ã
settings icon
share icon
Pergunta

O que o Novo Testamento diz sobre a homossexualidade?

Resposta


A Bíblia é consistente tanto no Antigo quanto no Novo Testamento ao confirmar que a homossexualidade é pecado (Gênesis 19:1–13; Levítico 18:22; 20:13; Romanos 1:26–27; 1 Coríntios 6:9; Judas 1:7). Neste assunto, o Novo Testamento reforça o que o Antigo Testamento havia declarado desde que a Lei foi dada a Moisés (Levítico 20:13). A diferença entre o Antigo e o Novo Testamento é que o Novo Testamento oferece esperança e restauração para aqueles apanhados no pecado da homossexualidade através do poder redentor de Jesus. É a mesma esperança que é oferecida a qualquer um que escolha aceitá-la (João 1:12; 3:16-18).

Os padrões de santidade de Deus não mudaram com a vinda de Jesus, porque Deus não muda (Malaquias 3:6; Hebreus 13:8). O Novo Testamento é uma revelação contínua da interação de Deus com a humanidade. Deus odiava a idolatria no Antigo Testamento (Deuteronômio 5:8), e ainda a odeia no Novo (1 João 5:21). O que era imoral no Antigo Testamento ainda é imoral no Novo.

O Novo Testamento diz que a homossexualidade é uma “paixão infame” (Romanos 1:26), uma “torpeza”, um abandono de “relações naturais” (Romanos 1:27), uma “injustiça” (1 Coríntios 6:9), e “prostituição segundo a carne” (Judas 1:7). A homossexualidade carrega uma “merecida punição” (Romanos 1:27), “é contrária à sã doutrina” (1 Timóteo 1:10), e está listada entre os pecados que impedem as pessoas de entrarem no reino de Deus (1 Coríntios 6:9). Apesar das tentativas de alguns de minimizar esses versículos, a Bíblia não poderia ser mais clara de que a homossexualidade é um pecado contra Deus.

A homossexualidade não é a causa do declínio de uma sociedade, mas é um sintoma dele; é o resultado de as pessoas se tornarem as autoridades finais. Romanos 1 dá a digressão natural de uma sociedade que escolheu idolatria e prazer pecaminoso em vez de obediência a Deus. A espiral descendente começa com a negação de que Deus tem autoridade absoluta sobre a Sua criação (Romanos 1:21-23).

O resultado da rejeição de uma sociedade ao governo de Deus em suas vidas é que Deus os entrega “à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador” (Romanos 1:24-25). Os versículos 26 e 27 dizem: “Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.” A frase “Deus os entregou” significa que, quando insistimos em sacudir os punhos para Deus, Ele finalmente nos permite ter a perversão que exigimos. E isso é um julgamento em si. O comportamento homossexual é o resultado de ignorar Deus e tentar criar nossa própria verdade. Quando desafiamos a instrução clara de Deus, colhemos a “merecida punição” da nossa desobediência (2 Tessalonicenses 1:8-9; Apocalipse 21:8).

A boa notícia é que a homossexualidade não é o pecado imperdoável. É tão perdoável quanto a ganância, o roubo e o assassinato quando nos arrependemos e nos voltamos para Jesus (Atos 2:38). Ele nos fornece novas identidades (1 Pedro 1:14; Colossenses 2:13). 2 Coríntios 5:17 diz que “se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” Essas coisas “antigas” incluem pecados anteriores que uma vez nos mantiveram cativos. Considerando que uma vez fomos definidos pelo nosso pecado, termos nascido de novo (João 3:3) significa que agora somos definidos por Jesus e Sua justiça (Colossenses 3:3). Um ladrão não precisa mais se definir como ladrão. Ele é purificado de seus antigos caminhos e renovado em Cristo. Um assassino — como Saulo antes de se tornar o apóstolo Paulo — é perdoado e conformado à imagem de Cristo (Gálatas 1:13; 1 Coríntios 15:9; Romanos 8:29). E alguém preso na homossexualidade pode ser libertado para andar em pureza quando concorda com Deus sobre o pecado e confia em Seu poder de perdoar e restaurar.

Como foi observado, 1 Coríntios 6:9-10 inclui os homossexuais em uma lista daqueles que não terão parte no reino de Deus. No entanto, o versículo 11 continua dizendo: “Tais eram alguns de vocês; mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus”. A verdade é que alguns dos santos da igreja de Corinto eram ex-homossexuais. O reino de Deus é povoado por pecadores. Ninguém vem a Deus por mérito pessoal. Todos nós viemos da mesma maneira: através do arrependimento, renunciando ao pecado pelo qual Jesus morreu e aceitando a justiça de Cristo em seu lugar (2 Coríntios 5:21).

O Novo Testamento oferece boas notícias para todos que lutam com a identidade sexual. Jesus quer substituir o nosso estilo de vida pecaminoso por Sua própria justiça para que nos tornemos mais semelhantes a Ele.

English



Voltar à página principal em português

O que o Novo Testamento diz sobre a homossexualidade?
Assine a

Pergunta da Semana

Comparte esta página: Facebook icon Twitter icon Pinterest icon Email icon
© Copyright Got Questions Ministries