O que é salvação coletiva?



Pergunta: "O que é salvação coletiva?"

Resposta:
Basicamente, a "salvação coletiva" significa "a menos que todos nós sejamos salvos, nenhum de nós será salvo" ou “nós, como indivíduos, devemos cooperar e nos sacrificar pelo bem de todos.” Uma outra forma de afirmar o que significa a salvação coletiva é "Eu não posso ser salvo por minha conta. Tenho que fazer a minha parte ao cooperar com o grupo, ou até mesmo me sacrificando, para garantir a salvação de todos os outros. É então que todos nós somos salvos juntos." As Escrituras, no entanto, deixam claro que a salvação é um processo pelo qual Deus salva os indivíduos através do sacrifício de Cristo na cruz. Cada pessoa deve vir a Cristo individualmente, e não coletivamente.

A salvação coletiva também é análoga ao movimento ecumênico em que muitas igrejas protestantes estão dispostas a aceitar o Catolicismo, o Islamismo, o Budismo, as religiões do misticismo oriental e as seitas a fim de alcançar os objetivos sociais e morais. O pensamento deles é que se um número suficiente de pessoas piedosas se unirem, elas podem ganhar a guerra contra o paganismo ateu e o mal nas sociedades que abandonaram por completo o senso de moralidade. A crença é que, com todas as pessoas cooperando e se sacrificando para o bem comum, todos os males sociais serão erradicados. Os adeptos do ecumenismo afirmam que a igreja está em uma guerra santa para preservar os valores cristãos que estão intimamente entrelaçados no tecido do ensino bíblico, e que devemos desistir de nossas divergências sobre doutrina e unir-nos para travar esta guerra contra um mundo decadente.

Os defensores do ecumenismo ou da salvação coletiva muitas vezes usam João 17 como o seu texto de prova. A sua alegação é que Jesus estava orando para que todos se dessem bem e não lutassem entre si. No entanto, na verdade, a sua oração foi apenas para os discípulos - todos aqueles de todas as épocas que chegariam a segui-lo, excluindo todos os outros - para que tivessem um vínculo comum, uma unidade no Espírito de Deus que acabou sendo realizada no dia de Pentecostes (cf. Atos capítulo 2). Deus produziu este elo comum entre os cristãos quando o Seu Espírito veio sobre eles e foram batizados com o Espírito ao corpo de Cristo. Paulo resumiu isso em 1 Coríntios 6:17, quando disse: "Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele."

O problema com o conceito de salvação coletiva é que não é encontrado nas Escrituras. Um dos componentes principais da salvação coletiva tem a ver com o pensamento enganador de que a igreja deve se unir em um esforço coletivo para livrar o mundo de toda a imoralidade que permeia a nossa sociedade hoje. No entanto, não há nenhum exemplo no Novo Testamento de Jesus ou qualquer dos apóstolos tentando corrigir os problemas da sua sociedade, inclusive do seu governo. O que realmente ensinaram é que a salvação é através do evangelho de Cristo em um nível individual, não coletivo. Cristo vem ao coração do indivíduo, batendo para ganhar a entrada, e pelo poder e mover do Espírito Santo, abrimos a porta do nosso coração a Ele (1 Coríntios 2:12-16, Apocalipse 3:20).

Um dos aspectos mais preocupantes do conceito da salvação coletiva ou ecumenismo é a sua afirmação de que o nosso objetivo é lutar uma guerra cultural, que somos algum tipo de base de poder humano que pode influenciar os governos ao votar em grandes blocos ou promover e criar instituições que possam defender e endossar a moralidade em nossa sociedade. Mas Paulo deixa claro que esse não é o papel do cristão: "Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos. Mas os homens perversos e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados" (2 Timóteo 3:12-13). O nosso mandato bíblico e cristão não tem nada a ver com qualquer moralidade coletiva - politicamente, organizacionalmente ou religiosamente. O nosso mandato tem tudo a ver com a Grande Comissão – convidar os outros à salvação individual por meio de Cristo.


Voltar à página principal em português

O que é salvação coletiva?