Pode um cristão ‘dar de volta’ a salvação?



Pergunta: "Pode um cristão ‘dar de volta’ a salvação?"

Resposta:
A resposta curta a esta pergunta é não, um cristão verdadeiro não pode "devolver" a salvação. Curiosamente, alguns que concordam que um cristão não possa "perder" a sua salvação ainda acreditam que a salvação possa ser "devolvida" a Deus. Alguns que defendem esse ponto de vista leem Romanos 8:38-39 e dizem que, embora nada fora de nós possa nos separar de Deus, nós mesmos podemos escolher, de espontânea vontade, separar-nos de Deus. Isto não só é antibíblico, mas também desafia toda a lógica.

A fim de entendermos por que não é possível "devolver" a nossa salvação, precisamos entender três coisas: a natureza de Deus, a natureza do homem e a natureza da própria salvação. Deus é, por natureza, um Salvador. Somente no livro de Salmos, treze vezes Deus é mencionado como o Salvador do homem. Apenas Deus é o nosso Salvador; ninguém mais pode salvar-nos e não podemos salvar a nós mesmos. "Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há Salvador" (Isaías 43:11). Em nenhum lugar na Bíblia Deus é retratado como um Salvador que dependa daqueles que salva para efetuar a salvação. João 1:13 deixa claro que aqueles que pertencem a Deus não nasceram de novo por sua própria vontade, mas pela vontade de Deus. Deus salva por Sua vontade de salvar e por Seu poder para salvar. Sua vontade nunca é frustrada e o Seu poder é ilimitado (Daniel 4:35).

O plano de salvação de Deus foi realizado por Jesus Cristo, Deus encarnado, o qual veio à terra para "buscar e salvar o que se havia perdido" (Lucas 19:10). Jesus deixou claro que não o escolhemos, mas que Ele nos escolheu e nomeou-nos para "ir e dar fruto" (João 15:16). A salvação é um dom de Deus mediante a fé em Cristo, dada àqueles que Ele tem, antes da fundação do mundo, predestinado a recebê-lo e que foram selados pelo Espírito Santo para a salvação (Efésios 1:11-14). Isso exclui a ideia de que o homem possa, por sua própria vontade, frustrar o plano de Deus para salvá-lo. Deus não preordenaria alguém a receber o dom da salvação, só para ter seu plano destruído por essa pessoa devolvendo o seu presente. A onisciência e presciência de Deus tornam tal cenário impossível.

O homem é, por natureza, um ser depravado que não busca a Deus de forma alguma. Até seu coração ser transformado pelo Espírito de Deus, ele não busca a Deus e nem pode fazê-lo. A Palavra de Deus é incompreensível para ele. O homem não regenerado é injusto, inútil e enganador. Sua boca está cheia de amargura e blasfêmia, seu coração é inclinado ao derramamento de sangue, ele não tem paz e não há "temor de Deus diante de seus olhos" (Romanos 3:10-18). Tal pessoa é incapaz de salvar a si mesma ou de sequer enxergar a sua necessidade de salvação. Só depois de ter sido feita uma nova criação em Cristo é que o seu coração e mente são alterados em direção a Deus. Ele agora vê a verdade e entende as coisas espirituais (1 Coríntios 2:14, 2 Coríntios 5:17).

Um cristão é aquele que tem sido redimido do pecado e colocado no caminho para o céu. Ele é uma nova criação e seu coração foi transformado em direção a Deus. Sua velha natureza foi embora, faleceu. Sua nova natureza não mais desejaria devolver a sua salvação e voltar ao seu velho ser, assim como um receptor de transplante de coração não gostaria de dar de volta o seu coração novo em troca de seu coração velho e doente. O conceito de um cristão devolver a sua salvação é antibíblico e impensável.


Voltar à página principal em português

Pode um cristão ‘dar de volta’ a salvação?