GotQuestions.org/Portugues




Pergunta: "Qual é o significado de Jesus comer com pecadores?"

Resposta:
Logo depois de chamar Mateus para segui-lO, Jesus fez uma refeição com "muitos publicanos e pecadores" na casa de Mateus (Marcos 2:15). Mateus era cobrador de impostos e esses "pecadores" eram seus amigos e conhecidos que agora estavam passando um tempo com Jesus. Mateus queria apresentar as pessoas em seu círculo social a Jesus. Os escribas e fariseus, os quais desprezavam os cobradores de impostos, reclamaram, mas as ações de Jesus em passar tempo com os pecadores estavam em perfeita conformidade com Sua missão de buscar e salvar os perdidos (Lucas 19:10).

Nos dias de Jesus, rabinos e outros líderes espirituais desfrutavam de amplo respeito e eram bastante estimados pela sociedade judaica. Quase todo mundo admirava os fariseus. Eles eram estritamente aderentes à Lei e eram os guardiões de tradições e os exemplos de piedade. Em sua posição elevada, evitavam aqueles a quem consideravam "pecadores" — aqueles que não seguiam seu sistema de regras. Os fariseus e a outra classe religiosa da época de Jesus definitivamente não teriam se socializado com os cobradores de impostos, os quais eram famosos por peculato e por sua cooperação com os odiados romanos.

Jesus escolheu comer com pecadores porque precisavam saber que o arrependimento e o perdão estavam disponíveis. À medida que o ministério de Jesus crescia, Sua popularidade também crescia entre os marginalizados da sociedade. Quando Mateus passou a fazer parte de Seu círculo íntimo, Jesus naturalmente teve mais contato com os párias de Sua sociedade. Passar tempo com os cobradores de impostos e pecadores era simplesmente natural, pois Cristo não veio "chamar justos, e sim pecadores" (Marcos 2:17). Se Jesus era para alcançar os perdidos, então era necessário ter algum contato com eles. Jesus foi para onde a necessidade existia porque "os sãos não precisam de médico, e sim os doentes" (Lucas 5:31).

Sentado na festa de Mateus, Jesus quebrou os tabus da sociedade e condenou o sistema legalista dos fariseus de alcançar a justiça. O fato de Jesus comer com pecadores mostra que Ele olhava além da cultura para o coração das pessoas. Enquanto os fariseus desconsideravam as pessoas por causa de seu comportamento passado, Jesus via a sua necessidade espiritual.

Durante todo o ministério de Jesus, Ele estendia Sua mão àqueles que precisavam dEle. Ele conversou em um poço com uma mulher samaritana desprezada — surpreendendo até Seus discípulos (João 4:27). Ele perdoa uma mulher imoral em Lucas 7, ajuda uma mulher siro-fenícia em Marcos 7, toca em um leproso em Lucas 5 e entra na casa de Zaqueu e janta com ele em Lucas 19. De novo e de novo, Jesus tocou no intocável e amou o desagradável.

Jesus veio para salvar pecadores. A tradição, as proibições culturais e as carrancas de alguns não importam quando o destino eterno de uma alma está em jogo. "Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele" (João 3:17).

Jesus enxergava indivíduos, não apenas seus rótulos. Ele teve compaixão e procurou suprir as necessidades ao Seu redor. Ao compartilhar a palavra de Deus, Jesus comeu com os pecadores e passou um tempo com eles. Vendo tudo isso, os pecadores foram sem dúvida inspirados a conhecê-lO melhor. Eles reconheceram Jesus como um homem justo, um homem de Deus — os milagres que realizou testemunharam isso — e viram Sua compaixão e sinceridade.

Jesus não deixou que status social ou normas culturais determinassem o Seu relacionamento com as pessoas. Como bom pastor, Ele buscou as ovelhas perdidas onde quer que elas se afastassem. Quando Mateus organizou a refeição, Jesus aceitou o convite. Foi uma oportunidade maravilhosa de compartilhar as boas novas do reino com aqueles que mais precisavam ouvir (veja Mateus 4:23). Jesus foi criticado por Suas ações pelos legalistas hipócritas de Seus dias, mas as críticas não o intimidaram.

Ao contrário dos fariseus, Jesus não exigia que as pessoas mudassem antes de virem a Ele. Ele as procurou, encontrou-as onde estavam e estendeu-lhes graça em suas circunstâncias. A mudança viria para aqueles que aceitassem a Cristo, mas seria de dentro para fora. A bondade de Deus leva os pecadores ao arrependimento (Romanos 2:4), e Jesus era cheio de bondade.

Jesus nos mostrou que não devemos deixar normas culturais ditarem quem evangelizamos. Os doentes precisam de um médico. Ovelhas perdidas precisam de um pastor. Estamos orando para que o Senhor da colheita envie trabalhadores ao campo (Lucas 10:2)? Estamos dispostos a irmos nós mesmos?