GotQuestions.org/Portugues




Pergunta: "O que podemos aprender da vida de Rute?"

Resposta:
Rute era "das mulheres de Moabe", mas estava geneticamente ligada a Israel por meio de Ló, sobrinho de Abraão (Rute 1:4; Gênesis 11:31; 19:37). Rute viveu no tempo dos juízes. Ela havia se casado com o filho de uma família israelita enquanto viviam em Moabe, mas, em algum momento, seu sogro, seu marido e o único irmão de seu marido morreram. Rute teve então que tomar uma decisão sobre ficar em Moabe, onde morava, ou ir com sua sogra, Noemi, para uma terra que nunca conhecera – Judá.

Rute amava sua sogra e tinha grande compaixão por ela, visto que ela perdera não apenas o marido, mas os dois filhos também. A cunhada de Rute, Orfa, fez a escolha de ficar com seu povo em Moabe, mas Rute não suportava se separar de Noemi ou do Deus de Israel que tinha vindo a conhecer. Juntas, Rute e Noemi fizeram a viagem de volta a Judá para a cidade de Belém, onde decidiram se estabelecer. O testemunho de Rute se espalhou, e Boaz, o dono de um campo próximo, ouviu falar de sua fidelidade, conforme registrado em Rute 2:11–12: "Respondeu Boaz e lhe disse: Bem me contaram tudo quanto fizeste a tua sogra, depois da morte de teu marido, e como deixaste a teu pai, e a tua mãe, e a terra onde nasceste e vieste para um povo que dantes não conhecias. O SENHOR retribua o teu feito, e seja cumprida a tua recompensa do SENHOR, Deus de Israel, sob cujas asas vieste buscar refúgio."

O costume de Israel era que um homem tomasse a esposa do irmão falecido para continuar a linha da família. Como o único irmão do marido de Rute também havia morrido, ela e Noemi teriam que cuidar de si mesmas. Rute saía todos os dias para colher nos campos a fim de fornecer comida para ela e Noemi. Ela encontrou trabalho no campo de Boaz, sem saber que ele era parente de Noemi. Quando Boaz voltou para casa, ele notou Rute e perguntou ao homem encarregado dos ceifadores sobre ela. O servo disse a Boaz sobre a fidelidade de Rute a Noemi e seu trabalho duro nos campos. Boaz pessoalmente disse a Rute que permanecesse em seus campos e ficasse perto das outras mulheres, dizendo também que havia advertido os rapazes a não tocá-la e convidando-a a beber livremente da água que os homens tinham retirado a qualquer momento que estivesse com sede (Rute 2:8–9). Rute respondeu com humildade e apreciação, perguntando por que ele mostraria tal favor a ela, uma estrangeira. Foi nesse momento que Boaz disse a ela que tinha ouvido falar de seu sacrifício pela sua sogra (Rute 2:10-13). Boaz continuou a mostrar-lhe toda a cortesia, providenciando-lhe uma refeição e instruindo seus ceifeiros a propositalmente deixar para trás grão para ela colher (Rute 2:14-16).

Quando Rute contou a Noemi onde havia colhido, Noemi ficou feliz e disse a Rute que Boaz era um parente chegado, da família de Elimeleque, marido de Noemi; portanto, Boaz estava qualificado para se tornar um resgatador de Rute. Era de maior importância em Israel perpetuar o nome de cada família de Israel, então isso deu a Rute o direito de apelar a Boaz para que preenchesse esse papel. Noemi incentivou Rute a continuar a colher nos campos de Boaz, o que ela fez através da colheita de cevada e trigo (Rute 2:18-23).

Na colheita da cevada, Noemi sugeriu que Rute fosse para Boaz enquanto ele peneirava a cevada e essencialmente pedisse a ele para ser seu resgatador. Rute tinha uma mente aberta e um espírito ensinável, então ela escutou a orientação de sua sogra e fez o que ela havia pedido (Rute 3:2-5). Rute seguiu as instruções de Noemi ao pé da letra. Boaz respondeu favoravelmente, mas ele sabia de um parente masculino ainda mais próximo que seria o primeiro na fila para resgatar Rute e a propriedade de sua família. Esse homem tinha que ser consultado antes que Boaz pudesse tomar Rute como esposa. No dia seguinte, Boaz se encontrou com o outro parente, o qual renunciou legalmente todos os seus direitos sobre a propriedade de Rute e Noemi.

Rute e Boaz logo se casaram e tiveram um filho chamado Obede. As mulheres da terra se alegraram, vendo a fidelidade de Deus e dizendo a Noemi: "Seja o SENHOR bendito, que não deixou, hoje, de te dar um neto que será teu resgatador, e seja afamado em Israel o nome deste. Ele será restaurador da tua vida e consolador da tua velhice, pois tua nora, que te ama, o deu à luz, e ela te é melhor do que sete filhos" (Rute 4:14-15).

Rute confiou no Senhor e Ele recompensou a sua fidelidade dando-lhe não apenas um marido, mas um filho (Obede), um neto (Jessé) e um bisneto chamado Davi, o rei de Israel (Rute 4:17). Além desses dons (Salmos 127:3), Deus deu a Rute a bênção de ser listada na linhagem de Jesus (Mateus 1:5).

Rute é um exemplo de como Deus pode mudar uma vida e guiá-la na direção que Ele preordenou. Nós O vemos trabalhando o Seu plano perfeito na vida de Rute, assim como faz com todos os Seus filhos (Romanos 8:28). Embora Rute tenha vindo de uma experiência pagã em Moabe, quando conheceu o Deus de Israel, ela se tornou um vivo Testemunho dEle pela fé. Apesar de ter vivido em circunstâncias humildes antes de se casar com Boaz, ela acreditava que Deus era fiel em cuidar de Seu povo. Além disso, Rute é um exemplo para nós de trabalho duro e fidelidade. Sabemos que Deus recompensa a fidelidade: "De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam" (Hebreus 11:6).