Se o casamento é tão difícil, por que devo considerá-lo?


Pergunta: "Se o casamento é tão difícil, por que devo considerá-lo?"

Resposta:
“Digno de honra entre todos seja o matrimônio…” (Hebreus 13:4). Um casamento bíblico, consistindo de um homem e uma mulher em um compromisso amoroso e duradouro, é uma instituição honrosa e piedosa. As modas vêm e vão, e o mundo tem suas tendências, mas o plano de Deus para o casamento ainda é o alicerce da sociedade.

Infelizmente, algumas pessoas estão perdendo a fé no casamento como uma instituição. Alguns, até mesmo aqueles que se dizem cristãos, denegram o casamento como “um jogo bobo” que terminará com arrependimento. Alguns aceitam a visão desiludida de que comprometer-se a vida inteira é temerário, já que a outra pessoa vai mudar - não sabemos como nosso cônjuge será em vinte, ou mesmo cinco, anos. Ele ou ela pode ser uma pessoa completamente diferente - devemos ser fiéis a um voto que fizemos em nossa juventude?

Se o casamento fosse destinado apenas a satisfazer os desejos pessoais de um homem ou mulher, então, e somente então, a descrição do santo matrimônio como “tolo” poderia ser válida. Entretanto, um casamento piedoso não é egoísta. O voto conjugal não é um compromisso vitalício de ser amado. É um voto de dar amor. O casamento é um compromisso de dar amor pela vida. É uma determinação de viver para o benefício da outra pessoa, ficando ao seu lado e apoiando a pessoa amada. Dar e dar e dar, até ao ponto de dar a própria vida (Efésios 5:25).

Ainda mais fundamentalmente, o homem não inventou o casamento. Deus que o inventou. Quando Deus criou o homem e a mulher, colocou-os no Éden e os uniu em casamento, Ele tinha um propósito em mente. O propósito mais básico era que o casamento produzisse mais pessoas que representassem o nome de Deus e refletissem a Sua imagem (Gênesis 1:26–28; 2:22–24). A reprodução humana foi o primeiro mandato declarado de Deus para a união de Adão e Eva. O casamento, a primeira e mais fundamental instituição de Deus, foi concebido para ser a base da unidade familiar.

Além disso, para refletir correta e completamente a imagem completa de Deus, a humanidade foi criada em dois gêneros, “homem e mulher” (Gênesis 1:27). A reflexão completa do caráter de Deus na humanidade requer ambos os gêneros, homem e mulher. O casamento é o meio pelo qual os dois gêneros estão mais intimamente conectados. Quando homem e mulher estão unidos no casamento, eles juntos refletem uma figura de Cristo e da igreja (Efésios 5:22-32). O casamento é muito mais do que felicidade romântica, companheirismo ou relação sexual.

Os crentes encontram a verdadeira alegria na parceria conjugal quando Deus é o seu guia. Sim, a lua de mel vai acabar. Sim, ambos os cônjuges se mostrarão um pouco diferentes do que apresentaram um ao outro durante o namoro. Sim, mais cedo ou mais tarde, tanto o marido quando a mulher ficarão desapontados um com o outro. Sim, as pessoas mudam e nem sempre para melhor. Entretanto, Deus teve uma boa ideia quando inventou o casamento - “muito bom”, de acordo com Gênesis 1:31. Deus até usa o casamento como uma metáfora para o relacionamento com o Seu povo (Oseias 2:19-20).

O casamento revelará fraquezas em cada indivíduo. Provas e desafios virão. A força dos votos será testada. No entanto, vivemos pela fé (2 Coríntios 5 7). O casamento é a instituição de Deus para a humanidade. Se Deus o inventou e planejou que cumprisse os Seus propósitos, e se Ele fizer parte da união, então será bom. Não devemos abandonar a ideia do casamento só porque algumas pessoas não conseguiram obter dele o que imaginavam que conseguiriam. Afinal de contas, não são os recebedores deste mundo que encontram satisfação, mas os doadores (Atos 20:35). Aqueles que pela graça de Deus emulam a doação sacrificial de Cristo acharão que o casamento é bom. Vai custar algo - na verdade, vai custar tudo! Entretanto, é em dar de nós mesmos que encontramos o maior significado da vida em Cristo.

Nada disso significa que todo crente deva se casar. Deus sabe que é melhor que alguns não se casem, e algumas situações tornam o casamento indesejável. Veja 1 Coríntios 7. Uma pessoa solteira dá amor auto-sacrificial de outras maneiras e ainda reflete o caráter de Deus. O casamento não é para todos, mas o casamento em si é uma instituição piedosa que deve ser valorizada.

O casamento não deve ser infeliz, e não será, se entendermos o que Deus pretende que seja e seguirmos as Suas instruções. Um casamento bíblico e piedoso oferece uma vida inteira de oportunidades para duas pessoas abençoarem umas às outras e à sua família em nome de Jesus Cristo. Nosso Senhor abençoou o casamento de Seus amigos em Caná com Seu alegre apoio (João 2:1–5), e ainda abençoa a união conjugal de hoje.

English
Voltar à página principal em português

Se o casamento é tão difícil, por que devo considerá-lo?

Assine a pergunta da semana