossexual?"

Resposta:
Embora a Bíblia se refira à homossexualidade, ela não menciona explicitamente o casamento gay/homossexual. É claro, porém, que a Bíblia condena a homossexualidade como um pecado imoral e antinatural. Levítico 18:22 identifica o sexo homossexual como uma abominação, um pecado detestável. Romanos 1:26-27 condena os desejos e ações homossexuais como sendo vergonhosos, não naturais, lascivos e indecentes. Primeiro Coríntios 6:9 afirma que os homossexuais são iníquos e não herdarão o reino de Deus. Já que ambos os desejos e ações homossexuais são condenados na Bíblia, é evidente que os homossexuais "se casando" não é a vontade de Deus, e seria, de fato, pecaminoso.

Sempre que a Bíblia menciona o casamento, é entre um homem e uma mulher. A primeira menção de casamento, Gênesis 2:24, descreve-o como um homem deixando seus pais e se unindo à sua mulher. Em passagens que contêm instruções sobre o matrimônio, como 1 Coríntios 7: 2-16 e Efésios 5:23-33, a Bíblia identifica claramente o casamento como sendo entre um homem e uma mulher. Biblicamente falando, o casamento é a união de um homem e uma mulher por toda a vida, primeiramente para o propósito de construir uma família e proporcionar-lhe um ambiente estável.

A Bíblia, no entanto, não é o único argumento a favor dessa compreensão do casamento. O ponto de vista bíblico do matrimônio tem sido o entendimento universal em cada civilização humana na história mundial. A história argumenta contra o casamento gay. A psicologia secular moderna reconhece que homens e mulheres são psicologicamente e emocionalmente concebidos para complementar um ao outro. Em relação à família, os psicólogos afirmam que uma união entre um homem e uma mulher em que ambos os cônjuges servem como bons modelos de gênero é o melhor ambiente para se criar filhos bem ajustados. A psicologia argumenta contra o casamento gay. Na natureza, quer dizer, fisicamente falando, os homens e mulheres foram claramente projetados para se "encaixarem" sexualmente. Com o objetivo "natural" da relação sexual sendo a procriação, é óbvio que apenas uma relação sexual entre um homem e uma mulher pode cumprir esta finalidade. A natureza argumenta contra o casamento gay.

Assim, se a Bíblia, a história, a psicologia e a natureza juntamente defendem o casamento sendo entre um homem e uma mulher, por que há uma tão grande controvérsia hoje? Por que aqueles que se opõem ao casamento gay/entre o mesmo sexo são rotulados como odiosos e fanáticos intolerantes, independentemente do quão respeitosamente a sua oposição seja apresentada? Por que é que o movimento pelos direitos dos homossexuais estão tão agressivamente forçando o casamento gay quando a maioria das pessoas, religiosos e não-religiosos, apoiam, ou pelo menos não se opõem, os casais gays tendo todos os mesmos direitos legais que os casais com alguma forma de união civil?

A resposta, de acordo com a Bíblia, é que todos inerentemente sabem que a homossexualidade é imoral e antinatural, e a única maneira de suprimir este conhecimento inerente é através da normalização da homossexualidade e do ataque a toda e qualquer oposição. A melhor maneira de normalizar a homossexualidade é colocando-a no mesmo patamar que o casamento entre um homem e uma mulher. Romanos 1: 18-32 ilustra isso. A verdade é conhecida porque Deus a tornou clara. A verdade é rejeitada e substituída por uma mentira. A mentira é então promovida, suprimida e atacada. A veemência e raiva demonstradas por muitos no movimento dos direitos dos homossexuais a qualquer um que se oponha a eles são, de fato, uma indicação de que sabem que a sua posição é indefensável. Tentar superar uma posição fraca aumentando a sua voz é o truque mais velho no livro de debate. Talvez não haja uma descrição mais precisa da agenda moderna dos direitos dos homossexuais do que Romanos 1:31: "são insensatos, desleais, sem amor pela família, implacáveis."

Sancionar o casamento gay/entre o mesmo sexo seria dar aprovação ao estilo de vida homossexual, o que a Bíblia claramente e consistentemente condena como um pecado. Os cristãos devem manter-se firmes contra a ideia do casamento gay/homossexual. Além disso, há fortes argumentos lógicos contra o casamento gay que podem ser tirados de contextos completamente separados da Bíblia. Uma pessoa não tem que ser um cristão evangélico para reconhecer que o casamento é entre um homem e uma mulher.

Segundo a Bíblia, o casamento foi instituído por Deus para ser entre um homem e uma mulher (Gênesis 2: 21-24; Mateus 19: 4-6). O casamento gay é uma perversão dessa instituição sagrada do casamento e uma ofensa ao Deus que o criou. Como cristãos, não devemos tolerar ou ignorar o pecado. Ao contrário, devemos compartilhar o amor de Deus e o perdão dos pecados que está disponível para todos, inclusive os homossexuais, por meio de Jesus Cristo. Devemos falar a verdade em amor (Efésios 4:15) e lutar pela verdade com "mansidão e respeito" (1 Pedro 3:16). Como cristãos, quando defendemos a verdade e isso resulta em ataques pessoais, insultos e perseguição, devemos nos lembrar das palavras de Jesus: "Se o mundo os odeia, tenham em mente que antes me odiou. Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia" (João 15:18-19).


Voltar à página principal em português

O que a Bíblia diz sobre o casamento gay/homossexual?