settings icon
share icon
Pergunta

Adão e Eva sabiam o que era a morte quando Deus lhes ordenou que não comessem da árvore do conhecimento?

Resposta


Quando Deus criou o primeiro homem e a primeira mulher, Ele os colocou no Jardim do Éden, onde viviam em estado de inocência, sem pecado. Deus lhes deu gratuitamente o fruto de todas as árvores do jardim, exceto uma: a árvore do conhecimento do bem e do mal. Não coma dessa árvore, disse Deus, “porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gênesis 2:17). Algumas pessoas argumentam que o castigo de Adão e Eva pela desobediência foi excessivamente severo, porque, antes de comerem o fruto proibido, não podiam ter conhecimento do bem e do mal; não tendo esse conhecimento, não podiam realmente distinguir o certo do errado.

Em resposta, gostaríamos de salientar que a Bíblia nunca diz que Adão e Eva não sabiam o certo do errado. De fato, Gênesis 3:2–3 deixa claro que entendiam a diferença entre o certo e o errado; Eva sabia que Deus havia instruído ela e Adão a não comer do fruto proibido (cf. Gênesis 2:16-17). Interpretar o nome da árvore proibida, “a árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gênesis 2:9), como significando que Adão e Eva não tinham entendimento do bem e do mal é um mal-entendido. Na Bíblia, a palavra conhecimento geralmente significa “experiência”. É verdade que, antes da queda, Adão e Eva não tinham experiência do mal. Entretanto, eles entendiam perfeitamente bem o conceito de bem e mal, ou não saberiam o que significava obedecer às instruções de Deus. O ponto é que Adão e Eva não pecaram até que comeram da árvore, e o seu pecado foi a porta de entrada para o conhecimento experiencial da diferença entre o bem e o mal.

Adão e Eva conheciam a diferença entre o certo e o errado porque foram criados com esse entendimento; é só que não experimentaram isso pessoalmente até que pecaram. Sua falta de experiência não justifica suas ações. Deus deu uma instrução simples e direta a Adão e Eva. Ambos tinham o entendimento e a capacidade de obedecer, mas desobedeceram mesmo assim.

Segundo, pode ser que Deus tenha dado a Adão e Eva uma explicação de por que não deveriam comer da árvore, além de “certamente morrerás”. Não existe tal explicação registrada nas Escrituras, mas não devemos presumir que uma nunca foi dada. É claro que, mesmo que Deus nunca tivesse explicado completamente por que comer da árvore era errado, Adão e Eva ainda podiam saber que era errado. A informação extra não era necessária para tomar uma decisão moral. Podemos saber com grande confiança que o assassinato é errado, sem necessariamente sermos capazes de explicar por que é errado. E mesmo que não possamos explicar por que o assassinato é errado, ainda devemos ser responsabilizados por um ato de assassinato que cometemos. O fato de Adão e Eva não saberem a razão exata pela qual foram proibidos de comer o fruto da árvore não tem nada a ver com o fato de que claramente sabiam e entendiam que comer era errado.

Terceiro, a morte existe no mundo hoje por causa do pecado, não por causa da falta de conhecimento de Adão e Eva (cf. Romanos 5:12). Em outras palavras, Deus não puniu Adão e Eva com a morte por simplesmente “não saberem” algo, mas por agirem contra o que já sabiam ser certo. A morte foi consequência da sua desobediência, não da sua ignorância. Da mesma forma, Adão e Eva não precisavam ter visto a morte ou experimentado a morte em primeira mão para saber que desobedecer à ordem de Deus era errado. É fácil para nós hoje olharmos para a natureza feia e horrível do pecado e da morte e concluir que tal perspectiva poderia ter tornado Adão e Eva mais relutantes em desobedecer a Deus do que eram. No entanto, isso é especulação. Se tal conhecimento em primeira mão poderia ou não ter afetado a sua escolha, não há como negar que Adão e Eva direta e intencionalmente desobedeceram a um mandamento de Deus. E, como lemos em Romanos 6:23, “o salário do pecado é a morte”.

Outra observação. Quando as pessoas perguntam como Deus pode punir Adão e Eva (e o resto de nós) tão duramente por fazer algo que dificilmente poderiam saber que era errado, elas parecem supor que Adão e Eva não tinham mais inteligência moral do que uma criança comum. Pensar em Adão e Eva como filhos inofensivos e totalmente ingênuos certamente faz com que a resposta de Deus pareça exagerada, como um pai que perdeu toda a paciência com seus filhos. Um Deus razoável não teria pelo menos dado a Seus amados filhos uma segunda chance? Ou pelo menos livrado o jardim da árvore antes que pudessem encontrar esse perigo? Por que condenar sua própria criação à morte por um “erro inocente”?

Pensar no pecado de Adão e Eva como um erro ingênuo é infundado. Inocência não é o mesmo que ignorância. Considere o que realmente sabemos sobre o primeiro casal: eles foram criados em um mundo perfeito e receberam domínio e liberdade sobre toda a terra; eles conheciam e falavam face a face com seu Deus Criador perfeito, amoroso e bom (Gênesis 2:22). É difícil imaginar a bondade e a benevolência de Deus sendo mais plenamente exibidas para Adão e Eva contemplarem.

No entanto, apesar de todas as suas bênçãos – apesar de Deus tê-los criado e provido para eles e amá-los – Adão e Eva ouviram ao invés à serpente, que contradisse diretamente o que Deus havia lhes dito (Gênesis 3:4-5). A serpente não fez nada para prover a Adão e Eva e nada para amá-los ou cuidar deles, e suas palavras apenas contradiziam a bondade de Deus que haviam experimentado até aquele momento. Adão e Eva não tinham nenhuma razão, até onde sabemos, para confiar no que a serpente disse. No entanto, confiaram nela, embora isso significasse rejeitar o que sabiam sobre a provisão e o cuidado amoroso de Deus. De fato, sua razão para rejeitar a ordem de Deus não foi um erro inocente: Gênesis 3:5-6 demonstra que Adão e Eva viram o fruto como uma oportunidade de se tornar “como Deus”.

Isso é realmente chocante. Adão e Eva - adultos crescidos, governantes da terra, perfeitamente capazes de entender o que significava obedecer ou desobedecer ao Deus amoroso que lhes dera tudo de que poderiam precisar - rejeitaram esse mesmo Deus, em favor da falsa promessa de uma serpente, que não lhes dera uma única razão para confiar nela sobre Deus. Este não é o erro de uma criança na ignorância; esta é a rebelião deliberada e intencional da criação contra o Criador, um motim contra o legítimo Governante do universo. Adão e Eva não eram bebês inocentes levados a uma escolha lamentável; eram a própria criação inteligente e moralmente responsável de Deus cometendo traição contra Ele. Eles sabiam que o que estavam fazendo era errado e o fizeram de qualquer maneira. É difícil imaginar uma ofensa contra um Deus santo mais merecedora da morte do que essa.

No final, devemos pensar em Adão e Eva da maneira como as Escrituras os retratam: como adultos responsáveis e capazes de compreensão que se rebelaram contra a autoridade do seu Criador. Eles sabiam e entendiam que estavam desobedecendo a Deus, mas comeram do fruto que era “agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento” (Gênesis 3:6). Isso não foi um acidente ou um erro; foi uma escolha. E essa é a razão pela qual Deus foi justificado em sentenciá-los – e a nós – à morte.

O que é ainda mais surpreendente é que, apesar do desafio demonstrado por Sua própria criação, Deus respondeu à desobediência deles com a promessa de redimi-los. Gênesis 3:15 contém a primeira expressão do evangelho na Bíblia, e vem durante a sentença do culpado no jardim: à serpente, Deus disse: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” A boa notícia do evangelho é que Deus abriu um caminho para sermos restaurados através da obra de Cristo na cruz. Apesar do tremendo mal demonstrado por Adão e Eva – e que todos nós temos demonstrado desde então – Deus estendeu a mão para nós em amor. Isso é realmente uma notícia muito boa.

English



Voltar à página principal em português

Adão e Eva sabiam o que era a morte quando Deus lhes ordenou que não comessem da árvore do conhecimento?
Assine a

Pergunta da Semana

Comparte esta página: Facebook icon Twitter icon Pinterest icon Email icon
© Copyright Got Questions Ministries