Será que precisamos confessar nossos pecados àqueles contra os quais pecamos?



Pergunta: "Será que precisamos confessar nossos pecados àqueles contra os quais pecamos?"

Resposta:
Sabemos que devemos confessar nossos pecados a Deus, mas muitos cristãos se perguntam se precisamos confessar àqueles contra os quais pecamos. Precisamos dizer à pessoa ofendida que realmente sentimos muito? "Andar na luz" (1 João 1:7) significa que estamos vivendo em obediência aos mandamentos de Deus. No mesmo versículo, temos referências ao perdão através de Cristo e "comunhão uns com os outros." Então, há uma ligação entre ter uma "ficha limpa" e o nosso relacionamento com outras pessoas.

No fim das contas, todo pecado é cometido contra Deus (Salmos 51:4). A Bíblia enfatiza constantemente a nossa necessidade de confessar os nossos pecados a Ele (Salmo 41:4; 130:4, Atos 8:22, 1 João 1:9). Quanto à confissão de nossos pecados a outras pessoas, a Bíblia não dá nenhum comando direto. Somos advertidos muitas vezes a confessar os nossos pecados ao Senhor, mas o único comando direto para confessar a outra pessoa está no contexto dos anciãos da igreja orando a favor do doente (Tiago 5:16).

Isso não quer dizer que nunca devamos buscar o perdão de outra pessoa. A Bíblia nos dá exemplos de confissão a outras pessoas. Um deles é os irmãos de José, pedindo-lhe perdão em Gênesis 50:17-18. Além disso, a confissão direta entre duas pessoas está implícita em passagens como Lucas 17:3-4, Efésios 4:32 e Colossenses 3:13.

Os princípios aqui parecem ser: 1) Devemos buscar o perdão do Senhor por todos os pecados. Ele deseja a "verdade no íntimo" (Salmo 51:6). 2) Se o nosso relacionamento com o Senhor estiver certo, então os nossos relacionamentos com as outras pessoas se alinharão. Trataremos os outros graciosamente, com justiça e honestidade (Salmo 15). Pecar contra alguém e não tentar corrigir a situação seria impensável. 3) A extensão do pedido de desculpas por um pecado deve coincidir com a extensão do impacto do pecado. Em outras palavras, devemos buscar o perdão de quem estava diretamente envolvido a fim de garantir a cura.

Por exemplo, se um homem olhar com cobiça a uma mulher, ele deve imediatamente confessar o pecado ao Senhor. Não seria necessário ou apropriado confessar o pecado para a mulher. Esse pecado é entre o homem e Deus. No entanto, se um homem quebrar uma promessa, ou fizer algo que afeta diretamente a mulher, ele deve confessar a ela e buscar o seu perdão. Se um pecado envolver um grande número de pessoas, como uma igreja, o homem ou mulher deve, então, estender a confissão para os membros da igreja. Assim, a confissão e o pedido de perdão devem coincidir com o impacto. Aqueles afetados pelo pecado devem ouvir a confissão.

Embora o perdão de Deus a nós não dependa da nossa confissão de pecados aos outros e/ou do perdão que eles nos dão, Deus nos chama a ser honestos e diretos com outras pessoas a respeito de nossas falhas, especialmente quando os nossos erros as envolvem. Quando temos ofendido, magoado ou pecado contra os outros, devemos procurar oferecer um pedido de desculpas sincero e confessar e pedir perdão. Se o perdão será concedido ou não depende daqueles a quem confessamos. Nossa responsabilidade, no entanto, é de genuinamente nos arrepender, confessar o pecado e pedir perdão.




Voltar à página principal em português

Será que precisamos confessar nossos pecados àqueles contra os quais pecamos?