GotQuestions.org > Português > Perguntas sobre Deus > Deus é justo

O que significa que Deus é justo?


Pergunta: "O que significa que Deus é justo?"

Resposta:
Quando dizemos que Deus é justo, queremos dizer que Ele é perfeitamente reto no tratamento de Suas criaturas. Deus não mostra parcialidade (Atos 10:34). Ele ordena contra os maus-tratos a outros (Zacarias 7:10) e executa perfeitamente a vingança contra os opressores (2 Tessalonicenses 1:6; Romanos 12:19). Deus é justo em dispensar recompensas: "Porque Deus não é injusto para se esquecer do trabalho que vocês fizeram e do amor que mostraram para com o seu nome, pois vocês serviram e ainda estão servindo aos santos" (Hebreus 6:10). Ele é igualmente justo no estabelecimento de punições: "E quem fizer injustiça receberá em troca a injustiça feita. E nisto ninguém será tratado com parcialidade" (Colossenses 3:25). A justiça e a retidão, que sempre trabalham de mãos dadas, são o fundamento do trono de Deus (Salmo 89:14).

A justiça é importante para nós. Imagine que Adolf Hitler havia sido encontrado vivo, escondido na Alemanha, e levado a um juiz. Seus crimes levaram nove horas para serem lidos, mas, no final, o juiz disse: "Entendo o que você fez. Milhões de mortos. Mas acho que você aprendeu a sua lição, então vou deixar você ir. " Ele então bate o martelo e clama: "Inocente!" O que surge em nossos corações quando consideramos esse cenário? Essa emoção é uma afronta à injustiça. Sabemos que o veredicto não é justo e isso nos parece intolerável. O mal requer um castigo equivalente. Nós herdamos esse senso de justiça do nosso Criador porque Ele é justo.

Toda verdade no universo é a verdade de Deus. Toda fórmula matemática, toda lei científica, todo limite de relacionamento pode traçar suas raízes ao caráter de Deus. O conhecimento humano é apenas uma descoberta da verdade que já existe. Deus escondeu pepitas de sabedoria em nosso universo para que pudéssemos encontrá-las. A justiça é uma verdade que não tem um começo nem explicação. Se fôssemos apenas matéria evoluída, a justiça não faria sentido. Os humanos não teriam quaisquer direitos, código moral interno ou desejo pelo eterno. No entanto, porque somos criados à imagem de Deus (Gênesis 1:27), temos o Seu coração em questões de moralidade, coragem, amor e justiça. Ele é a personificação completa de traços que possuímos apenas em parte. Ele é o amor completo (1 João 4:16). Ele é a bondade completa (Salmo 106:1). Ele é a amabilidade completa (Salmo 25:10). E Ele é a justiça completa (Isaías 61:8).

Quando Adão e Eva pecaram (Gênesis 3), a justiça não podia ignorar a transgressão. O crime deles não nos parece tão grande. Entretanto, considere isso do ponto de vista do céu. O grande Senhor Deus Todo-Poderoso, Governante incontestável de tudo, Senhor dos exércitos de anjos, digno de toda adoração e louvor, havia sido desafiado pelo pó que formara em pessoas. Ele criara essas criaturas para o Seu próprio propósito e prazer. Ele derramou amor e recompensa neles. Mas Deus também lhes deu livre-arbítrio. Ele fez isso para que o casal pudesse genuinamente ter um relacionamento com Ele, o que significa que também poderiam optar pela desobediência. Deus deu-lhes um comando — não comer de uma árvore específica no jardim onde os colocara. Se o fizessem, morreriam. Deus mostrou-lhes as suas opções e as consequências.

Deus providenciou amorosamente tudo de que a Sua criação precisava e os advertiu do que sabia que resultaria se não O obedecessem. Mas Adão e Eva escolheram a desobediência; escolheram o seu caminho ao invés do de Deus. Eva foi enganada por Satanás e pensou que talvez Deus estivesse ocultando algo deles, então ela comeu o fruto que Deus havia proibido. Adão também prontamente comeu o fruto. Nesse momento a criatura cometeu alta traição contra o Criador. A justiça exigiu ação. Para Deus ignorar ou desculpar a traição não seria algo justo. Porque Deus é justo, Ele não pode criar uma regra, estabelecer a penalidade e não seguir adiante quando a regra for violada. Porque Deus também é amor, Ele tinha uma maneira de satisfazer a justiça sem destruir os seres humanos. A justiça exigia a pena de morte por alta traição, então algo ou alguém tinha que morrer. Um substituto foi trazido para satisfazer as demandas da justiça. Um animal inocente foi morto para fazer coberturas para Adão e Eva, servindo como cobertura não apenas para a sua pele, mas também para o pecado (Gênesis 3:21).

Milhares de anos depois, a justiça foi satisfeita de uma vez por todas quando Deus enviou o Seu próprio Filho ao mundo para ser o nosso substituto (2 Coríntios 5:21). Deus nos advertiu amorosamente sobre as consequências negativas do pecado ao longo dos tempos, implorando conosco para não nos separarmos dEle nem seguirmos um caminho que só leva à morte (Romanos 3:23). "Vamos fazer o que quisermos", respondemos. Deus não pode simplesmente ignorar a nossa alta traição contra Ele, ou então não seria perfeitamente justo. Ele não pode retrair o Seu amor, apesar da nossa rebelião, ou então não seria um amor perfeito. Então Jesus Se tornou o Cordeiro (João 1:29) que Deus sacrificou no altar da justiça. Cristo "padeceu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir vocês a Deus" (1 Pedro 3:18).

Como a justiça foi satisfeita, Deus pronuncia "não é culpado" sobre todos os que estão em Cristo (Romanos 3:24), ou seja, aqueles que invocam o Seu nome (João 1:12). A justiça agora insiste que, uma vez que o pecado foi pago, ele não pode ser usado novamente contra o agressor. Quando nossos pecados estão sob o sangue do Seu sacrifício, Deus não os usa mais contra nós (Romanos 8:1; Colossenses 2:14; 1 Pedro 2:24; Isaías 43:25). Deus permanece justo; Ele não está violando o Seu próprio código de justiça quando perdoa aqueles que merecem as suas consequências. A salvação é uma consequência justa porque Deus declarou a morte e a ressurreição de Jesus suficientes para satisfazer a Sua ira. A maldição da Lei que merecíamos justamente foi tomada por Jesus na cruz (Gálatas 3:13).

Deus é justo, e a Sua justiça é uma parte indispensável do Seu caráter, da mesma forma que o Seu amor e misericórdia são indispensáveis. Sem a Sua justiça, o pecado seria incontrolável. O mal reinaria. Não haveria recompensa pela obediência. Não poderíamos respeitar um deus que não era justo. Miqueias 6:8 resume as três principais qualidades que Deus deseja ver refletidas em nós: "Ele já mostrou a você o que é bom; e o que o Senhor pede de você? Que pratique a justiça, ame a misericórdia e ande humildemente com o seu Deus."

English


Voltar à página principal em português

O que significa que Deus é justo?

Descubra como ...

receber a vida eterna



receber o perdão de Deus



Assine a pergunta da semana