Como deve um crente responder às características de Deus?


Pergunta: "Como deve um crente responder às características de Deus?"

Resposta:
Deus Se revela aos crentes através da Sua Palavra (a Bíblia) e através do Seu Filho (Cristo Jesus). Quanto mais estudamos a Bíblia, mais chegamos a entender as características de Deus, ou seja, as qualidades que Ele possui. Como mortais, lutamos para captar o poder e a majestade do Deus que criou o tempo, o espaço, a matéria e toda a vida. "Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os meus pensamentos são mais altos do que os pensamentos de vocês" (Isaías 55:9).

Para os fins deste artigo, focalizaremos em três características principais de Deus e a resposta do crente a cada uma.

Talvez a característica mais importante de Deus seja o atributo moral da Sua santidade. Isaías 6:3 e Apocalipse 4:8 descrevem a tripla força da santidade de Deus: "Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória." Somente quando uma pessoa vislumbra a santidade de Deus em comparação com a pecaminosidade humana é que há alguma esperança para o verdadeiro arrependimento. Quando percebemos as terríveis consequências do pecado e consideramos que o perfeito Filho de Deus sofreu o nosso castigo, isso nos deixa de joelhos. Ficamos calados diante da face da santidade de Deus, impressionados com a reverência que essa santidade exige. Como Jó, dizemos: "Sou indigno. Que te responderia eu? Ponho a mão sobre a minha boca" (Jó 40:4). Compreender a santidade de Deus nos leva a exaltar a Sua compaixão (2 Coríntios 1:3), misericórdia (Romanos 9:15), graça e perdão (Romanos 5:17) em relação a nós. "Se tu, Senhor, observares iniquidades, quem, Senhor, poderá escapar? Mas contigo está o perdão, para que sejas temido" (Salmo 130:3–4).

Talvez a característica mais agradável de Deus seja o Seu amor. O amor requer relacionamento, e por toda a eternidade o Pai, o Filho e o Espírito Santo existem juntos em um relacionamento. Deus nos criou à Sua imagem, e fomos criados para ter um relacionamento com Ele (Gênesis 1:27; Romanos 1:19–20). Tal é a extensão do amor de Deus que Ele enviou o Seu único Filho para nos redimir de nossos pecados. "Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós" (1 João 3:16). "Deus é amor… Nós amamos porque ele nos amou primeiro" (1 João 4:16–19). Deus providenciou a solução para o pecado na pessoa de Cristo Jesus. Jesus veio tomar o nosso castigo pelo pecado e satisfazer a justiça de Deus (João 1:1–5, 14, 29). No Calvário, o perfeito amor de Deus e a perfeita justiça se encontraram. Quando começamos a entender o grande amor de Deus, nossas respostas são a humildade, o arrependimento e o amor recíproco. Como o rei Davi, oramos para que Deus crie em nós um coração puro e um espírito firme (Salmo 34:18; 51:10, 17). Deus vive em um lugar alto e santo, mas com Ele estão os crentes contritos e abatidos de espírito (Isaías 57:15).

Por último, consideraremos a soberania de Deus (Salmo 71:16; Isaías 40:10). Deus é eterno, de eternidade a eternidade (Salmo 90:2). Ele é a fonte de toda a vida (Romanos 11:33–36). Ele é independente da Sua criação (Atos 17:24–28). Abraão, Samuel, Isaías, Daniel e Davi reconheceram Deus como o seu Soberano Senhor: "Davi louvou o Senhor diante de toda a congregação e disse: — Bendito és tu, Senhor, Deus de Israel, nosso pai, de eternidade a eternidade. Teu, Senhor, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade, porque teu é tudo o que há nos céus e na terra. Teu, Senhor, é o reino, e tu te exaltaste como chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti. Tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder. Contigo está o engrandecer e dar força a todos. Agora, ó nosso Deus, graças te damos e louvamos o teu glorioso nome" (as palavras de Davi em 1 Crônicas 29:10–13). O crente honra o Soberano Senhor que nos comprou e se submete de bom grado a Ele (Tiago 4:7; Judas 1:4).

O rei Davi eloquentemente resumiu as características de Deus: "Reina o Senhor. Ele se revestiu de majestade; o Senhor se revestiu de poder e se cingiu. Firmou o mundo, que não vacila. O teu trono está firme desde a antiguidade; tu és desde a eternidade…. Mas o Senhor nas alturas é mais poderoso do que o bramido das grandes águas, do que as poderosas ondas do mar. Os teus testemunhos são fidelíssimos; à tua casa convém a santidade, Senhor, para todo o sempre" (Salmo 93:1–2, 4–5).

Alguns homens de fé tiveram o privilégio de experimentar a presença de Deus, de Deus falar diretamente com eles. Foi assim que alguns responderam:

Moisés pediu para ver a glória do Senhor, e o Senhor concordou em fazer com que toda a Sua bondade passasse diante de Moisés. "Disse mais o Senhor: — Eis aqui um lugar perto de mim, onde você ficará sobre a rocha. Quando a minha glória passar, eu porei você numa fenda da rocha e o cobrirei com a mão, até que eu tenha passado" (Êxodo 33:21–22). A resposta de Moisés foi curvar-se e adorar (Êxodo 34: 6–8). Como Moisés, o crente se curvará e adorará o Senhor, cheio de reverência ao contemplarmos a glória que é o nosso Deus.

Jó nunca perdeu a sua fé em Deus, mesmo nas circunstâncias mais dolorosas que o testaram em sua essência. "Eis que ele me matará, já não tenho esperança; mesmo assim defenderei a minha conduta diante dele" (Jó 13:15). Jó foi completamente silenciado por Deus quando Ele falou com Jó através da tempestade. Jó confessou que falava de coisas que não entendia, coisas maravilhosas demais para ele saber. "Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza" (Jó 42:6; cf. Jó 42:1–6). Como Jó, a nossa resposta a Deus deve ser de humilde obediência e confiança, submissão à Sua vontade, quer a entendamos ou não.

Isaías teve uma visão do Senhor sentado em Seu trono e de serafins que clamavam: "Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória" (Isaías 6:3). A visão foi tão avassaladora que Isaías clamou: "Ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de lábios impuros; e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!" (Isaías 6:5; cf. Isaías 6:1–5). Isaías percebeu que era um pecador na presença do Deus Santo, e a sua resposta foi arrependimento. A visão que João teve do trono de Deus no céu inspirou nele grande reverência. João caiu como se estivesse morto aos pés do Senhor glorificado (Apocalipse 1:17–18). Como Isaías e João, somos humilhados na presença da majestade de Deus.

Existem muitas outras características de Deus reveladas na Bíblia. A Sua fidelidade nos leva a confiar nEle. A Sua graça suscita gratidão em nós. O Seu poder incita admiração. O Seu conhecimento nos leva a pedir-lhe por sabedoria (Tiago 1:5). Aqueles que conhecem a Deus se comportam em santidade e honra (1 Tessalonicenses 4:4-5).

English


Voltar à página principal em português

Como deve um crente responder às características de Deus?

Descubra como ...

receber a vida eterna



receber o perdão de Deus



Assine a pergunta da semana