Será que Deus comete erros?



 

Pergunta: "Será que Deus comete erros?"

Resposta:
Deus não comete erros. A Sua perfeição e grandeza não permitem erros: "Grande é o Senhor e digno de ser louvado; sua grandeza não tem limites." (Salmo 145:3). Na língua original, a palavra traduzida como "limites" incorpora a ideia de "ser possível descobrir ou enumerar." Em outras palavras, a grandeza de Deus é infinita. Esta declaração não pode se referir a uma pessoa falível porque um só erro tornaria a sua grandeza quantificável e finita.

A habilidade de Deus de fazer todas as coisas e compreender todas as questões também o impede de cometer erros: "Grande é o nosso Soberano e tremendo é o seu poder; é impossível medir o seu entendimento" (Salmo 147:5). Mais uma vez, a Escritura mostra que Deus é infalível. Um conhecimento limitado leva a erros, mas Deus tem conhecimento ilimitado e não comete erros.

Deus não cometeu erros na Sua criação do mundo. A Sua sabedoria infinita, poder infinito e bondade infinita juntos produziram um mundo perfeito. No final de seis dias da criação, Deus observou tudo o que tinha feito e pronunciou que era "muito bom" (Gênesis 1:31). Não havia exceção ou qualificação ou decepção. Apenas a declaração "muito bom."

"Deus não é homem para que minta, nem filho de homem para que se arrependa. Acaso ele fala, e deixa de agir? Acaso promete, e deixa de cumprir?" (Números 23:19). Ao contrário do homem, Deus não comete erros e não tem reconsiderações que poderiam levá-lo a mudar de ideia. Deus não faz decretos que deve posteriormente anular porque não considerou todas as consequências ou porque não possuía o poder para cumprir. Além disso, Deus não é como o homem, cujo pecado requer julgamento. "Deus é luz; nele não há treva alguma" (1 João 1:5b). "O Senhor é justo em todos os seus caminhos e é bondoso em tudo o que faz" (Salmo 145:17).

Alguns afirmam que a Escritura mostra Deus mudando de ideia sobre a Sua criação: "O Senhor viu que a perversidade do homem tinha aumentado na terra e que toda a inclinação dos pensamentos do seu coração era sempre e somente para o mal. Então o Senhor arrependeu-se de ter feito o homem sobre a terra, e isso cortou-lhe o coração. Disse o Senhor: ‘Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, os homens e também os grandes animais e os pequenos e as aves do céu. Arrependo-me de havê-los feito’" (Gênesis 6: 5-7).

É bom entender a palavra arrependimento nesta passagem. Quando utilizada por Deus, arrependimento incorpora o pensamento de tristeza compassiva e uma ação tomada. Deus não estava mostrando fraqueza, admitindo ou lamentando um erro. Ao contrário, Ele estava expressando a sua necessidade de tomar medidas específicas e drásticas para combater a maldade da humanidade: "O Senhor viu que a perversidade do homem tinha aumentado na terra e que toda a inclinação dos pensamentos do seu coração era sempre e somente para o mal" (Gênesis 6:5). O fato de que Deus não considerou a sua criação um erro é provado pela existência contínua do mundo. Nós ainda estamos aqui, por mais pecadores que sejamos. Louvado seja o Senhor por Sua graça: "Mas onde aumentou o pecado, transbordou a graça" (Romanos 5:20b) e "A Noé, porém, o Senhor mostrou benevolência" (Gênesis 6:8).

Deus nunca cometeu um erro. Ele tem tido um propósito em tudo, e os resultados não lhe são nenhuma surpresa porque Ele declara o fim desde o princípio: "Eu sou Deus, e não há nenhum outro; eu sou Deus, e não há nenhum como eu. Desde o início faço conhecido o fim, desde tempos remotos, o que ainda virá. Digo: Meu propósito permanecerá em pé, e farei tudo o que me agrada" (Isaías 46:9-10).

Pode-se até pensar que Deus cometeu um erro na vida pessoal de alguém. Certas experiências e condições além do nosso controle podem nos fazer questionar se Deus talvez tenha calculado mal. No entanto, "Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito" (Romanos 8:28). Isso leva fé para aceitar, mas "vivemos por fé, e não pelo que vemos" (2 Coríntios 5:7). Em tudo, devemos entender que as coisas desta vida são dispensáveis e estão sendo gastas rumo à recompensa eterna, segundo a sabedoria daquele que "é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem mácula e com grande alegria" (Judas 1:24). Podemos nos alegrar de que nosso Senhor Deus não comete erros em nossas vidas, mas tem um bom e amoroso propósito para tudo o que permite.

Não há culpa em nosso Deus; Ele não comete erros. E não há nenhuma falha em Seu Filho; Jesus não cometeu nenhum pecado em pensamento, palavra ou ação (Hebreus 4:15). Satanás estava desesperado para revelar até mesmo uma falha em Jesus, mas falhou completamente em suas tentativas (Mateus 4:1-11). Jesus permaneceu o imaculado Cordeiro de Deus (1 Pedro 1:19). No final da Sua vida, o Seu juiz terreno, Pôncio Pilatos, declarou: "Não encontro motivo para acusar este homem" (Lucas 23:4).

Vivemos com os nossos erros, grandes e pequenos, mesquinhos e desastrosos, e nos acostumamos a fazê-los. Mas servimos a um Deus livre de erro, infalível e cuja grandeza não pode ser sondada. “Senhor meu Deus! Quantas maravilhas tens feito! Não se pode relatar os planos que preparaste para nós! Eu queria proclamá-los e anunciá-los, mas são por demais numerosos!” (Salmo 40:5). É bom saber que Deus está no comando e que Aquele que não comete erros pode mais do que compensar pelos nossos.


Voltar à página principal em português

Será que Deus comete erros?