As aparições de Maria, como Nossa Senhora de Fátima, são mensagens verdadeiras de Deus?



Pergunta: "As aparições de Maria, como Nossa Senhora de Fátima, são mensagens verdadeiras de Deus?"

Resposta:
Na tradição católica, há muitas ocorrências registradas de Maria, anjos e/ou santos em aparições e trazendo a mensagem de Deus. É provável que em pelo menos alguns destes casos, as pessoas estivessem verdadeiramente vendo algo sobrenatural. Apesar de algumas aparições em vários lugares serem, talvez, obra de charlatanismo, outras foram aparentemente autênticas. Contudo, com o que foi dito, uma aparição ser autêntica não significa que seja uma mensagem de Deus ou uma aparição genuína de Maria, um anjo ou um santo. As Escrituras declaram que Satanás e seus demônios se transfiguram em anjos de luz (II Coríntios 11:14-15). Uma fraude de satanás é uma explicação razoável para as aparições.

A única forma para se determinar se uma aparição é um “falso sinal ou prodígio” ou uma genuína mensagem de Deus é comparar a aparição com as Escrituras. Se os ensinamentos ligados a estas aparições forem contrários à Palavra de Deus, estas aparições são então de natureza satânica. Um estudo dos ensinamentos de Nossa Senhora de Fátima com seu “Milagre do Sol” são um bom exemplo.

Uma página da internet que contém descrições detalhadas do “Milagre do Sol” (página disponível em inglês) pode ser localizada em: www.religion-cults.com/fatima/sun.htm. Poderia parecer que algo espetacular ocorreu em 13 de outubro de 1917... que algo, de fato, surgiu e trouxe uma mensagem. A presença de sincronia com o que teria sido dito pelos pequenos pastores três meses antes poderia parecer unir este evento com as aparições que teriam visto nos meses anteriores, primeiro o anjo e depois, “Nossa Senhora de Fátima”.

Quando comparamos a mensagem de Fátima com o que ensina a Bíblia, fica evidente que a mensagem de Fátima combina algumas verdades bíblicas com várias práticas e ensinamentos sem respaldo bíblico. Os parágrafos seguintes são tirados diretamente de uma página da internet dedicada a “Nossa Senhora de Fátima”, www.fatima.org. Palavras ou frases específicas estão sublinhadas para indicá-las como não-bíblicas (não ensinadas na Bíblia), ou antibíblicas (contrárias à Bíblia). Seguindo as citações longas, mais informações serão dadas, com razões específicas para classificar estas aparições como “falsos sinais e prodígios”. Segue-se um resumo tirado da mensagem geral dada por Nossa Senhora de Fátima:

A Mensagem, em Termos Gerais

“A Mensagem de Fátima, em termos gerais, não é complicada. Pede por orações, reparação, arrependimento e sacrifício, e o abandono do pecado. Antes que Nossa Senhora aparecesse aos três pequenos pastores, Lúcia, Francisco e Jacinta, O Anjo da Paz os visitou. O Anjo preparou as crianças para que recebessem a Abençoada Virgem Maria, e as instruções do anjo são aspecto importante da Mensagem, aspecto que é freqüentemente ignorado.

O Anjo demonstrou às crianças a maneira fervente, atenciosa e calma na qual devemos todos orar, e a reverência que devemos mostrar a Deus em oração. Ele também explicou a eles sobre a grande importância de orar e fazer sacrifícios em reparação pelas ofensas cometidas contra Deus. Ele disse às crianças: ‘Façam de tudo o que puderem um sacrifício e ofereçam a Deus como ato de reparação pelos pecados, pelos quais Ele se ofende, e em súplica pela conversão dos pecadores’. Em sua terceira e última aparição às crianças, o Anjo deu a elas a Santa Comunhão, e demonstrou a maneira correta de receber Nosso Senhor na Eucaristia: todas as três crianças se ajoelharam para receber a Comunhão, e Lúcia recebeu a Sagrada Hóstia em sua língua e o Anjo dividiu o Sangue do Cálice entre Francisco e Jacinta.

Nossa Senhora enfatizou a importância de oração do Rosário em cada uma de Suas aparições, pedindo às crianças que a fizessem a cada dia, pedindo por paz. Outra parte principal da Mensagem de Fátima é devoção ao Imaculado Coração de Nossa Senhora, que está terrivelmente ultrajado e ofendido pelos pecados da humanidade, e em amor, somos fortemente compelidos a consolá-La, fazendo reparação. Ela mostrou às crianças seu Coração, cercado de espinhos que o penetravam (que representavam os pecados contra Seu Imaculado Coração), e elas compreenderam que seus sacrifícios poderiam ajudar a consolá-La.

As crianças também viram que Deus está terrivelmente ofendido pelos pecados da humanidade, e que Ele deseja que cada um de nós e toda a humanidade abandone o pecado e faça reparação por seus crimes através da oração e sacrifício. Nossa Senhora, com tristeza, suplicou: ‘Não mais ofendam ao Senhor nosso Deus, pois Ele já está muitíssimo ofendido!’

Às crianças foi dito também que orassem e se sacrificassem pelos pecadores, para salvá-los do inferno. Às crianças foi rapidamente mostrada uma visão do inferno, depois da qual Nossa Senhora disse a eles: ‘Vocês viram o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para salvá-los, Deus deseja estabelecer no mundo a devoção a Meu Imaculado Coração. Se o que vos digo for feito, muitas almas serão salvas e haverá paz’.

Nossa senhora nos mostrou a específica raiz de todos os problemas no mundo, aquela que causa as guerras mundiais e tão grande sofrimento: o pecado. Então ela deu uma solução, primeiro para as pessoas, individualmente, e depois para os líderes da Igreja. Deus pede que cada um de nós pare de ofendê-Lo. Devemos rezar, principalmente o Rosário. Fazendo freqüentemente a oração do Rosário, alcançaremos as graças das quais necessitamos para vencermos o pecado. Deus quer que nós tenhamos devoção ao Imaculado Coração de Maria e que trabalhemos para espalhar esta devoção através do mundo. Nossa Senhora disse: ‘Meu Imaculado Coração será seu refúgio e o caminho que o conduzirá a Deus.’ Se desejamos ir a Deus, temos um caminho certo até Ele através da devoção ao Imaculado Coração de Sua Mãe.

Para nos chegarmos mais perto Dela, e desta forma a Seu Filho, Nossa Senhora enfatizou a importância de rezarmos pelo menos cinco grupos de dez, do Rosário, diariamente. Ela pediu para que usássemos o Escapulário Marrom. E devemos fazer sacrifícios, especialmente o sacrifício da nossa tarefa diária, em reparação pelos pecados cometidos contra Nosso Senhor e Nossa Senhora. Ela também enfatizou a necessidade de orações e sacrifícios para salvar os pobres pecadores do inferno. A Mensagem de Fátima, às almas individuais, se resume nestas coisas.”

Na mesma página da internet, há uma entrevista gravada entre a Irmã Lúcia (a pastora de dez anos que estava entre as três crianças que viram as aparições em 1917) e Padre Fuentes. A entrevista aconteceu em 1957. Nesta entrevista, que enfatiza Fátima e sua mensagem, a Irmã Lúcia diz o seguinte:

“Senhor Padre, o demônio está travando uma batalha decisiva contra a Virgem Maria. E como sabe que é o que mais ofende a Deus e o que, em menos tempo, lhe fará ganhar um maior número de almas, trata de ganhar para si as almas consagradas a Deus, pois que desta maneira deixa também o campo das almas desamparado e mais facilmente se apodera delas.

Senhor Padre, a Santíssima Virgem não me disse que nos encontramos nos últimos tempos do mundo, mas deu-mo a entender por três motivos: O primeiro, porque me disse que o demônio está travando uma batalha decisiva contra a Virgem Maria – e uma batalha decisiva é uma batalha final, onde se vai saber de que lado será a vitória e de que lado será a derrota. Por isso, agora, ou somos de Deus ou somos do demônio: não há meio termo.

O segundo, porque me disse, tanto aos meus primos como a mim, que eram dois os últimos remédios que Deus dava ao mundo: o Santo Rosário e a devoção ao Coração Imaculado de Maria; e, se são os últimos remédios, quer dizer que são mesmo os últimos, que já não vai haver outros.

E o terceiro porque – sempre – nos planos da Divina Providência, quando Deus vai castigar o mundo, esgota primeiro todos os outros meios; depois, ao ver que o mundo não fez caso de nenhum deles, só então (como diríamos no nosso modo imperfeito de falar) é que Sua Mãe Santíssima nos apresenta, envolto num certo temor, o último meio de salvação, Sua Mãe Santíssima. Porque se desprezarmos e repelirmos este último meio, já não obteremos o perdão do Céu: porque cometemos um pecado a que no Evangelho é costume chamar ‘pecado contra o Espírito Santo’ e que consiste em repelir abertamente, com todo o conhecimento e vontade, a salvação que nos é entregue em mãos; e também porque Nosso Senhor é muito bom Filho, e não permite que ofendamos e desprezemos Sua Mãe Santíssima – tendo como testemunho patente a história de vários séculos da Igreja que, com exemplos terríveis, nos mostra como Nosso Senhor saiu sempre em defesa da Honra de Sua Mãe Santíssima.

São dois os meios para salvar o mundo: a oração e o sacrifício. [Em relação ao Santo Rosário, Disse a Irmã Lúcia:] Olhe, Senhor Padre, a Santíssima Virgem, nestes últimos tempos em que vivemos, deu uma nova eficácia à oração do Santo Rosário. De tal maneira que agora não há problema, por mais difícil que seja, seja temporal ou, sobretudo, espiritual – que se refira à vida pessoal de cada um de nós; ou à vida das nossas famílias, sejam as famílias do mundo sejam as Comunidades Religiosas; ou à vida dos povos e das nações –, não há problema, repito, por mais difícil que seja, que não possamos resolver agora com a oração do Santo Rosário. Com o Santo Rosário nos salvaremos, nos santificaremos, consolaremos a Nosso Senhor e obteremos a salvação de muitas almas. E depois, a devoção ao Imaculado Coração de Maria, Mãe Santíssima, vendo nós Nela a sede da clemência, da bondade e do perdão, e a porta segura para entrar no Céu.”

Nos parágrafos acima, com referência à mensagem que a Irmã Lúcia sentiu que a aparição a ela concedida desejava comunicar ao mundo, você encontrará muitas coisas que, não apenas não encontramos nas Escrituras, mas que são contrárias às Escrituras.

1) Maria é citada como a “Mãe Santíssima” e como tendo um “Imaculado Coração”. Com isto, não se está dizendo que ela possui retidão e santidade dadas aos santos através da retidão imputada de Cristo, mas ao invés disso, que ela foi salva do pecado em todas as formas por ter sido concebida no útero de sua mãe já sem a mácula do pecado original. Jamais a Bíblia se refere a Maria como sendo sem pecado. Nunca a Bíblia se refere a ela como tendo um imaculado coração. Entretanto, ela mesma se refere a Deus como seu Salvador (Lucas 1:47). Isto parece colocá-la no mesmo lugar do restante da humanidade, mas a Igreja Católica afirma que Maria foi salva do pecado através dos méritos de Cristo sendo concebida sem pecado e então vivendo uma vida sem pecado. Mais uma vez, nunca isto é ensinado nas Escrituras. Ao contrário, o que as Escrituras ensinam é que há apenas uma exceção à verdade de que todos somos pecadores (Romanos 3:10; 3:23), etc. Esta única exceção é Jesus Cristo (II Coríntios 5:21; I Pedro 2:22; I João 3:5).

2) A Irmã Lúcia fala da devoção do “Imaculado Coração” de Maria citando o rosário como “os dois últimos remédios para o mundo”. Ela também afirma que não há problema que não possa ser resolvido se fizermos a oração do Rosário. É o ensinamento de Fátima que através da mesma coisa haverá salvação de muitas almas. Mais uma vez, nunca tal ensinamento poderá ser encontrado nas Escrituras. A oração principal do Rosário é “Ave, Maria”, que é repetida cinqüenta vezes. A primeira metade é uma citação das Escrituras do cumprimento do anjo a Maria: “Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus”, mas a segunda metade diz: “...Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores agora e na hora da nossa morte, amém.” Além de dar a Maria um título que as Escrituras a ela não dão, roga-se a Maria que ore por nós. Mais uma vez, os católicos não apenas vêem a Maria como aquela através da qual flui TODA a graça de Deus, e aquela que intercede junto a seu Filho em nosso favor, mas os católicos também direcionam orações a ela para que livre as pessoas do pecado, da guerra, etc. A oração do Papa João Paulo II a Maria, dos primeiros anos da década de 1980, é um exemplo disto. Nesta oração, ele repetidamente roga a Maria que “nos livre” da guerra nuclear, fome, autodestruição, injustiça, etc.

Mais uma vez, nunca encontraremos uma pessoa piedosa nas Escrituras orando a ninguém a não ser a Deus, ou pedindo para que alguém interceda, a não ser aqueles ainda vivos nesta terra. Ao invés disso, as Escrituras nos direcionam para que oremos a Deus (Lucas 11:1-2; Mateus 6:6-9; Filipenses 4:6; Atos 8:22; Lucas 10:2, etc.)! Ele nos pede para que venhamos com confiança ao trono da graça (Seu trono) para que achemos graça e socorro nos tempos de necessidade (Hebreus 4:14-16). Deus nos prometeu que o Espírito Santo faz por nós intercessão de acordo com a vontade de Deus e com gemidos inexprimíveis (Romanos 8:26). Por que precisamos ir através de um santo, anjo ou Maria, ainda mais se considerarmos o fato de que nem o exemplo para que o façamos ou mandamento para que o façamos é jamais ensinado nas Escrituras? Nas Escrituras, há apenas dois exemplos que se repetem:

a) A oração é feita somente a Deus (I Coríntios 11:5; Romanos 10:1; Romanos 15:30; Atos 12:5; Atos 10:2; Atos 8:24; Atos 1:24; Zacarias 8:21-22; Jonas 2:7; 4:2, etc.)

b) Pedidos de orações são feitos somente aos vivos (I Tessalonicenses 5:25; II Tessalonicenses 3:1; Hebreus 13:18, etc.)

Além disto, em nenhum lugar se ensina que Maria tudo vê, tudo ouve e é onisciente (ou algo parecido), como teria que ser para que pudesse ouvir e responder à grande quantidade de orações que são a ela direcionadas pelos muitos católicos que oram, ao mesmo tempo, através do mundo. Ao invés disto, as Escrituras ensinam que tanto os anjos e os espíritos dos mortos são seres limitados, capazes de estarem apenas em um lugar em um determinado momento (Daniel 9:20-23; Lucas 16:19 em diante).

3) Uma das mensagens que se repetem em Fátima é a chamada para “reparação” pessoal ou “penitência”. Este conceito católico ensina que devemos indenizar a Deus ou a Maria pelos pecados que contra eles cometemos. Repetindo uma das frases de “A Mensagem, em Termos Gerais”, o anjo disse às crianças: “Façam de tudo o que puderem um sacrifício e ofereçam a Deus como ato de reparação pelos pecados, pelos quais Ele se ofende...” Reparação significa expiação... algo feito ou pago, como indenização; compensação. Isto combina com o ensinamento Católico Romano de pena temporal, na qual a pessoa pode por si mesma, cuidar de seu perdão, através de penitência agora ou através de um tempo passado no purgatório, mais tarde. A Bíblia NUNCA fala da necessidade de fazer “reparação” por nossos pecados ou fazer “penitências” para pagar por nossos pecados. Ao contrário, o que ela ensina é que devemos oferecer nossas vidas como sacrifícios vivos a Deus em resposta e em gratidão por toda a misericórdia que Ele nos demonstrou na salvação (Romanos 12:1-2). Quando a pessoa se torna cristã, seus pecados são perdoados e totalmente pagos por Cristo. Não resta qualquer outro pagamento que possa ser por eles feito, nenhuma penitência adicional é devida.

4) Um aspecto fundamental de Nossa Senhora de Fátima é curvar-se ante às imagens associadas com a aparição, em veneração. Através de toda a Bíblia, vemos que todas as vezes que alguém se curva diante de um dos “santos” ou anjos, a ele é dito que se levante e pare. Apenas quando feito ao “Anjo do Senhor” (uma aparição pré-incarnada de Cristo), ou perante Jesus ou Deus o Pai, tal veneração é aceita. Os católicos fazem uma distinção entre “adoração” a Deus e “veneração” a Maria e aos santos; mas quando o Apóstolo João prostra-se perante um anjo, o anjo não pergunta: “Você está me adorando ou venerando?” O anjo simplesmente diz que pare e exclama: “Adora a Deus” (Apocalipse 19:10). Da mesma forma, quando Pedro estava sendo “venerado” (prokuneo – a palavra grega que a Igreja Católica usa para “veneração”, opostamente a “adoração”, que somente Deus merece) por Cornélio em Atos 10:25-26, Pedro diz a Cornélio: “Levanta-te, que eu também sou homem”. Devo notar que esta mesma palavra é usada na passagem de Apocalipse também mencionada. Desta forma, o exemplo repetido que temos de um anjo ou “santo” sendo “honrado” está acompanhada por uma ordem de “pare”!

Desta forma, orar a Maria é contrário à admoestação das escrituras para que se ore a Deus e ao exemplo das Escrituras para que assim se faça. Também é ilógico que se substitua a oração ao um Deus todo amor, onisciente e onipotente (Salmos 139; Hebreus 4:14-16) para que se ore a algum santo ou Maria, pois não há qualquer evidência nas Escrituras de que possam sequer ouvir as orações. Orar a Santos e a Maria, mundialmente, é atribuir a eles qualidades de onipresença e onisciência que somente Deus possui... e isto, verdadeiramente, é idolatria!

5) Por último, em referência ao “Milagre do Sol”, há casos repetidos nos quais os “falsos sinais e prodígios” são mencionados nas Escrituras (Êxodo 7:22; 8:7; 8:18; Mateus 24:24; Marcos 13:22; Apocalipse 13:13-14). Deus até nos diz em Deuteronômio 13:1 em diante, que quando alguém faz uma profecia que se cumpre ou um “sinal” que parece miraculoso, mas se junto for ensinada a adoração a outros deuses, não devemos dar a ele crédito, mas ao invés disso, devemos tratá-lo como falso profeta.

Para um cristão, o “conteúdo da fé” deve ser a Bíblia e o que ela ensina (Isaías 8:20; II Timóteo 3:16). E enquanto os católicos poderão argumentar que “Nossa Senhora de Fátima” não nos chama a adorar “deuses estranhos”, mas ao Deus verdadeiro, a idéia de venerar a Maria a ponto de seu “Coração Imaculado” ser colocado no mesmo nível de devoção que o “Sagrado coração” de Jesus é inegavelmente uma exaltação a uma mulher piedosa até uma posição nunca dada a ela nas Escrituras... a de igualdade com Deus: pois honrá-la como se honraria a Cristo, é fazer isto. Da mesma forma, concentrar-se em Maria a ponto de gastar mais tempo orando a ela do que a Deus também se constitui idolatria, especialmente à luz das ordens diretas das Escrituras para que oremos a Deus e o completo silêncio nas Escrituras em relação à exaltação a Maria.

O “Milagre do Sol” foi um falso sinal e prodígio? Com base nos ensinamentos bíblicos, parece claro que sim. É fácil para Satanás misturar verdade suficiente para fazer um ensinamento parecer verdadeiro, com erro o suficiente para condenar almas ao inferno. Em que lugar é mencionado, através de toda a mensagem de Fátima, o Evangelho de salvação pela graça através da fé em Cristo... a mensagem que é repetida através de todo o Novo Testamento?

Onde está mencionado que a salvação é através da obra consumada de Jesus Cristo no Calvário e que nossas obras não têm méritos longe Dele? Penitências e ofertas para reparação por nossos pecados são totalmente contrárias à obra consumada de Cristo no Calvário e contrárias a nossa necessidade de salvação somente pela graça através da fé somente em Jesus. O chamado de Maria e seu Imaculado Coração e a oração do Rosário como último e final recurso para salvar as almas está em completa oposição às verdades bíblicas de Atos 4:12 e I Timóteo 2:5. “À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles” (Isaías 8:20).


Voltar à página principal em português

As aparições de Maria, como Nossa Senhora de Fátima, são mensagens verdadeiras de Deus?