O que é o Fundamentalismo?



Pergunta: "O que é o Fundamentalismo?"

Resposta:
A palavra fundamental pode descrever qualquer impulso religioso que adira aos seus princípios básicos. O Fundamentalismo, para efeitos do presente artigo, é um movimento dentro da igreja que mantém os pontos essenciais da fé cristã. Nos tempos modernos, a palavra fundamentalista é frequentemente usada em um sentido depreciativo.

O movimento fundamentalista tem suas raízes no Seminário Teológico de Princeton por causa de sua associação com os graduados daquela instituição. Dois ricos leigos da igreja comissionaram 97 líderes de igrejas conservadoras de todo o mundo ocidental a escrever 12 volumes sobre os princípios básicos da fé cristã. Eles então publicaram esses escritos e distribuíram mais de 300.000 cópias gratuitamente para ministros e outros envolvidos na liderança da igreja. Os livros foram intitulados Os Fundamentos, e ainda existem hoje como um conjunto de dois volumes.

O Fundamentalismo foi formalizado no final do século 19 e início do século 20 por cristãos conservadores - John Nelson Darby, Dwight L. Moody, BB Warfield, Billy Sunday e outros - que estavam preocupados com o fato de que os valores morais estavam sendo corroídos pelo Modernismo - uma crença de que os seres humanos (ao invés de Deus) criam, melhoram e remodelam o seu ambiente com a ajuda do conhecimento científico, tecnologia e experimentação prática. Além de lutar contra a influência do Modernismo, a igreja estava lutando contra o movimento alemão de alta crítica, o qual buscou negar a inerrância das Escrituras.

O Fundamentalismo é construído em cinco princípios da fé cristã, embora haja muito mais para o movimento do que a adesão a estes princípios:

1) A Bíblia é literalmente verdadeira. Associada a este princípio é a crença de que a Bíblia é infalível, isto é, sem erro e livre de contradições.

2) O nascimento virginal e a divindade de Cristo. Os fundamentalistas acreditam que Jesus nasceu da Virgem Maria, foi concebido pelo Espírito Santo e era e é o Filho de Deus, plenamente humano e divino.

3) A expiação substitutiva de Jesus Cristo na cruz. O Fundamentalismo ensina que a salvação é obtida somente através da graça de Deus e a fé humana na crucificação de Cristo para os pecados da humanidade.

4) A ressurreição corporal de Jesus. No terceiro dia após a sua crucificação, Jesus ressuscitou dos mortos e agora está assentado à direita de Deus Pai.

5) A autenticidade dos milagres de Jesus como registrados nas Escrituras e a literal e pré-milenar segunda vinda de Cristo à Terra.

Outros pontos doutrinários defendidos pelos fundamentalistas são de que Moisés escreveu os primeiros cinco livros da Bíblia e que a Igreja será arrebatada antes da tribulação do fim dos tempos. A maioria dos fundamentalistas também é dispensacionalista.

O movimento fundamentalista tem muitas vezes adotado uma certa militância pela verdade, e isso causou algumas lutas internas. Muitas novas denominações e congregações apareceram na medida em que muitas pessoas deixaram suas igrejas em nome da pureza doutrinária. Uma das características definidoras do Fundamentalismo tem sido a de ver-se como o guardião da verdade, normalmente à exclusão da interpretação bíblica dos outros. Na época da ascensão do Fundamentalismo, o mundo estava adotando o Modernismo, Liberalismo e o Darwinismo, e a própria igreja estava sendo invadida por falsos mestres. O Fundamentalismo foi uma reação contra a perda do ensino bíblico.

O movimento sofreu um grande golpe em 1925 pela cobertura da imprensa liberal do lendário julgamento de Scopes. Embora os fundamentalistas tenham ganho o caso, eles foram ridicularizados publicamente. Depois, o Fundamentalismo começou a se fragmentar e reorientar. O grupo mais proeminente e vocal nos EUA tem sido a Direita Cristã. Este grupo de auto-denominados fundamentalistas tem sido mais envolvido em movimentos políticos que a maioria dos outros grupos religiosos. Na década de 1990, grupos como a Coalizão Cristã e Conselho de Pesquisa da Família têm influenciado a política e questões culturais. Hoje, o Fundamentalismo vive em vários grupos evangélicos, como a Convenção Batista do Sul. Juntos, esses grupos afirmam ter mais de 30 milhões de seguidores.

Como todos os movimentos, o Fundamentalismo tem desfrutado de sucessos e fracassos. O maior fracasso talvez tenha sido permitir que os detratores do Fundamentalismo definam o que significa ser um fundamentalista. Como resultado, muitas pessoas hoje veem os fundamentalistas como extremistas radicais que querem estabelecer uma religião do Estado e forçar suas crenças sobre outras pessoas. Isso está longe da verdade. Os fundamentalistas procuram guardar a verdade das Escrituras e defender a fé cristã, que "de uma vez para sempre foi entregue aos santos" (Judas 1:3).

A igreja de hoje está sofrendo na cultura pós-moderna e secular e precisa de pessoas que não tenham vergonha de proclamar o evangelho de Cristo. A verdade não muda, e adesão à doutrina dos princípios fundamentais é necessária. Estes princípios são a base sobre a qual o Cristianismo é firmado e, como Jesus ensinou, a casa construída sobre a Rocha vai resistir à qualquer tempestade (Mateus 7:24-25).


Voltar à página principal em português

O que é o Fundamentalismo?