A Bíblia é um conto de fadas?



 

Pergunta: "A Bíblia é um conto de fadas?"

Resposta:
Não é nova a acusação de que a Bíblia não é nada mais do que um conto de fadas ou um livro de belas fábulas. A Bíblia é, sem dúvida, o livro de maior impacto que o mundo já conheceu, transformando inúmeras vidas. Por que, então, a questão de se a Bíblia é ou não um conto de fadas é legítima nos corações de muitos ao redor do mundo?

Do livro de Gênesis ao livro de Apocalipse, lemos a história do desígnio eterno de Deus de redimir um mundo caído. Com Deus como o seu autor, a Bíblia é a maior obra literária do mundo, e ao longo dos tempos, multidões têm dedicado a sua vida proclamando essa verdade. Na verdade, muitos chegaram a fazer o sacrifício final para que outros pudessem simplesmente segurar em suas mãos uma cópia de suas páginas. No entanto, nunca houve um livro que tem sido tão violentamente atacado como a Bíblia. A Bíblia tem sido banida, queimada, escarnecida, ridicularizada e difamada. Muitos têm sido condenados à morte simplesmente por possuírem uma Bíblia. Mesmo assim, a ideia de que a Bíblia é um conto de fadas ainda persiste.

O "príncipe deste mundo" tem cegado as pessoas para a verdade desde o início dos tempos. Ele começou seu "trabalho" na terra ao trazer dúvida às palavras de Deus no início dos tempos (Gênesis 3:1-5), e tem feito isso desde então. Onde quer que olhemos, o falso ensino é predominante - na televisão e rádio, em livros e revistas, nas nossas escolas e universidades e, infelizmente, até mesmo em algumas igrejas e faculdades cristãs, onde a verdade da Palavra de Deus deveria ser mais vigorosamente defendida. Quando as crianças são ensinadas que os nossos antepassados saíram se arrastando do oceano há milhares de anos, não temos relegado a criação e Adão e Eva à posição de um conto de fadas? É a mesma coisa quando os cientistas e acadêmicos nos dizem que estamos perdendo nosso tempo procurando pela "mitológica" Arca de Noé.

Na verdade, quando muitos na igreja, a fim de aplacar o mundo acadêmico, permitem que uma nova interpretação do livro de Gênesis acomode o pensamento evolucionista moderno, a mensagem enviada para o mundo é que a Bíblia aparentemente quer dizer algo diferente do que suas palavras comuns e simples comunicam. Quando os eventos sobrenaturais da Bíblia são chamados de alegoria pelos naturalistas, é compreensível que aqueles que nunca a estudaram se confundam quanto a sua verdade. Para aqueles que nunca fizeram uso da verdade da Palavra de Deus, qual a probabilidade de que acreditariam em um burro falante ou que um peixe engoliu um homem e então o cuspiu na costa ou que uma mulher se tornou um pilar de sal?

No entanto, a Bíblia seguramente não é um conto de fadas. Na verdade, a Bíblia foi "inspirada por Deus" (2 Timóteo 3:16), e isso essencialmente significa que Deus a escreveu. Os seus autores humanos escreveram a mensagem de Deus ao serem movidos pelo Espírito Santo (2 Pedro 1:21). É por isso que este texto divinamente tecido é perfeito em harmonia do início ao fim e não contém contradições, apesar de seus sessenta e seis livros terem quarenta autores diferentes de distintas esferas da vida, terem sido escritos em três línguas diferentes, e terem levado quase dezesseis séculos para serem concluídos. Como possivelmente poderíamos ter tal congruência surpreendente se não fosse por Deus guiando as mãos dos autores? Um Deus justo nunca iria inspirar erro. Um Deus justo não chamaria uma Escritura cheia de erro de "santa e verdadeira." Um Deus misericordioso não afirmaria que a Sua Palavra é perfeita se não fosse, e só um Deus onisciente poderia escrevê-la de tal forma que é tão relevante hoje como foi milhares de anos atrás.

A historicidade da Bíblia tem sido repetidamente confirmada pela biologia, geologia e astronomia. E, embora a Bíblia nem sempre concorde com hipóteses naturalistas, não está em conflito com quaisquer fatos científicos verdadeiros e estabelecidos. Na arqueologia, os últimos cem anos trouxeram à tona um tesouro de verdades bíblicas que os estudiosos têm questionado ou duvidado há séculos, como os Pergaminhos do Mar Morto, a pedra de basalto que contém a inscrição da "Casa de Davi", um pergaminho-amuleto do sétimo século aC que carrega o nome de Deus, e uma pedra com o nome e título de Pôncio Pilatos, o governador da Judeia que ordenou a execução de Jesus Cristo. A Bíblia é sem dúvida o livro mais bem documentado do mundo antigo, com mais de 24.000 manuscritos bíblicos totais ou parciais em existência. Nenhum outro documento da antiguidade chega perto de ter tanta evidência para confirmar a sua fiabilidade.

Uma outra comprovação da autoria divina da Bíblia é o grande número de profecias bíblicas detalhadas que se tornaram realidade exatamente como preditas. Vemos o salmista, por exemplo, dizendo da crucificação de Jesus Cristo cerca de mil anos antes de ter ocorrido (Salmo 22) e centenas de anos antes da crucificação ter sido sequer inventada! Simplificando, seria impossível que seres humanos tivessem visto o futuro com tal precisão e exatidão centenas de vezes. Na verdade, seria completamente ilógico acreditar que estas profecias comprovadas são outra coisa senão a obra de Deus. Aliás, os especialistas nos dizem que as probabilidades matemáticas de que apenas quarenta e oito profecias sobre uma pessoa (isto é, Cristo) se realizassem como preditas são uma em cada dez à 157ª potência!

Entretanto, a maior prova de que a Bíblia não é um conto de fadas é o número incontável de vidas que foram transformadas por suas páginas. Usadas pelo Espírito de Deus, as verdades sagradas da Bíblia viraram milhões de pecadores em santos. A Palavra de Deus tem curado viciados em drogas, libertado homossexuais, encorajado os desamparados, reformado criminosos endurecidos, repreendido pecadores e transformado ódio em amor. Nenhuma quantidade de leitura da "Cinderela" ou "Branca de Neve e os Sete Anões" pode efetuar tal mudança na alma do homem. A Bíblia possui de fato um poder dinâmico e transformador que só é possível por ser verdadeiramente a Palavra de Deus.

À luz do que acabamos de expor, a maior questão, então, é como alguém pode não acreditar nestas verdades convincentes, perfeitas, transformadoras e inspiradas por Deus? Infelizmente, a resposta é, na verdade, bem fácil. Deus disse que se não abrirmos os nossos corações para Ele, os nossos olhos não se abrirão para a verdade. Jesus prometeu que o Espírito Santo nos ensinaria (João 14:26) e guiaria à verdade (João 16:13). E a verdade de Deus é encontrada na Palavra de Deus (João 17:17). Assim, para aqueles que acreditam, estas palavras sagradas são a própria vida, mas, para aqueles sem o Espírito, a Bíblia não é nada mais que loucura (1 Coríntios 2:14).


Voltar à página principal em português

A Bíblia é um conto de fadas?