GotQuestions.org/Portugues



Pergunta: "O que é uma profissão de fé?"

Resposta:
Professar algo é declará-lo abertamente. Quando usamos o termo profissão de fé, geralmente nos referimos à declaração pública de uma pessoa de sua intenção de seguir a Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Como as palavras nem sempre refletem a verdadeira condição do coração, uma profissão de fé nem sempre é uma garantia da verdadeira salvação.

Romanos 10:9–10 mostra o valor de uma profissão de fé em Cristo: "Se com a boca você confessar Jesus como Senhor e em seu coração crer que Deus o ressuscitou dentre os mortos, você será salvo. Porque com o coração se crê para a justiça e com a boca se confessa para a salvação." A fé no coração é acompanhada por uma profissão da boca. Aqueles que são salvos falarão de sua salvação — mesmo quando essa profissão possa levar à morte, como foi o caso dos cristãos em Roma para os quais Paulo estava escrevendo.

Nossa parte na salvação é mínima porque a salvação é uma obra espiritual realizada pelo Espírito Santo. Nossas palavras não nos salvam. A salvação é pela graça através do dom da fé (Efésios 2:8–9), não pelas palavras que falamos. A repreensão de Jesus à hipocrisia dos judeus foi baseada em sua profissão vazia: "Bem profetizou Isaías a respeito de vocês, hipócritas, como está escrito: 'Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim'" (Marcos 7:6).

Nos dias da igreja primitiva, e em muitas partes do mundo hoje, confessar Jesus como Senhor pode custar caro. Professar fé em Jesus como Messias convidou perseguição, até morte, para os crentes judeus (Atos 8:1). Essa foi uma das razões pelas quais Pedro negou três vezes que conhecia Jesus (Marcos 14:66–72). Depois que Jesus ressuscitou dos mortos, ascendeu de volta ao céu e enviou o Espírito Santo para habitar nos crentes, os discípulos anteriormente temerosos confessaram Jesus corajosamente nas ruas e sinagogas (Atos 1–2). Suas profissões de fé conquistaram convertidos, mas também trouxeram perseguição (Atos 2:1–41; 4:1–4). Eles se recusaram a parar de falar de Jesus, lembrando-se de Suas palavras: "Pois quem se envergonhar de mim e das minhas palavras, dele se envergonhará o Filho do Homem, quando vier na sua glória e na glória do Pai e dos santos anjos" (Lucas 9:26). Portanto, um objetivo de nossa profissão de fé é declarar que não temos vergonha de sermos chamados de Seus seguidores.

Obviamente, palavras sem uma mudança no coração são apenas palavras. Uma mera profissão de fé, sem um correspondente coração de fé, não tem poder para nos salvar ou mudar. De fato, Jesus advertiu que muitos que acham que são salvos por causa de uma profissão descobrirão algum dia que nunca foram dEle: "Nem todo o que me diz: 'Senhor, Senhor!' entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, vão me dizer: 'Senhor, Senhor, nós não profetizamos em seu nome? E em seu nome não expulsamos demônios? E em seu nome não fizemos muitos milagres?' Então lhes direi claramente: 'Eu nunca conheci vocês. Afastem-se de mim, vocês que praticam o mal'" (Mateus 7:21–23). Portanto, simplesmente professar fé em Jesus, mesmo quando a profissão é acompanhada de boas obras, não garante a salvação. Tem que haver arrependimento do pecado (Marcos 6:12). Devemos nascer de novo (João 3:3). Devemos seguir Jesus como Senhor de nossas vidas, pela fé.

A profissão de fé é o ponto de partida para uma vida inteira de discipulado (Lucas 9:23). Existem muitas maneiras de fazer profissões de fé, assim como existem muitas maneiras de negar Jesus. Ele disse: "Digo mais a vocês: todo aquele que me confessar diante dos outros, também o Filho do Homem o confessará diante dos anjos de Deus" (Lucas 12:8). Uma dessas profissões externas é o batismo, o qual é o primeiro passo de obediência em seguir Jesus como Senhor (Atos 2:38). Mas o batismo também não garante a salvação. Milhares têm sido imersos, aspergidos ou molhados com água, mas esse ritual não pode salvar. "O Espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita. As palavras que eu lhes tenho falado são espírito e são vida" (João 6:63). O batismo deve simbolizar a nova vida que temos em Cristo, ou seja, a mudança interior de lealdade que possuímos. Sem essa nova vida e mudança de coração, o batismo e outras profissões de fé são simplesmente rituais religiosos, impotentes em si mesmos.

A salvação ocorre quando o Espírito Santo passa a habitar um coração arrependido e começa Sua obra santificadora de nos tornar mais semelhantes a Jesus (Romanos 8:29). Quando Jesus explicou essa ação a Nicodemos em João 3, Ele comparou o movimento do Espírito ao vento. Não podemos ver o vento, mas vemos onde esteve porque muda tudo em que toca. A grama se move, as folhas tremem e a pele esfria, a fim de que ninguém duvide que o vento chegou. O mesmo acontece com o Espírito. Quando habita um coração que crê, Ele começa a mudar o crente. Não podemos vê-lO, mas vemos onde esteve porque os valores e as perspectivas mudam, e os desejos começam a se alinhar com a Palavra de Deus. Nós professamos o Senhor Jesus em tudo o que fazemos e procuramos glorificá-lO (1 Coríntios 10:31). A maneira como conduzimos nossas vidas é uma profissão de fé mais segura do que meras palavras. As palavras são importantes, e um crente em Cristo não terá vergonha de se identificar como tal. Houve momentos em que Jesus pressionou por uma profissão verbal de fé (por exemplo, Mateus 16:15), mas também pressionou por mais do que palavras: "Se vocês permanecerem na minha palavra, são verdadeiramente meus discípulos" (João 8:31)